segunda-feira, 16 de abril de 2012

Grande Prêmio da China - Corrida - 3ª Etapa

Rosberg, enfim, chegou à sua primeira vitória na F1.
FOTO: REUTERS
A pole de Rosberg havia sido recebida com alegria, mas ainda tinha uma corrida para ser realizada e todos na Mercedes sabiam bem que as limitações do carro, por causa do alto desgaste de pneus, era grande e isso poderia prejudicar-lhes durante as 56 voltas. Mas a cada volta que se passava o jogo melhorava à favor de Nico: inicialmente a desistência de Schumacher, após um erro do mecânico durante o seu primeiro pit-stop, deixou Rosberg mais isolado na frente e nem a proximidade de Button, em laguns momentos, o abalou. Os pneus, que eram o principal ponto fraco dos Mercedes, resistiram e Nico foi um dos poucos, se não o único, a não sentir tanto os efeitos do desgaste que pegou os outros pilotos de calças curtas, principalmente nas últimas 20, 16 voltas quando os duelos pelas posições, mais precisamente da segunda para trás, foi de uma intensidade tremenda. E isso deu à corrida um interesse, até porque estava modorrenta e dependente apenas das estratégias dos times. Button também foi vitíma do erro de um mecânico no seu último pit stop, e juntando o fato de ter ficado retido por voltas e voltas atrá de Raikkonen, isso acabou atrapalhando-o na tentativa de buscar a liderança de Nico.
Os pneus Pirelli determinaram o passo da corrida, mas isso só ficou mais latente quando a prova caminhava para o seu final. As disputas ficaram mais intensas e ferozes, como no duelo entre Grosjean vs Maldonado vs Alonso vs Pérez, que por algum momento chegaram a tocar rodas. Pérez não limitou-se à essa disputa. Travou rodas por várias vezes ao defender a sua terceira posição contra Hamilton por duas voltas e nas últimas voltas, esteve discutindo com seu companheiro Kobayashi. O trenzinho formado por Raikkonen, que ocupava a segunda posição à 16 voltas do fim, ajudou para houvesse ótimos duelos na casa dos pontos também atrasou Button em tentar chegar em Rosberg. Raikkonen despencou várias posições quando os seus pneus não aguentaram mais, Seguindo este exemplo de Kimi, que ficou apenas com duas paradas de box, Vettel conseguiu andar em segundo por algumas voltas, mas cairia para quinto no final após seus pneus desgastarem. Hamilton fechou em terceiro, repetindo a mesma colocação que conquistara nas duas provas iniciais e com isso, está liderando o mundial. Um feito interessante por sua parte, pois tem tido atuações sólidas deixando a afobação de lado, que o tanto prejudicou nos últimos anos.
Rosberg venceu e tirou um peso das costas. Da sua geração, de pilotos bem sucedidos em categorias menores, ele era o único que não havia marcado pole e nem vencido. Robert Kubica, Heikki Kovalainen, Lewis Hamilton e Sebastian Vettel, já estavam com vitórias e até títulos nas costas. Nico, que estreara em 2006 no Bahrein pela Williams marcando um ponto e fazendo a melhor volta, passou épocas difíceis na equipe do tio Frank e achou na Mercedes um lar em que poderia, enfim, mostrar o seu trabalho e pensar seriamente em vencer corridas. Demorou, mas ela veio. 
E com essa vitória, a Mercedes se dá a oportunidade de pensar alto neste ano.
Button teve chance de tentar a vitória em Xangai, que foi arruinada por um erro no último pit stop e depois pelo atraso que tivera atrás de Raikkonen e Vettel em disputas por posições.
FOTO: AP


Alonso fez o que pôde com o seu Ferrari, mas acabou termindo onde largou: em nono. Webber levou o seu Red Bull até a quarta colocação e teve bons duelos durante a prova.
FOTO: REUTERS

Nico e Schumacher conseguiram sustentar as suas posições após a largada, algo que Kobayashi não fez ao despencar de terceiro para sétimo.
FOTO: REUTERS


Bruno fez outra boa corrida ao terminar em sétimo, logo à frente de Maldonado. Poderia ter conseguido a sexta posição, mas perdeu-a para Grosjean durante as batalhas das últimas voltas.
FOTO: REUTERS


De terceiro em terceiro...: Hamilton repetiu a mesma colocação final nestas três corridas do campeonato, até aqui disputadas e é o novo líder do mundial. É a prova de que está pensando mais no campeonato do que na corrida em si. Teve um duelo dos bons com Sérgio Pérez, que o segue nesta foto.
FOTO: AP


Massa até que conseguiu um bom desempenho no início da corrida e a estratégia parecia ser boa, visando a casa dos pontos no final da corrida. Parecia. Ele terminou em 12º, à frente de Raikkonen que sofreu com o desgaste dos pneus e despencou de 2º para 13º no final. Koba marcou 1 ponto, mas esperava-se mais dele nesta prova depois da bela classificação do sábado.
FOTO: REUTERS


Grande Prêmio da China
Circuito de Xangai - 56 voltas
15/04/2012 - 3ª Etapa

1. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) - 1h36min26s929
2. Jenson Button (ING/McLaren) - a 20s626
3. Lewis Hamilton (ING/McLaren) - a 26s012
4. Mark Webber (AUS/Red Bull) - a 27s924
5. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull) - a 30s483
6. Romain Grosjean (FRA/Lotus) - a 31s491
7. Bruno Senna (BRA/Williams) - a 34s597
8. Pastor Maldonado (VEN/Williams) - a 35s643
9. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) - a 37s256
10. Kamui Kobayashi (JAP/Sauber) - a 38s720
11. Sergio Pérez (MEX/Sauber) - a 41s066
12. Paul Di Resta (ESC/Force India) - a 42s273
13. Felipe Massa (BRA/Ferrari) - a 42s700
14. Kimi Raikkonen (FIN/Lotus) - a 50s500
15. Nico Hulkenberg (ALE/Force India) - a 51s200
16. Jean-Eric Vergne (FRA/Toro Rosso) - a 51s700
17. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso) - a 1min03s100
18. Vitaly Petrov (RUS/Caterham) - a 1 volta
19. Timo Glock (ALE/Marussia) - a 1 volta
20. Charles Pic (FRA/Marussia) - a 1 volta
21. Pedro de la Rosa (ESP/Hispania) - a 1 volta
22. Narain Karthikeyan (IND/Hispania) - a 2 voltas
23. Heikki Kovalainen (FIN/Caterham) - a 3 voltas             

Nenhum comentário:

Postar um comentário