segunda-feira, 19 de março de 2012

Grande Prêmio da Austrália - Corrida - 1ª Etapa

Foto (Reuters)
Lewis tinha motivos de sobra para sorrir no sábado. Tinha feito um volta perfeita, desbancando Button por 0’’152 décimos. Um tempo de respeito. Jenson Button, ao seu lado, sorria também, pois o bom desempenho da McLaren naquele classificatório indicava uma prova de domínio total do time de Woking. Lewis do lado mais limpo levava vantagem, claro. Button, a parte mais suja, tinha que tomar cuidado com o Grosjean que havia levado, de modo soberbo, a Lotus a um excelente terceiro lugar no grid. Cenário mais do que perfeito para que Hamilton pudesse colocar seu ritmo tranquilamente. Carros alinhados, as luzes vermelhas se apagam uma por uma. Largada. Hamilton patina, assim como Grosjean, Webber e outros que largaram na parte mais limpa. Button pula na frente e começa a construir uma boa vantagem sobre Lewis. E assim começou o reinado de Jenson tarde à dentro no parque de Melbourne.
A cara amarrada de Hamilton no pódio, contrastando com o seu sorriso aberto de um dia antes, não foi apenas pelo fato de ter perdido um segundo lugar garantido para Vettel durante o Safety Car, mas sim pelo que foi apresentado por Button. Uma largada simples, tracionando melhor, Jenson colocou-se à frente após a primeira curva e após cinco, seis voltas, já estava com mais de três segundo na conta. E após a primeira parada de box, essa vantagem subiu para onze. Button administrou de forma imaculada e mesmo quando Hamilton dava um jeito de cravar o melhor tempo em voltas seguidas, ele dava a resposta e mantinha a diferença congelada nos mesmos dez segundos. Magistral. Apesar de achar que Hamilton tenha adotado uma postura mais conservadora nessa corrida, o que é louvável pelo que andou a fazer nos últimos dois anos, dificilmente bateria seu companheiro nessa corrida.
A McLaren tem um bom carro, mas ainda não podemos chamá-lo de “o carro a ser batido”. O bólido é bom, principalmente em treinos e no ritmo de corrida a Red Bull está bem próxima, ou igual, como bem mostrou Vettel e Webber. A Mercedes também figura nesse quesito, mas foi decepcionante. Schumacher quebrou logo e Rosberg ficou batalhando posições contra Webber e Alonso. O espanhol esteve numa tarde brilhante com um carro tão pavoroso que é este F2012 e o levou no braço até uma inesperada quinta posição. Outro que fez uma bela corrida, a melhor da sua carreira até aqui, mas não teve resultado algum, foi Maldonado que infernizou o pelotão intermediário travando boas disputas contra Alonso, Perez, Webber e Raikkonen. Mas acabou batendo na última volta quando perseguia de perto o espanhol da Ferrari. Ao menos esse bom trabalho do venezuelano na corrida serviu para mostrar que o carro da Williams é decente e que pode render alguns pontos nessa temporada. Por último, a Sauber que colocou seus dois carros na zona de pontos por obra de Kobayashi e Perez. O primeiro trabalhou pesado em vários duelos e venceu todos, enquanto que o segundo, após largar em último por causa de uma troca de câmbio, conseguiu fechar em oitavo com apenas uma parada de box.
A corrida foi boa, principalmente no meio do pelotão onde a diferença entre forças esteve muito próxima. E assim deverá ser na Malásia, semana que vem. Como não dá para mudar nada em uma semana, acredito que tenhamos um cenário parecido com o que vimos nesta primeira etapa. E por lá, ainda tem o agravante que pode aparecer chuva a qualquer momento da corrida. Vai ser interessante. 
Alonso e Kimi foram alguns dos destaques desta primeira etapa. Foto (Getty Images)

Button saiu melhor que Hamilton em Melbourne e não teve trabalho durante a corrida. Mais atrás a Toro Rosso de Ricciardo pronta para espalhar e causar o entrevero na primeira curva. Foto (Getty Images)


Alonso deu mais uma vez provas do seu excepcional talento ao levar a carroça da Ferrari a quinto lugar, até então impensável. Mais atrás Maldonado, que fez a melhor corrida da sua carreira e mostrou que a Williams terá mais chances de pontos neste ano. Mas o acidente na última volta acabou com a possibilidade dos primeiros pontos. Foto (Reuters)

Schumacher esteve em grande forma no fim de semana, e se não fosse o problema de câmbio poderia ter disputado um lugar no pódio.   Foto (Reuters)


O aluno e o professor: Vettel teve um breve confronto com Schumi na prova. Foto (Getty Images)



Resultado Final
Grande Prêmio da Austrália
Circuito de Melbourne – 58 Voltas – 1ª Etapa 18/03/2012

1. Jenson Button (GBR/McLaren Mercedes)
2. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull Renault): +2s1
3. Lewis Hamilton (GBR/McLaren Mercedes): +4s0
4. Mark Webber (AUS/Red Bull Renault): +4s5
5. Fernando Alonso (ESP/Ferrari): +21s5
6. Kamui Kobayashi (JAP/Sauber Ferrari): +36s7
7. Kimi Räikkönen (FIN/Lotus Renault): +38s0
8. Sergio Perez (MEX/Sauber Ferrari): +39s4
9. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso Ferrari): +39s5
10. Paul di Resta (GBR/Force India Mercedes): +39s7
11. Jean-Eric Vergne (FRA/Toro Rosso Ferrari): +39s8
12. Nico Rosberg (ALE/Mercedes): +57s6
13. Pastor Maldonado (VEN/Williams Renault): +1 volta
14. Timo Glock (ALE/Marussia Cosworth): +1 volta
15. Charles Pic (FRA/Marussia Cosworth): +5 voltas
16. Bruno Senna (BRA/Williams Renault): +6 voltas

Não completaram
Felipe Massa (BRA/Ferrari): a 12 voltas
Heikki Kovalainen (FIN/Caterham Renault): a 20 voltas
Vitaly Petrov (RUS/Caterham Renault): a 24 voltas
Michael Schumacher (ALE/Mercedes): a 46 voltas
Romain Grosjean (FRA/Lotus Renault): a 55 voltas
Nico Hulkenberg (ALE/Force India Mercedes): a 58 voltas
Pedro de la Rosa (ESP/HRT Cosworth): não largou
Narain Karthikeyan (IND/HRT Cosworth): não largou

Nenhum comentário:

Postar um comentário