segunda-feira, 4 de maio de 2015

Foto 512: Melhor que a encomenda

(Foto: David Lord/ DailySportscar.com)
Para os fãs que devem ter vibrado a cada prova do WEC ano passado, a espera pelo mundial deste ano era de grande entusiasmo e furor, principalmente pela entrada da Nissan no certame, formando assim um quarteto de respeito na LMP1. Mas apesar da ausência da fábrica japonesa, que precisou ficar de fora das duas primeiras etapas para corrigir o enorme atraso do seu GT-R LM Nismo LMP1 para os adversários, as duas provas foram espetaculares e ofereceram ao público presente em Silverstone e Spa, corridas de alto nível técnico e de estratégia pura, sem contar, claro, com duelos viscerais entre as duas fábricas germânicas.
O retorno da Audi ao seu lugar habitual após uma temporada bem abaixo da sua qualidade, como foi em 2014, acabou por ser o grande toque a este mundial. Porque se olharmos como a Toyota tem se comportado até aqui e o nível de competitividade alcançado pela Porsche, a equipe de Weissach teria trucidado a concorrência sem nenhuma piedade nas duas corridas. Mas com duas provas ganhas na base da estratégia, derrubando um 919 Hybrid que tem sido o carro mais veloz do mundial, no dá a impressão que a Audi fará provas ainda mais espetaculares. E o mais importante: a Porsche elevará a disputa a outros níveis devido esse conjunto quase imbatível que apresentou até aqui. Digo imbatível porque a Audi os derrubou nas estratégias até aqui, conseguindo esticar ao máximo o uso dos pneus com stints bem longos, como foi no caso de Spa. Se a Porsche acertar as estratégias e junto disso aparar os erros que os seus pilotos tem cometido, as coisas ficarão ainda mais interessantes.
Para a Toyota, que não se acertou até aqui, restará apenas testar incansavelmente para tentar tirar este pequeno atraso para os alemães. Talvez ainda tenham o motor mais potente, mas o carro parece ser bem atrasado em comparação seus rivais mais próximos. Será um trabalho bem duro para a turma de Pascal Vasselon.
A diferença é que em Le Mans nem sempre quem está bem é a favorita. E as edições passadas, mostraram muito bem isso.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário