segunda-feira, 8 de junho de 2015

Foto 519: Um GP anormal

Os senhores da prova: enquanto que Massa arrancava uma ultrapassagem na marra contra Ericsson...

... Sebastian Vettel travava um rápido, mas intenso duelo com Fernando Alonso.
Tem sido normal assistirmos as últimas corridas em Montreal e depararmos com provas totalmente caóticas e de resultados definidos quase que nas últimas voltas. Ora isso acontecia por uma estratégia bem feita pela equipe e piloto, deixando para atacar apenas na parte final, ou até por condições climáticas que mudavam a todo o momento. Os altos desgastes dos pneus também contribuíram bastante nos últimos anos para tivéssemos provas bem doidas, principalmente após a adoção dos Pirelli. Chegamos a ver alguns GPs do Canadá em que os pilotos começavam a parar para o pit-stop ainda nas primeiras voltas, coisa de três, cinco voltas após a largada. E sempre que isso acontecia, era sinal que teríamos uma prova bem imprevisível. A corrida de ontem foi “anormal” para os padrões de GPs canadianos que acostumamos a ver, mas ainda sim foi uma boa prova.
Sebastian Vettel e Felipe Massa salvaram a corrida exatamente por terem largado lá de trás e consequentemente, com dois carros bem superiores aos que iam à frente, a esperança é que fizessem o que era de se esperar. E conseguiram: Sebastian e Felipe terminaram respectivamente em quinto e sexto depois de travarem boas disputas para conseguir chegar a essas colocações. Enquanto que Vettel teve trabalho para ultrapassar Alonso e Hulkenberg, Massa ralou para tentar superar Ericsson ainda no início da prova. Mas mostrando uma velocidade um pouco maior que o brasileiro – e aparentemente uma estratégia mais eficaz – deu à Vettel a oportunidade de terminar à frente após ter largado em 18º. Juntando o desempenho deles mais os de Bottas e Raikkonen, podemos dizer que foi o primeiro embate real entre a Ferrari e Williams na temporada onde o resultado desta vez pendeu para o lado da equipe britânica com Valtteri conseguindo quebrar pela primeira vez no ano, a sequência de pódios que tinha apenas reunido os dois pilotos da Mercedes e um da Ferrari até aqui. O erro de Kimi Raikkonen após uma de suas paradas acabou dando ao seu compatriota a chance de subir para terceiro e ficar ali até o fim.
Em relação às Mercedes, uma prova solitária que viu Hamilton cravar mais uma conquista neste ano e abrandar uma possível ameaça por conta de Rosberg, que andou próximo dele durante toda a corrida e que se intensificou na última parte. Mas a reservas guardadas por Lewis e mais os problemas de freios de Nico, ajudaram a afastar qualquer possibilidade de ataque por conta do alemão. E fica cada vez mais que claro que, apesar da Ferrari ter mostrado uma melhora em Montreal com a evolução do motor, a Mercedes ainda tem a resposta em seguida.

A eterna história em ter que economizar combustível e pneus mais duradouros, talvez tenham sido os grandes “vilões” para tornar este GP do Canadá o mais “anormal” das últimas edições. Mas não foi uma corrida de todo mal.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário