segunda-feira, 1 de junho de 2015

24 Horas de Le Mans em 83 fotos: 15ª Uma vitória inesperada para a Delahaye

Os Delahaye 135CS #15 e #14 na foto após a prova: uma vitória de presente após a desistência da Alfa Romeo
Mais uma vez a armada francesa estava à postos para tentar outra vitória em Le Mans: dos 42 carros que largaram para esta edição de 1938 vinte e cinco eram locais, sendo que a maior parte eram de Talbot, Delahaye, Peugeot e os carros da ítala-francesa Simca. Mas mesmo assim, as coisas ainda pendiam para o lados dos italianos da Alfa Romeo: apesar de apenas dois carros estarem presentes para esta prova com equipes particulares - o Alfa Romeo #19 com o novo modelo 8C 2900B de carroceria fechada, de propriedade de Raymond Sommer, teve o apoio da recém formada Alfa Corse, que ainda tinha os comandos de Enzo Ferrari. Já o outro Alfa #21 era de Marcel Horvilleur em parceria com Yves Matra - eram uma ameaça a grande esquadra francesa.
A prova em si parecia realmente fadada a ser da Alfa Romeo, que tentava retomar a linha de frente após duas edições em que ficaram pelo caminho. O Alfa de Raymond Sommer/ Clemente Biondetti estavam intocáveis na primeira colocação, enquanto que alguns Delahaye, que pareciam ser os únicos com certa capacidade de parar a Alfa Romeo, ficavam pelo caminho: o #1 de René Dreyfus/ Louis Chiron teve problemas de superaquecimento e o #2 de Gianfranco Comoiti/ Albert Divo teve avaria no câmbio. Todos os dois carros eram os novos 145 e o que ficou em pista eram os velhos Type 135. E um destes é que deu à fábrica francesa o que era inesperado: quando tudo parecia certo para a vitória de Sommer/ Biondetti, o Alfa parou repentinamente com problemas na válvula quando faltavam apenas dezesseis voltas para o fim e toda uma diferença que eles haviam construído para os franceses, com cerca de doze voltas de avanço, foi para o ralo. Dois Delahaye que vinham em segundo e terceiro (#15 e #14) continuaram firmes para conseguir, ao final de 235 voltas, a tão esperada vitória para a Delahaye após duas boas apresentações em 1935 e 1937. Eugéne Chaboud/ Trémoulet, com o #15, foram os vencedores, com o #14 de Gaston Serraud/ Yves Giraud-Cabantous em segundo e a terceira posição para Talbot #5 de Jean Prenant/ André Morel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário