quarta-feira, 14 de setembro de 2011

A nossa incompetência e a competência dos argentinos

Há uma situação aqui no Brasil que posso dizer que aplica-se a todos os esportes: incompetência. Talvez eu seja um pouco radical e apenas o Volêi se salva nesta lista, mas o resto não escapa.
O Brasil teve nos últimos 40 anos 3 pilotos campeões mundiais e uma série de vitória que nos condicionou o status de potência no automobilismo. Claro, era normal você ver um punhado de caras sair daqui com dinheiro contado - o que acontece até hoje - e eles chegarem na Europa e arrebentarem conquistando títulos e mais títulos nas categorias de base. A consequência  foi o sucesso arrebatador que tivemos na F1 neste período.
Pois bem, o que foi feito neste tempo todo para que pudessemos continuar fortes lá fora? Nada. Por aqui as coisas andam à mingua e o resultado é que perdemos uma pancada de corridas nos últimos anos. Primeiro foi a Le Mans Series em 2007, que até onde sei, tinham um contrato de 3 anos com a organização daqui e do nada optaram correr na China em 2008, o que também acabou acontecendo. Talvez tenham rolado algum desentedimento ou sei lá o que for. Agora perdemos a chance de ver provax da F- Super League por aqui, mais precisamente em Goiania e Curitiba. Pois bem, o circuito goiano está em obras e o que mais me deixa impressionado é que essa data já estava marcada há meses e o pessoal nem se mexeu para apressar esses reparos por lá. Aproveitando este atraso a categoria também tirou Curitiba do calendário. E pensar que o FIA GT também correria em Pinhais e e categoria preferiu ir para a China, onde as corridas foram muito boas neste fim de semana passado. Estamos indo ladeira abaixo.
Enquanto perdemos, os nossos hermanos ganham. E como. Não bastassem ter uma etapa do Mundial de Rallye, ainda contam com uma do FIA GT, Rally Dacar e, para 2013, uma etapa da Moto GP será realizada no circuito de Termas de Río Hondo. O melhor de tudo, para eles, é que a reforma deste circuito será bancada pelo governo nacional.
Aí está uma prática muito normal do governo argentino em sua história: apoiar o automobilismo. Desde muito tempo que eles bancam a entrada de seus pilotos no automobilismo internacional, junto da ACA (Automovel Clube Argentino). Foi assim com Juan Manuel Fangio, Oscar Gálvez, José Froilan Gonzalez entre outros noa anos 40/50. E os resultados foram os melhores destes pilotos por lá, em especial com Fangio, que venceu 5 títulos mundiais, com Gonzalez que virou ídolo ferrarista por ter sido o primeiro a vencer com a marca italiana no Mundial em Silverstone, 1951, fora outras grandes vitórias do "Touro dos Pampas". Nos anos 70 foi a vez de Carlos Reutemann receber este apoio e astiar novamente a bandeira argentina na F1. Claro que nunca mais o país teve um piloto na categoria máxima, mas ao menos eles, mesmo que enfrentando crises econômicas bravas, sempre apoiaram o automobilismo em sua base, ou seja, as fábricas. Portanto, mesmo que não tenham pilotos lá fora em chance de chegar na F1, ao menos eles criaram uma condição para os pilotos possam continuar as suas carreiras de modo seguro e claro, caso algum queira se aventurar lá na Europa, o governo e a ACA bancam a parada.
Por aqui continuamos na nossa mazela de sempre; autódromos mal cuidados, dinheiro sendo usado para festas milionárias, viagens, badalações e alguns pilotos que podem garantir uma sobrevida do país na F1, e em outras categorias, continuam negociando corrida à corrida o dinheiro para sobreviverem por lá.
Sim, eles levão e coisa à sério por lá. E pronto.

2 comentários:

  1. eles tem um turismo forte bons circuitos e o principal público. Que gosta de automobilsmo, aqui o pessoal só gosta de F1 e pq passa na Globo, pq se passasse em outro lugar quase ninguém ligaria...só os loucos por corridas, como nós

    ResponderExcluir
  2. Devemos também levar em conta que perdemos o F-1 Historic's ! Lembra??
    Se a gente juntar, a LMS, o FIA-GT e os históricos de F-1!! Vamos perceber quem se preocupa mesmo em trazer corridas internacionais para o Brasil!! Sem apoio de ninguem por iniciativa própria e ainda é acharcado com tachas extremamente abusivas vindas da CBA..
    Mas as noticias não são de todo ruins, ao divulgar-se essa noticia percebemos que em um blog se comentou o que é muito importante de se saber... Que á sim uma cizão, uma ruptura sem recuperação entre os organizadores da F-1 no Brasil e os dirigentes da CBA.. Isso só vem a demonstrar que esses organizadores mais a FIA atravéz de seu representante no Brasil não vão mais tolerar essas bozadas todas dos doninhos da confederação.. E que muito provavelmente teremos outras pessoas cuidando da confederação até o evento da F-1 deste ano... Oxalá seja verdade tudo isso do ínicio ao fim... O mais legal disso tudo é que quem deve comandar o esporte no Brasil deve ter a chancela da FIA e afia já avisou que só uma ou duas pessoas no máximo tem o seu...
    Éééé´meu amigo,,, esses dai brincaram muito com o nosso templo.. Passaram da conta, quando imputaram nele a culpa dos acidentes fatais ocorridos lá no café....
    Depois no dia da festança, comilança, e do pagamento de ""senhoritas"" hospitaleiras para entreter seus convidadods ilustres.. Veio o Pres daFIA DIZER QUE, o autodromo não tem problemas e sim os carros....
    Foi um baldão de água fria na cara dos deslumbrados e reizinho...

    ResponderExcluir