terça-feira, 29 de novembro de 2011

Foto 46: Um grande dia para todos nós

 Foto: Cibele Pereira
 Foto: Alexandre Antunes
 Foto: Artur Penteado Teixeira

Como a maioria que me conhece, ou me segue pelo twitter e facebook, sabe que não trabalhei este ano no GP do Brasil de Fórmula-1. É o terceiro ano consecutivo em que fico de fora, ou melhor, toda a equipe da qual faço parte desde 2002 Speed Fever, está sem trabalhar na corrida. Mas digo-lhes, que mesmo de longe, fiquei feliz para caramba com as voltas que Nelson Piquet deu a bordo da Brabham BT-49C do seu primeiro mundial de pilotos, conquistada 30 anos atrás numa prova de resistência que foi aquela de Caesar’s Palace. E claro, deu um pontinha de vontade de estar lá, pelo menos naquelas voltas, para ver este momento histórico assim como no ano passado, quando o Emerson Fittipaldi andou com a sua Lotus 72 JPS momentos antes da largada. E ao contrário daquela eterna picuinha entre Sennistas e Piquetistas, que foi muito alimentada pela imprensa, eu gosto do estilo despojado do Nelson Piquet. Sua irreverência, malandragem, esperteza, criatividade, contribuíram muito para o folclore da F1 dos anos 80, época que considero um das melhores da categoria.
As suas voltas em Interlagos no domingo passado foram demais, e ainda teve o adendo dele ter corrido empunhado uma bandeira do Vasco da Gama – seu time de coração – para provocar, em especial, os corintianos. E este gesto gerou vaias das arquibancadas e que alguns classificaram de falta de respeito com o momento. Sim, se formos observar pela homenagem que foi feita, realmente faltaram com respeito com aquele momento mágico. Mas o Nelsão não estava nem aí para o que havia acontecido, ou que estava para acontecer. Ele curtiu como um garoto que pilotava pela primeira vez um F1 e isso se pode ver assim que ele desceu do carro: um sorriso largo e constante. E como ele definiu bem, após uma pergunta da Mariana Becker se ele havia chorado, “tenho que chorar por coisas ruins, e sorrir das boas”. Ele sabe o que diz.
Voltando a minha vidinha daquele domingo, de frente às migalhas que a Globo jogava na TV, abri a internet do celular e vi duas fotos dos meus amigos, que lá estavam trabalhando como comissários de pista, especialmente dedicada para mim: da Cibele Pereira “Para você Paulo Abreu, com todo meu carinho” e do Alexandre Antunes “Em homenagem ao Sr. Paulo Abreu”. Na segunda-feira, outra foto, mandada pelo grande Artur Teixeira, estava encabeçando a minha lista de e-mails. Todas estas três fotos eram do Nelsão passando em cada local onde eles trabalharam neste fim de semana passado. Fiquei feliz pela lembrança, mas não chorei. Segui a dica do Nelsão, claro.
E aqui vos agradeço, mais uma vez! De coração!

4 comentários:

  1. Po uma pena que você não trabalhou nesse GP, mas compartilho da mesma emoção em ver o Piquet e da mesma opinião, o cara é foda, e o estilo foi smepre assim, provocador. Piquet mito!

    ResponderExcluir
  2. Não sou muito fã do Piquet mas admito que faltam pilotos como ele na Formula 1 há décadas!

    ResponderExcluir
  3. Paulão!! Essa nós perdemos!
    Ainda bem que eles não!
    Acho que nossa amiga Cibele estava no 15, o Alexandre no 20,o Artur não estou certo, mas deve ser o 14...
    Principalmente nossa querida Cibele poderia vir aqui e nos contar desse momento único..Juntar o Piquet dentro desse carro acho que nunca mais...
    Tá aí o que eu tô falando o tempo todo, esse circo foi armado só pra bater palmas por Piquet. Esse é o cara....
    Ê Paulão!!! tá cheio de moral com a rapaziada!!
    Beijão Cibele!!!
    GP to

    ResponderExcluir
  4. Acompanhei a carreira do Piquet e o admiro muito. Torci muito para ele e Senna quando rivalizam nas pistas. E foi mais que merecida a homenagem que fizeram para ele...

    temos de homenagear aqueles que conquistam grandes feitos...

    abs...

    ResponderExcluir