segunda-feira, 28 de março de 2011

GP da Austrália- 1ª Etapa- Análise

Nós consumidores somos exigentes. Ás vezes ao extremo ou moderadamente, mas somos. Acompanhei a corrida com um olho na TV e outro no Twitter e pude ver a reação de todos, que reclamavam da falta de ultrapassagens durante as 58 voltas do GP australiano. Foi pobre sim em ultrapassagens, mas ao menos foi muito melhor que o GP do Bahrein do ano passado. Mas a crítica pesada tem fundamento, claro. O peixe que a FIA vendeu quando divulgou a volta do KERS e a utilização da asa móvel para as ultrapassagens, pode ter até gerado certa desconfiança afinal tudo pareceria artificial, mas para os que querem ver ultrapassagens, não importando como, esses subterfúgios vinham a calhar. Mas durante a corrida o que se viu foi uma pequena procissão, com ninguém querendo se arriscar tanto. Salvo Button, que usou bem a artimanha e passou um perdido Massa em plena reta dos boxes. Fora isso, foi uma cautela só. Acho que o que falta é um pouco mais de coragem para os pilotos, arriscarem mais sem ter medo do que possa acontecer. Mas a porcaria da zona delimitada pela FIA para o uso da asa também atrapalha. É melhor liberar essa zona (com todo respeito, é claro) e deixar os pilotos se divertirem à vontade. Será melhor para eles e para o público também.
A corrida

Sinceramente, ninguém pegaria o Vettel na prova de ontem. Mesmo com algumas tentativas de aproximação de Hamilton, o alemão sempre esteve pronto para responder. Até acho que ele se poupou bastante por causa do desgaste dos pneus. Em outras situações, ele teria sumido na frente.
Foi uma corrida morna, que teve apenas o duelo entre Massa e Button pela quinta posição como ponto alto desta etapa de abertura. E nela teve o discutível corte de caminho de Button, quando este tentou passar o Massa por fora na saída da curva 11. Os dois seguiram até a 12 emparelhados e Button acabou saindo pelo atalho à direita. Nisso ele não devolveu a posição ao brasileiro e foi punido com um Drive &Trough. O inglês chiou, mas não teve jeito. A punição foi correta. Por outro lado, caso não tivesse acontecido à punição, Jenson poderia ter chegado mais à frente, em terceiro para ser mais direto. Tinha um bom carro em mãos e sua recuperação só confirmou a melhora da Mclaren que teve em Hamilton o seu melhor resultado com a segunda posição conquistada ontem. O assoalho do carro de Lewis se desprendeu após uma escapada no “S” após a reta dos boxes, danificando a peça e prejudicando sue andamento na prova que sugeria uma aproximação a Vettel que poderia resultar em disputa pela primeira posição. Coisa que eu não acreditava que poderia acontecer pelo controle que Sebastian tinha sobre a corrida.
Aos brasileiros só lamentações. Barrichello escapou na primeira volta, recuperou-se e quando tinha um bom ritmo acabou acertando a Mercedes de Rosberg. Isso resultou no abandono de Rosberg em seguida e na rodada de Rubens, que despencou várias posições. Mas o câmbio apresentou problemas faltando dez voltas para o fim da prova e isso forçou seu abandono. Massa teve uma largada soberba, pulando de oitavo para quinto. Seu duelo com Button, côo já disse, foi ótimo, com ele se defendendo bem dos ataques maciços de Jenson. Mas após a escapada de Button, Massa acabou entregando a posição para Alonso e seu desempenho só caiu. Marcou a melhor volta da prova, mas também foi só.
Ao lado de Vettel, os grandes nomes da corrida foram o de Petrov e Pérez. O russo conseguiu se colocar em sexto no grid e teve um desempenho tranqüilo por todo certame sem ser incomodado por ninguém na terceira posição, nisso que foi seu primeiro pódio na F1. Pérez estreou e conseguiu deixar todos boquiabertos. Não apenas a torcida e imprensa, mas também a Pirelli pelo fato dele ter sido o único a completar a prova com apenas uma troca de pneus, sendo que a maioria fez duas paradas e a previsão da fábrica era de três ou até quatro paradas. O mexicano, com uma pilotagem suave que preserva e muito os pneus, conseguiu subir de posições com essa estratégia, chegou a marcar a melhor volta da corrida e ficou a frente de Kobayashi na classificação final da corrida. Mas a sétima e oitava posições do duo da Sauber foram retiradas após a inspeção técnica ter verificado que asa traseira estava abaixo dos 10mm de curvatura regulamentado pela entidade. Foi uma pena. O resultado tinha sido ótimo para o estreante Pérez e para o Team Sauber.
O que esperar para a Malásia?

O desgaste de pneus tende a ser um pouco maior do que Melbourne pelo fato da pista malaia ser mais porosa. A chuva sempre é um fator a ser levado a sério por lá. Ano passado Vettel venceu com folga e isso sugere que ele tenha desempenho igual ou melhor do que o de 2010. Creio que a vitória não sairá das mãos do duo da Red Bull e por ventura, caso tenham algum problema, os Mclarens estarão prontos para vencer. Os Ferraris, no meu ver, terão um início de temporada complicado e essas outras duas provas pela Ásia serão um martírio para eles. Ambições? Só quando chegarem à Europa.
Massa se defende de Button, mas o inglês será punido ainda nas primeiras voltas do GP: foi o único duelo da corrida

Podem contar comigo: sem Kubica, ainda em recupereção, a Renault teve em Petrov o seu grande resultado da corrida.

Suave e rápido. assim foi a estréia de Sérgio Pérez que fez apenas uma parada na prova de ontem, contrariando as expectativas da Pirelli. Mais tarde viria a punição da FIA

RESULTADOS
Grande Prêmio da Austrália
Circuito de Albert Park- Melbourne- 27/03/2011



1.Sebastian Vettel (ALE/Red Bull Renault)
2. Lewis Hamilton (GBR/McLaren Mercedes): +22s2
3. Vitaly Petrov (RUS/Lotus Renault GP): +30s5
4. Fernando Alonso (ESP/Ferrari): +31s7
5. Mark Webber (AUS/Red Bull Renault): +38s1
6. Jenson Button (GBR/McLaren Mercedes): +54S3
7. Sergio Perez (MEX/Sauber Ferrari): +1min05s8
8. Kamui Kobayashi (JAP/Sauber Ferrari): +1min16s8
9. Felipe Massa (BRA/Ferrari): +1min25s1
10. Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso Ferrari): +1 volta
11. Adrian Sutil (ALE/Force India Mercedes): +1 volta
12. Paul di Resta (GBR/Force India Mercedes): +1 volta
13. Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso Ferrari): +1 volta
14. Nick Heidfeld (ALE/Lotus Renault GP): +1 volta
15. Jarno Trulli (ITA/Team Lotus Renault): +2 voltas
16. Jérôme d'Ambrosio (BEL/Virgin Cosworth): + 4 voltas

Abandonaram:
Timo Glock (ALE/Virgin Cosworth)
Rubens Barrichello (BRA/Williams Cosworth)
Nico Rosberg (ALE/Mercedes GP)
Heikki Kovalainen (FIN/Team Lotus Renault)
Michael Schumacher (ALE/Mercedes GP)
Pastor Maldonado (VEN/Williams Cosworth)

FOTOS: Agências AP e France Press

Um comentário: