domingo, 15 de março de 2015

GP da Austrália: Morno, mas com boas surpresas

A Sauber foi a boa surpresa desta primeiro GP, apresentando um carro rápido e confiável.
E isso permitiu a seus dois pilotos conquistarem 14 pontos, algo que a equipe, em 2014, nem passou perto.
De vez em quando os testes de pré-temporada escondem muito o atual desempenho das equipes. Mas neste ano, as coisas parecem ter sido mais claras. O fato do pouco tempo de preparação (apenas 12 dias), não dá tempo da equipe aprontar os blefes que as levam a ganhar destaques nos noticiários, podendo gerar o interesse de algum investidor. Nessa época em que "tempo é dinheiro", não há muito o que disperdiçar: é fazer o carro, trabalhar duro e tentar fazer o máximo para desenvolvê-lo.
Nesse quesito destaco a Sauber, que teve uma pré-temporada muito positiva, mas que gerava uma certa desconfiança devido as ótimas performances apresentadas por Nasr e Ericsson que mais pareciam uma isca para atrair mais patrocinadores. Porém, o bom trabalho continuou até o último dia dos testes.
Os problemas judiciais com Giedo van Der Garde que quase melaram o fim de semana da Sauber, atrasaram em um treino o trabalho de seus dois pilotos, mas o desempenho apresentado por Nasr na classificação foi positiva. Conseguiria algo na corrida? Talvez...
A agressividade de Nasr na largada e a luta incessante de Ericsson para escalar o pelotão, foi o ponto alto do time na corrida. Mas o carro também se mostrou rápido e confiável, e esse é um ponto a ser
observado pelas próximas etapas.

A corrida


Sem dúvida alguma a Mercedes está num nível acima dos demais, o que caracterizou numa corrida (mais uma) solitária para seus pilotos. Mas Rosberg não teve qualquer chance contra Hamilton, que fez mais uma corrida sensacional e se o grau de performance e concentração for o mesmo, ou maior, pelas próximas provas, ele minará qualquer chance de Nico.
A Ferrari mostrou o quanto que o carro e motor melhoraram. O ritmo de Vettel e Raikkonen, que conseguiu um bom números de voltas velozes que poderiam ter lhe dado a chance de brigar com Massa pelo quarto lugar, mostra que o trabalho de Allison e sua equipe técnica no inverno europeu foi crucial para este grande salto. E o melhor: o carro consome pouco pneu, o que já é uma marca registrada de Allinson desde a Lotus. Vettel e Raikkonen vão se divertir bastante neste ano.
Massa conseguiu um quarto lugar para Williams quando o terceiro era praticamente garantido, mesmo com a presença constante de Vettel no seu retrovisor. Mas a sua parada de box o relegou para quarto e os pneus médios não ajudaram na tentativa de aproximar de Vettel. Será um duelo interessante entre Williams e Ferrari neste ano.
A Red Bull terá bastante o que fazer. Talvez o carro seja bom, mas o motor Renault não está grande coisa e isso já dispertou a ira na equipe. Ricciardo salvou um sexto lugar no braço, enquanto que Kvyat nem largou devido problemas no câmbio.
A Toro Rosso apresentou um bom ritmo com seus dois novatos, sendo que Sainz conseguiu seus primeiros pontos e Verstappen ficou pelo caminho. Mas o carro é bom, pena que o motor não ajuda muito.
O calvário da Mclaren Honda ainda teve o capitulo da não largada de Magnussen, devido o estouro do motor ainda na volta de instalação para o grid. Button se virou como pôde nas 58 voltas do GP e ainda teve uns brilharetes, que foi a batalha contra Perez. No entanto, foi aquilo que estamos vendo desde a pré-temporada: motor sendo usado em modo de segurança para não explodir, o que torna o carro extremamente lento - este que chegava rodar até quatro segundos mais lento que os rivais.
Malásia será mais um capitulo interessante, e o calor, aliado a umidade, será um fator a ser fortemente trabalhado pelas equipes.
Ainda mais na Mclaren.

Nenhum comentário:

Postar um comentário