domingo, 5 de fevereiro de 2012

Comentando a Foto: Ingo Hoffmann - F5000, 1975

Ingo Hoffmann, 12 vezes campeão da Stock Car, é o segundo piloto a participar do “Comentando a Foto” e a imagem em questão é sobre a sua passagem pela F5000, categoria popular de monopostos dos anos 60, 70 e 80. Perguntei-lhe se foi feito algum convite para pilotar na categoria, como foi o seu desempenho e qual a diferença entre os F5000 e F1. Com a palavra, Ingo: “Na realidade não surgiu nenhum convite! Como eu ia testar o F1 no segundo semestre daquele ano, o Wilsinho me aconselhou a treinar com algum carro mais potente que o F3, que eu estava acostumado. Ai aluguei o F5000, justamente para treinar com um carro mais potente, visando o treino da F1. Acabei fazendo 2 corridas com o F5000, e fui super bem nas provas. A potência do F5000, naquela época, era maior que o F1, mas o chassis era inferior.” As duas provas em que Hoffmann foi bem aconteceram em Silverstone (28 de setembro) e Brands Hatch (19 de outubro). Na primeira prova ele terminou em sétimo após ter largado em quinto, enquanto foi quarto em Brands Hatch depois de ter largado em último. Ele deveria ter disputado uma terceira prova, em Mallory Park (12 de outubro), mas uma quebra de motor impediu que ele largasse. 
Nestas corridas, Ingo pilotou um Chevron B28 – Chevrolet V8 da equipe de T. Dean. 

Quero agradecer ao Ingo Hoffman pela atenção e recomendar uma entrevista que ele concedeu recentemente ao Marcos Antonio, do Blog GP Series. Leiam!

3 comentários:

  1. Hermoso Chevrón; una marca con autos muy lindos en las categorías anteriores a la F1 (F2, F3, F5000, etc). A Ingo lo recuerdo con el March de F2 en 1977/8 y con el Copersucar en la F1.
    Abrazos!

    ResponderExcluir
  2. Grande Ingo. infelizmente eu desconhecia essas corridas da F5000 do Ingo, fiquei devendo essa pergunta, mas que bom q vc a fez. Ingo é muito gente fina, já era fã dele, depois fiquei mais ainda!

    belo post!

    ResponderExcluir
  3. Paulo

    Belo registro. Belo post. O Ingo é um cara que merece sempre ser lembrado.

    Valeu

    ResponderExcluir