segunda-feira, 28 de maio de 2012

Grande Prêmio de Mônaco - Corrida - 6ª Etapa


Webber foi mais rápido que Vettel em todo fim de semana em Mônaco e mereceu a
vitória. Agora divide a vice-liderança com o próprio Vettel, somando 73 pontos cada
(Foto: AP)
Apesar de todas as rezas, torcidas, mandingas, figas para que a chuva caísse, a prova de Mônaco foi chata? Não. Talvez não tenha sido fantástica, o que não foi, mas teve um tom interessante que era saber quando a chuva viria ou, então, se a turma da frente, Webber, Rosberg e Alonso, se agüentariam com aqueles jogos de pneus macios, que haviam colocado quando a prova ainda rodava na casa das 20 voltas, até o fim. Isso era a grande questão, já que Vettel, que largara apenas em nono, tinha liderado um bom par de voltas e agora se encontrava na quarta posição faltando menos de 20 voltas para o término. Se os líderes parassem, Sebastian sairia para uma vitória sensacional, uma vez que ele havia saído de uma quinta fila para derrubar os favoritos daquela prova que tinham largado nas duas primeiras filas. Ou então prevalecia a máxima de Mônaco e ele teria que contentar-se com aquela quarta colocação. De fato, a segunda opção foi o que acabou por se concretizar. A única chance de modificar algo naquelas últimas voltas era, no máximo, uma chuva que só veio após o fim da corrida, quando pilotos e engenheiros já estavam reunidos em seus boxes discutindo os resultados prós e contras daquela corrida em Monte Carlo.
Mark Webber tornou-se o sexto vencedor diferente neste campeonato, correndo em boa parte da prova com Nico Rosberg muito próximo. Principalmente nas últimas sete voltas, quando não apenas Nico, mas Alonso, Vettel, Hamilton e Massa estiveram separados apenas três segundos por algumas voltas. Apesar de uma chuva mais pesada não ter aparecido para bagunçar a corrida, os fracos pingos que caíram nas voltas finais, umedeceram alguns pontos da pista, em especial a freada a chicane do Porto e a Rascasse, dois locais críticos daquele traçado. Um erro de Webber poderia resultar num engavetamento ou num acidente que tiraria muita gente boa que vinha atrás dele. Mas todos eles, sem exceção, estavam cautelosos. Alonso preferiu resguardar-se e não atacou Rosberg, assim como Vettel também não foi incisivo para cima do espanhol e Hamilton procurou ficar atento a um possível ataque de Massa, que fez a sua melhor corrida nesta temporada e também desde o GP da Alemanha de 2010. Portanto, eles pensaram muito mais nos pontos que ganhariam do que em tentar arriscar e dar com a cara no guard rail. Ainda mais num campeonato tão embaralhado como este, perder um mísero ponto complicará bastante a no final da temporada.  
Se você estava afim de alguma emoção, deveria cobrar dos caras da FOM que manejam as câmeras. Lá no fundo do pelotão o pau comeu solto, principalmente com Sergio Perez que veio barbarizando, literalmente, ganhando posições como podia ao bater rodas, rodar, ultrapassar na marra. Fez de tudo. Kovalainen também foi sensacional ao não dar chances a Button, que fez uma das suas mais apagadas corridas no ano, quando disputavam posições no pelotão intermediário. Algo que fez lembrar o duelo entre Coulthard e Bernoldi, lá mesmo em Mônaco no ano de 2001, quando o brasileiro segurou o escocês por inúmeras voltas. Isso rendeu reclamações fortes por parte de David e Ron Dennis. Dessa vez só Button que falou algo sobre o desempeno do finlandês, que tem sido constante com esse carro desde 2010.  
Com Alonso liderando o mundial com três pontos de avanço sobre o duo da Red Bull, Vettel e Webber, a F1 estará em Montreal daqui algumas semanas. Pista que costuma ser surpreendente e reservar grandes doses adrenalina para quem assiste ou trabalha nesta corrida. Talvez possamos conhecer o sétimo vencedor diferente por lá. E lembre-se: Hamilton é genial naquele traçado.
Enquanto que Webber sustenta a primeira posição, Grosjean se enrosca com Alonso
e Schumi. O suiço acabou por abandonar.
(Foto: AP)

Kobayashi acertou o carro de Grosjean e também abandonou por problemas
na suspensão traseira.
(Foto: Reuters)

Maldonado tinha grande expectativa para esta prova, que comeou a desmoraonar-se no
sábado ao ficar em último por causa de punições. Enroscou-se com De La Rosa e abandonou em seguida.
(Foto: AP)

Alonso teve a presença de Massa por um bom tempo na corrida. O espanhol terminou
em terceiro e Felipe foi sexto, na sua melhor corrida dos últimos dois anos.
(Foto: Reuters)

Vettel teve possibilidades de até vencer em Monte Carlo, caso a chuva tivesse caído.
Mas acabou em quarto e está três pontos atrás de Alonso na classificação.
(Foto: AP)

Resultado Final
Grande Prêmio de Mônaco - 6ª Etapa
Circuito de Monte Carlo
78 Voltas - 27/052012

Mark Webber (AUS/Red Bull) - 1h46min06s557
Nico Rosberg (ALE/Mercedes) - a 0s643
Fernando Alonso (ESP/Ferrari) - a 0s947
Sebastian Vettel (ALE/Red Bull) - a 1s343
Lewis Hamilton (ING/McLaren) - a 4s101
Felipe Massa (BRA/Ferrari) - a 6s195
Paul di Resta (ESC/Force India) - a 41s500
Nico Hulkenberg (ALE/Force India) - a 42s500
Kimi Raikkonen (FIN/Lotus) - a 44s000
Bruno Senna (BRA/Williams) - a 44s500
Sergio Pérez (MEX/Sauber) - a 1 volta
Jean-Éric Vergne (FRA/Toro Rosso) - a 1 volta
Heikki Kovalainen (FIN/Caterham) - a 1 volta
Timo Glock (ALE/Marussia) - a 1 volta
Narain Karthikeyan (IND/HRT) - a 2 voltas

Não completaram
Jenson Button (ING/McLaren)
Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso)
Charles Pic (FRA/Marussia)
Michael Schumacher (ALE/Mercedes)
Vitaly Petrov (RUS/Caterham)
Kamui Kobayashi (JAP/Sauber)
Pedro de la Rosa (ESP/HRT)
Pastor Maldonado (VEN/Williams)
Romain Grosjean (FRA/Lotus)

Nenhum comentário:

Postar um comentário