sábado, 23 de maio de 2015

24 Horas de Le Mans em 83 fotos: 10ª O domínio da Alfa se intensifica

A segunda para a Alfa Romeo em Le Mans com Chinetti e Sommer
Se os anos 20 foram de cores verde britânico, os anos 30 pareciam fadados a vermelho italiano. A Alfa Romeo levara seis carros (todos de modelo 8C, mas havia um sétimo Alfa 6C, de propriedade de Odette Siko, que correu sem o apoio da fábrica) para as 24 Horas de 1932, sendo que dois eram oficiais e seriam pilotados por Ferdinando Minoia/ Carlo Canavesi #10 e Franco Cortese/ Gian Battista Guidotti. Para confrontar o domínio dos italianos, a Bugatti contava com quatro carros (todos particulares) enquanto que a Mercedes era mais uma vez representada em forma de equipe particular, ma desta vez com Henri Stoffel inscrevendo um SSK para Marcel Fourcret/ Paul Fourcret.
Apesar da aparente força dos concorrentes, nenhum deles foram páreo para a Alfa: enquanto que um velho Bentley 4 1/2 saiu da prova logo na primeira volta, o Mercedes da equipe de Stoffel não aguentou o ritmo e quebrou o motor ainda nas primeiras horas de prova. O caminho ficou aberto para que a Alfa Romeo dominasse a corrida amplamente, mesmo debaixo de um sol escaldante que foi eliminando a concorrência aos poucos. Quatro Alfas ocupavam a quatro primeiras colocações, mas contratempos acabaram forçando a retirada de dois deles: Tim Birkin (Alfa #9) parecia mais uma vez com chances reais de vencer a sua terceira Le Mans, mas um furo no tanque de gasolina o fez desistir. Minoia, no Alfa oficial, estava em grande forma e havia feito a melhor volta, mas em seguida acidentou-se e deixou caminho aberto para que o Alfa semi-oficial #8 de Raymond Sommer/ Luigi Chinetti assumisse a liderança. Com Chinetti pilotando por volta de 20 horas, a Alfa Romeo chegava à sua segunda vitória nas 24 Horas de Le Mans. Em segundo o Alfa oficial de Cortese/ Guidotti e em terceiro o Talbot #6 de Brian Lewis/ Tim Rose-Richards. Destaque para Odette Siko e seu Alfa 6C #18 em parceria com Louis Charaval, que fechou em quarto e por muito pouco - cerca de 25 km de diferença - não terminou no pódio. A vittória da Alfa Romeo proporcionou à fábrica de pneus Englebert a primeira vitória em Sarthe.
A pista de Le Mans sofreu mais uma alteração, grande por sinal: a parte da reta que seguia pela cidade de Rainieres, foi fechada e agora uma nova seção, chamada de Tertre Rouge, fora criada. Agora a pista diminuia dos seus 16.340 metros para 13.492 metros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário