sábado, 24 de abril de 2010

Que tal uma corrida com pista seca?

As 4 etapas iniciais do mundial de F1 foram distintas. Se a prova de abertura no Bahrein foi sonolenta a ponto de você ter se arrependido ao acordar as oito da manhã para assisti-la, concerteza você ficou de olhos bem arregalados para acompanhar as três corridas seguintes no Austrália, Malásia e China onde, por causa da chuva, as coisas ficaram embaralhadas e assim tivemos provas de um nível altissímo, coisa que era rara. Mas mesmo assim serviu para mostrar quem são as forças deste mundial.
Começando pelo Bahrein, a briga se manteve entre a Red Bull de Vettel e as Ferraris de Alonso e Massa que perseguiram o alemão a corrida toda, abrindo grande vantagem para Rosberg quem vinha logo em seguida. O domínio foi grande por parte dos três, mas para Vettel as coisas pioram quando o escape do motor Renault quebrou e ele teve que ceder passagem para Alonso, Massa e Hamilton ficando assim em quarto na prova e perdendo uma vitória que estava no bolso, pois tinha uma vantagem de 2.5 que estava a administrar bem para Alonso. O espanhol venceu a única prova que não teve a interferência da chuva e momento algum.
Na Austrália a chuva tinha feito as coisas ficarem confusas na largada, com o enrosco de Button com Alonso e Schumi que relegou os três a fazerem uma prova de recuperação. No caso de Button ele tinha treocado pneus intermediários por slick quando a pista começou a secar. Já Alonso e Schumi cairam para o fundão por causa do enrosco de ambos. Mas mesmo com esses contratempos Button conseguiu chegar à frente, mesmo no momento em que estava conformado com a segunda posição, afinal Vettel estava intocável na liderança mas outro problema, agora com os freios, o tirou da prova deixando caminho aberto para o inglês vencer a sua primeira corrida pela Mclaren. Outro azar para o alemão, mas os Mclarens mostravam sua força nesta prova com a vitória de Button e o ótimo desempenho de Hamilton após grande batalhas.
Malásia foi outra corrida interessante e foi disputada sem chuva, se bem que esta tinha dado as caras no sábado e jogado os duos da Mclaren e Ferrari para rabeira do grid de largada, forçando assim outra prova de recuperação de Button, Hamilton, Alonso e Massa. Vida difícil para uns, fácil para outros. Vettel teve a sua grande chance a não a desperdiçou vencendo a corrida com Webber logo em seguida, constituindo assim a primeira dobradinha da Red Bull no ano e melhor de tudo, sem problemas. Dos outros quatro que largaram no fundão, apenas Alonso não completou a prova porque o motor Ferrari abriu o bico.
Na China as coisas pareciam bem para a Red Bull, mas o chove não pára deu chance à Button, novamente, vencer a corrida com estratégia quase parecida com a que tinha usado na Austrália, mas dessa vez ele retardou a sua parada enquanto seus rivais estavam indecisos quanto a ficar com pneus slick ou intermediários. Quando se acertaram, Button estava recebendo a bandeirada para sua segunda vitória no ano e de quebra levar a liderança do mundial. Os Mclarens, mais uma vez nestas condições complicadas, tinham arrasado a concorrência já que Hamilton, em outra prova fantástica, tinha chegado em segundo com chances até de vencer a prova.
Alonso e Massa no Bahrein: No único final de semana sem chuva neste temporada, os Ferraris foram bem o que pode ser um bom indicio para a corrida de Barcelona, daqui 15dias, onde que é bem raro chover.

Pelo que parece, as coisas podem se tornar um pouco monótonas se uma prova for disputada com pista seca. Bahrein foi um bom exemplo disso e pelo que me lembro não tivemos uma única ultrapassagem sequer na prova. Em contrapartida, na Malásia, a corrida foi com pista seca e o número de ultrapassagens foram em grande quantidade claro, ainda tendo como pano de fundo a chuva que embaralhou quase tudo no sábado na classificação.
Se bem que uma dose má sorte aliada a falta de preparo para as estratégias também tem assolado alguns. Na Ferrari, por exemplo, Alonso poderia ter conseguido boas colocações mas os azares na Austrália, Malásia e China o tiraram pontos preciosos. Enquanto que em Melbourne ele teve que fazer uma prova de recuperação para chegar em quarto atrás de Massa, na Malásia chegaria na casa dos pontos se não fosse o estouro do motor e na China jogou fora, por conta própria, a chance de tentar vencer a prova após uma queima de largada que foi punida em seguida. Mas o fato de ter vencido a única prova "normal" até agora no campeonato, mostra que a Ferrari tem força para brigar na frente e Alonso tem estado fabuloso em suas recuperações nas provas.
Aparentemente os Red Bulls são os mais rápidos, mas sua confiabilidade ainda está baixa. A Mclaren com o motor Mercedes ultraconfiável e um carro que tem se mostrado perfeito, tem feito o seu trabalho quetinha sem alardes e Ferrari precisa apenas de uma prova sem contratempos para voltar a linha de frente.
No GP da Espanha, dia 9 de maio em Barcelona, será um lugar perfeito para medir as forças destas equipes e também, porque não, da Mercedes. Todos tem setups desta pista ainda fresquinhas na memória e concerteza será disputada em pista seca, o que vai deixar ainda mais interessante a corrida. Mas confesso que não espero uma corrida tão emocionante como as últimas.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Emerson Fittipaldi vs Nigel Mansell, Cleveland 1993

Lembro-me desse dia como se fosse hoje. Mansell tinha trocado a F1 pela Indy no final de 1992 após a conquista de seu único campeonato pela Williams. Ele encontrou nos EUA um cenário diferente do que tinha se acostumado no último 1 ano e meio na F1, quando dominava a seu bel prazer com os insuperáveis Williams-Renault.
Na Indy, ele desembarcara na equipe da Newman-Haas tendo como companheiro o grande Mario Andretti e o Lola T9306- Ford XB para pilotar. Do outro lado o duo da Penske, com Paul Tracy e sua juventude aliada a uma velocidade impressionante e o mestre Emerson Fittipaldi ao volante dos elegantes Penske PC22- Chevrolet C. Aliás, tanto estes motores quanto os chassis eram os únicos que estavam em pista na maioria das provas.
Por todo o campeonato a briga foi direta entre o duo da Newman-Haas e Penske pelo campeonato, mas na oitava etapa, disputada na pista do aeroporto de Burke Lake Front, Cleveland, Mansell e Emerson então líder e vice no campeonato, travaram um duelo memorável.
Paul Tracy tinha largado na pole e liderado a prova inteira, exceto por algumas voltas quando teve que ir aos boxes para a troca de pneus e reabastecimento e nisso Mansell aproveitou-se para liderar por um curto espaço de tempo.
Nas últimas dez voltas, ele e Emerson travaram uma batalha das boas pela segunda posição, com o brasileiro a ultrapassá-lo na volta 75, mas o Leão fez valer seu apelido e foi a caça de Fittipaldi. Nas voltas 77 e 78 ambos trocaram de posição várias vezes, chegando em algumas delas contornarem curvas lado a lado. No final foi Emerson quem conseguiu a segunda posição e Mansell ficando em terceiro.
Tracy venceu a corrida com mais de 18 segundos à frente de Fittipaldi, mas a batalha dos dois grandes pilotos tinha sido fabulosa.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Análise do dez primeiros- GP da China

Jenson Button- A sua estratégia em não entrar para trocar os pneus para intermediários quando a chuva estava fraca, foi decisiva. Ultrapassou Rosberg e abriu boa vantagem. No final da corrida quase foi acossado por Hamilton, mas tinha 2.5s de vantagem sobre o seu companheiro de Mclaren. Agora a divisão de forças na equipe está por igual.


Lewis Hamilton- Se atrapalhou nas trocas de pneus e acabou perdendo a chance de tentar ganhar a prova. Mas fez outra grande prova ao ser combativo nela toda e travara ótimos duelos no pelotão intermediário, quando subia de posições. Sua briga com Schumi foi o ponto alto da prova. Agora só lhe falta vencer, afinal Button já tem 2 vitórias e a liderança do mundial.


Nico Rosberg- Teve a grande chance de vencer e isso parecia provável, mas seu erro acabou deixando Button se aproximar e ultrapassá-lo no fnal da reta oposta. Brigou muito contra Hamilton, mas também não pode fazer nada contra o poderio das Mclarens. Com relação à Schumi, está formidável.


Fernando Alonso- A queimada na largada o prejudicou demais. Podia ter discuto a vitória com Button e Rosberg, mas tinha o drive through para ser pago. Recuperou-se bem, mas a ultrapassagem sobre Massa na entrada dos boxes podia ter sido evitada, até para o bem da equipe.


Robert Kubica- Outra bela prova do polonês. Andou na terceira posição por algum tempo, mas sem ameaçar os ponteiros. Foi superado por Hamilton e Alonso que tinham carros mais velozes.


Sebastian Vettel- Outra prova para ser esquecida. Era favorito para vencer e mesmo tendo perdido a posição Alonso, seguramente viria ao primeiro posto mais tarde com a punição ao espanhol. Mas erros seu e da equipe acabaram com suas chances. Mas ainda tem o carro mais rápido da F1.


Vitaly Petrov- Ótimos duelos contra Schumacher, Hamilton e Alguersuari garantiram para ele seus primeiros pontos e vai se firmando como um dos melhores da nova safra. É bastante agressivo.


Mark Webber- Errou aos montes e o que teve de bom na prova foi a ultrapassagem sobre Vettel, quando este ficou bloqueado por Sutil numa disputa por posição. Suas quatro provas foram bem apagadas.


Felipe Massa- Um final de semana discreto para ele. Largou em sétimo e passou toda a prova nas posições intermediárias. No lance contra Alonso, ele admitiu que havia derrapado na última curva antes da entrada dos pits, versão que foi confirmada pelo espanhol. Mas em outra coletiva disse que ter ficado atrás dele na parada de box após o acontecido, lhe custou 3 posições. As coisas não parecem fáceis para ele.


Michael Schumacher- Teve a prova mais dura após sua volta a categoria e sofreu nas mãos dos novatos que não lhe deram sossego. Foi o primeiro a trocar para pneus intermediários quando a chuva deu uma apertada, mas não soube aproveitar essa situação para ganhar mais posições. Por enquanto, uma volta inglória para F1.



domingo, 18 de abril de 2010

Com bela estratégia, Button vence o GP da China e assume a liderança. Brasileiros são discretos.

Outra grande prova e mais uma vez, claro, com a participação da chuva que foi e voltou em vários momentos da corrida. Nessas circunstancias Button arriscou bem ao não trocar os pneus slick por intermediários, e ali conseguiu garantir uma boa vantagem que foi importante para chegar a sua segunda vitória no ano.
O começo foi caótico, com Alonso fazendo uma bela largada. Voltas depois foi "dedurado" por Charlie Whiting, chefe de provas da FIA responsável pela largada, ao mostrar que o espanhol tinha avançado antes que apagasse as luzes vermelhas. Mesmo com Alonso na frente das duas Red Bull, a prova ainda teve o acidente entre Liuzzi, Buemi e Kobayashi que eliminou os três de uma vez. O safety car foi acionado, ficando por 4 voltas. Após a relargada começou a chover fino em alguns pontos do circuito, o que levou a maioria dos pilotos a entrarem nos boxes para colocar pneus intermediários. Rosberg, que assumiu a liderança e Button segundo, foram os únicos a continuar com os slicks e isso foi fundamental para ambos. Com os demais sofrendo desgastes nos pneus intermédios, eles chegaram a abrir mais de 30s para o terceiro.
Enquanto isso, com o chove não molha que forçou os pilotos a trocar novamente para slick, Hamilton mais uma vez tratou de garantir a emoção da prova. Com ótimas ultrapassagens e mostrando uma velocidade alucinante meio a nuvem d'água que se formou após o reinicio da chuva, duelou com Vettel, Webber, Petrov, Rosberg e Schumi. Aliás, este último foi o mais duro com Michael a resistir bem aos ataques de Lewis. Foi duas voltas de ataques constantes do piloto da Mclaren e na grande reta oposta ele enfim conseguiu. Contra Rosberg também foi maravilhoso e no mesmo ponto, no final da reta oposta, conseguiu ganhar a segunda posição. Chegou a ameaçar a primeira posição de Button, mas por problemas de pneus, não pode atacar seu companheiro com mais veemência.
Para a Ferrari as coisas só não foram piores, porque Alonso salvou a tarde ao chegar em quarto mas a sua queima de largada, que lhe rendeu um drive trough, poderia ter azedado toda sua corrida. Massa ficou em 9º numa prova apagadissima e ainda teve a ultrapassagem que levou de Alonso na entrada dos boxes, que causou, ou ainda causara alguma polêmica.
Certamente a chuva prejudicou os Red Bull que eram tidos como favoritos no início da prova. Os seus pilotos se atrapalharam também e a equipe não soube lidar com a mudança repentina das condições da pista. Talvez, se tivessem segurado mais tempo na pista ainda quando esta não estava molhada na primeira sessão de paradas, teriam brigado pela vitória.
Destaque para Petrov que fez uma boa prova e terminou em sétimo, depois de duelos contra Hamilton, Alguersuari e Schumi.
Para os outros brasileiros foi normal a prova. Barrichello até lutou pelos pontos, mas foi superado por carros mais velozes e terminou em 12º. Senna completou sua segunda prova na F1 e terminou em 16º duas voltas à frente de Chandhok, seu companheiro de Hispania. Di Grassi, da Virgin, não durou muito na prova e fez apenas 9 voltas e saiu com problemas de câmbio.
A próxima etapa será o GP da Espanha em 9 de maio, em Barcelona.

A queimadinha de básica de largada de Alonso: voltas depois teve que pagar um Drive Through e fez uma corrida de recuperação...


... e com concerteza agradeceu a entrada do Safety Car que o ajudou e muito para chegar em quarto

As Red Bull estiveram discretas em Xangai: a estratégia e os constantes erros dos dois pilotos colaboraram para o resultado final

O grande duelo: por duas voltas Schumi suportou os ataques de Hamilton, até que o inglês conseguiu a quinta posição do heptacampeão.



RESULTADO FINAL-
Grande Prêmio da China- Autódromo de Xangai-
18/4/2010- 4ª Etapa

1 - Jenson Button (ING / McLaren) 1h44min42s163

2 - Lewis Hamilton (ING / McLaren) a 1s5
3 - Nico Rosberg (ALE / Mercedes) a 9s4
4 - Fernando Alonso (ESP / Ferrari) a 11s8
5 - Robert Kubica (POL / Renault) a 22s2
6 - Sebastian Vettel (ALE / RBR) a 33s3
7 - Vitaly Petrov (RUS / Renault) a 47s6
8 - Mark Webber (AUS / RBR) a 52s1
9 - Felipe Massa (BRA / Ferrari) a 57s7
10 - Michael Schumacher (ALE / Mercedes) a 61s7
11 - Adrian Sutil (ALE / Force India) a 62s8
12 - Rubens Barrichello (BRA / Williams) a 63s6
13 - Jaime Alguersuari (ESP / STR) a 71s4
14 - Heikki Kovalainen (FIN / Lotus) a uma volta
15 - Nico Hulkenberg (ALE / Williams) a uma volta
16 - Bruno Senna (BRA / Hispania) a duas voltas
17 - Karun Chandhok (IND / HRT) a quatro voltas

Não completaram

Jarno Trulli (ITA / Lotus) abandonou na 21ª volta
Lucas di Grassi (BRA / Virgin) abandonou na oitava volta
Pedro de la Rosa (ESP / Sauber) abandonou na sétima volta
Sebastien Buemi (SUI / STR) acidente na primeira volta
Kamui Kobayashi (JAP / Sauber) acidente na primeira volta
Vitantonio Liuzzi (ITA / Force India) acidente na primeira volta
Timo Glock (ALE / Virgin) não largou

Melhor Volta: Lewis Hamilton (Mclaren Mercedes) 1min42s061

sábado, 17 de abril de 2010

No melhor estilo "mineirinho" Vettel conquista a quarta pole da equipe no ano

O domínio quase que absoluto de Hamilton nas duas primeiras partes da sessão classificatória, fez crer que a Mclaren estava um pouco à frente dos demais na China mas tudo foi por água abaixo quando começou o terceiro treino e Vettel, no estilo "come queto", cravou a sua terceira pole no ano e a quarta da Red Bull no ano. Webber sai ao seu lado e pelo jeito, se não haver contratempos, um dos dois sairá vencedor amanhã.
Os Red Bull passaram as duas sessões apenas de "tocaia" enquanto Hamilton fazia miséria na frente, mas quando as coisas foram pra valer na terceira parte o inglês falhou e os Red Bull tomaram à dianteira. Para Lewis foi frustrante, tanto que ele ficou atrás até de Button na tabela de tempos e sairá em sexto, sem saber até agora como tudo desandou. Jenson, por sinal, vem até surpreendendo e andando na frente de Lewis nas classificações. Contando com esta classificação, esta 3x1 para o atual campeão sobre seu companheiro nos treinos oficiais.
Alonso colocou sua Ferrari no terceiro posto enquanto que Massa ficou em sétimo, admitindo logo após o treino que errou na última curva quando estava em grande volta. Nico Rosberg aparece em quarto com sua Mercedes enquanto que Schumi ficou apenas em nono, tomando mais de 1 segundo do pole Vettel. Fechando os dez primeiros, Kubica roubou no final a posição de Schumacher e ficou em oitavo e Sutil mais uma vez comparecendo na Q3 terminou em décimo.
Para os demais brasileiros, muito trabalho. Barrichello por pouco não passa para a Q2, marcando a 11ª marca. Di Grassi sai em 22º e Senna em 23º.
A previsão é de 60% de possibilidade de chuva na hora da prova.

GRID DE LARGADA PARA O GRANDE PRÊMIO DA CHINA- 4ª ETAPA

1 - Sebastian Vettel (ALE / Red Bull) - 1min34s558
2 - Mark Webber (AUS / Red Bull) - 1min34s806
3 - Fernando Alonso (ESP / Ferrari) - 1min34s913
4 - Nico Rosberg (ALE / Mercedes) - 1min34s923
5 - Jenson Button (ING / McLaren) - 1min34s979
6 - Lewis Hamilton (ING / McLaren) - 1min35s034
7 - Felipe Massa (BRA / Ferrari) - 1min35s180
8 - Robert Kubica (POL / Renault) - 1min35s364
9 - Michael Schumacher (ALE / Mercedes) - 1min35s646
10 - Adrian Sutil (ALE / Force India) - 1min35s963
11 - Rubens Barrichello (BRA / Williams) - 1min35s748
12 - Jaime Alguersuari (ESP / Toro Rosso) - 1min36s047
13 - Sebastien Buemi (SUI / Toro Rosso) - 1min36s149
14 - Vitaly Petrov (RUS / Renault) - 1min36s311
15 - Kamui Kobayashi (JAP / Sauber) - 1min36s422
16 - Nico Hulkenberg (ALE / Williams) - 1min36s647
17 - Pedro de la Rosa (ESP / Sauber) - 1min37s020
18 - Vitantonio Liuzzi (ITA / Force India) - 1min37s161
19 - Timo Glock (ALE / Virgin) - 1min39s278
20 - Jarno Trulli (ITA / Lotus) - 1min39s399
21 - Heikki Kovalainen (FIN / Lotus) - 1min39s520
22 - Lucas di Grassi (BRA / Virgin) - 1min39s783
23 - Bruno Senna (BRA /Hispania) - 1min40s469
24 - Karun Chandhok (IND / Hispania) - 1min40s578

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Hamilton dominante na China

Após uma bela batalha entre Mclaren e Mercedes pelas primeiras posições nos treinos livres de Xangai, Hamilton fecho o dia com o melhor tempo 1'35''217 ficando a frente de Rosberg por 0.248. Na terceira posição aparece Button e em quarto Schumi, que ficou 0.385 atrás de Lewis, o que mostra a boa briga das duas equipes no treino e como pode ser o desempenho dos Mercedes na China.
Os Red Bull ficaram entre os dez primeiros: Vettel ficou em 5º e Webber em sexto. Na Ferrari Alonso, que testou o duto de ar semelhante ao usado pela Mclaren, ficou em décimo mesmo tendo um motor quebrado e Massa fechou em 11º. Segundo a equipe o motor estourado é o mesmo que usou no Bahrein, etapa de abertura.
A Toro Rosso teve dois destaques em Xangai. Enquanto Alguersuari colocou seu carro em oitavo na tabela, Buemi tomou um susto daqueles quando na freada da reta oposta a suspensão dianteira do seu carro se desfez por inteira. A sorte é que estava numa velocidade baixa e nada sofreu, indo parar na caixa de brita. Mais tarde a equipe divulgou o que a causa do acidente tinha sido por uma quebra do suporte vertical da suspensão dianteira.
Rubens Barrichello terminou o dia em 15º; Di Grassi ficou em 24º e Senna em 25º.


RESULTADO- TREINOS LIVRES PARA O GP DA CHINA- 4ª ETAPA

1 - Lewis Hamilton (ING/ McLaren) - 1min35s217

2 - Nico Rosberg (ALE / Mercedes) - 1min35s465
3 - Jenson Button (ING / McLaren) - 1min35s593
4 - Michael Schumacher (ALE / Mercedes) - 1min35s602
5 - Sebastian Vettel (ALE / RBR) - 1min35s791
6 - Mark Webber (AUS / RBR) - 1min35s995
7 - Adrian Sutil (ALE / Force India) - 1min36s254
8 - Jaime Alguersuari (ESP / STR) - 1min36s377
9 - Robert Kubica (POL / Renault) - 1min36s389
10 - Fernando Alonso (ESP / Ferrari) - 1min36s604
11 - Felipe Massa (BRA / Ferrari) - 1min36s944
12 - Vitaly Petrov (RUS / Renault) - 1min36s986
13 - Pedro de la Rosa (ESP / BMW Sauber) - 1min37s421
14 - Kamui Kobayashi (JAP / BMW Sauber) - 1min37s431
15 - Rubens Barrichello (BRA /Williams) - 1min37s657
16 - Vitantonio Liuzzi - (ITA / Force India) - 1min37s804
17 - Nico Hulkenberg (ALE / Williams) - 1min37s867
*18 - Paul di Resta (ESC / Force India) - 1min38s618
19 - Jarno Trulli (ITA / Lotus) - 1min39s624
20 - Sebastien Buemi (SUI / STR) - 1min39s939
21 - Heikki Kovaleinen (FIN / Lotus) - 1min39s947
22 - Timo Glock (ALE / Virgin) - 1min40s233
23 - Karun Chandhok (IND / Hispania) - 1min41s008
24 - Lucas di Grassi (BRA / Virgin) - 1min41s107

25 - Bruno Senna (BRA / Hispania) - 1min41s345

* Paul di Resta substituiu Liuzzi no primeiro treino desta sexta-feira


 

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Os Indy na Inglaterra, 1978

A USAC (United States Auto Club) levou para a Inglaterra o seu campeonato de Indycars para duas corridas, em Silverstone e Brands Hatch.
Em 1º de outubro foi disputado o Daily Express Silverstone, 16ª etapa do campeonato, com a presença de 16 carros. Na lista estavam as grandes estrelas do automobilismo americano: Rick Mears, AJ Foyt, Al Unser Sr, Tom Sneva, Bobby Unser, Johnny Rutheford, Gordon Johncock entre outros.
A pole position foi de Danny Ongais (Parnelli VPJ6B [002] - Cosworth DFX V8) e a vitória de AJ Foyt (Coyote- Foyt TC). Abaixo a lista do grid de largada e chegada da prova:

GRID DE LARGADA- USAC Daily Express Silverstone- 16ª etapa- 1º de outubro de 1978

1 Danny Ongais- Parnelli VPJ6B [002] - Cosworth DFX V8- 1min22s187
2 Al Unser- Lola T500 - Cosworth DFX V8
3 Rick Mears -Penske PC6 - Cosworth DFX V8
4 Gordon Johncock -Wildcat - DGS TC
5 Bobby Unser- Eagle 78 Mk II - Cosworth DFX V8
6 Johnny Rutherford -McLaren M24B - Cosworth DFX V8
7 Tom Bagley- Watson 78 - Offy 159 ci turbo
8 Wally Dallenbach- McLaren M24 [005] - Cosworth DFX V8
9 Tom Sneva -Penske PC6B - Cosworth DFX V8
10 AJ Foyt- Coyote - Foyt TC
11 Steve Krisiloff -Wildcat Mk 3 - Drake DT 160 V8
12 David "Salt" Walther- McLaren M24 - Cosworth DFX V8
13 George Snider- Coyote - Foyt TC
14 Joe Saldana -Eagle 72 - Offy 159 ci turbo
15 Dick Simon- Vollstedt 77 [14] - Offy 159 ci turbo
16 Spike Gehlhausen -Eagle 74 - Offy 159 ci turbo

RESULTADO FINAL:

1 AJ Foyt Coyote - Foyt TC-  38 Voltas- 1h04min03.350
2 Rick Mears Penske PC6 - Cosworth DFX V8 - 38
3 Tom Sneva Penske PC6B - Cosworth DFX V8-  38
4 Gordon Johncock Wildcat - DGS TC - 38
5 Johnny Rutherford McLaren M24B - Cosworth DFX V8- 38
6 Steve Krisiloff Wildcat Mk 3 - Drake DT 160 V8- 37
7 David "Salt" Walther McLaren M24 - Cosworth DFX V8- 36
8 Bobby Unser Eagle 78 Mk II - Cosworth DFX V8-  28
9 Spike Gehlhausen Eagle 74 - Offy 159 ci turbo -28
10 Al Unser Lola T500 - Cosworth DFX V8
11 George Snider Coyote - Foyt TC - 26
12 Dick Simon Vollstedt 77 [14] - Offy 159 ci turbo - 25
13 Tom Bagley Watson 78 - Offy 159 ci turbo- 16
14 Wally Dallenbach McLaren M24 [005] - Cosworth DFX V8 -15
15 Danny Ongais Parnelli VPJ6B [002] - Cosworth DFX V8- 5
16 Joe Saldana Eagle 72 - Offy 159 ci turbo - 3
* A prova foi disputada no traçado original de 4.720 metros.


Na segunda prova, o USAC Daily Mail Brands Hatch disputada no dia 7 de outubro, a prova contou novamente com 16 carros. No dia da prova largaram apenas quinze, já que Steve Krisilof (Wildcat Mk 3 - Drake DT 160 V8) tinha se acidentado e não pode participar da corrida. A pole foi marcada por Al Unser Sr (Lola T500 Cosworth DFX V8) e a corrida vencida por Rick Mears (Penske PC6 Cosworth DFX V8).

GRID DE LARGADA- USAC Daily Mail Brands Hatch- 17ª etapa- 7 de outubro de 1978

1 Al Unser Lola T500 - Cosworth DFX V8- 40s827
2 Rick Mears Penske PC6 - Cosworth DFX V8
3 Danny Ongais Parnelli VPJ6B [002] - Cosworth DFX V8
4 Gordon Johncock Wildcat - DGS TC
5 Tom Sneva Penske PC6B - Cosworth DFX V8
6 Bobby Unser Eagle 78 Mk II - Cosworth DFX V8
7 Johnny Rutherford McLaren M24B - Cosworth DFX V8
8 Tom Bagley Watson 78 - Offy 159 ci turbo
9 AJ Foyt Coyote - Foyt TC
10 Spike Gehlhausen Eagle 74 - Offy 159 ci turbo
11 Dick Simon Vollstedt 77 [14] - Offy 159 ci turbo
13 Wally Dallenbach McLaren M24 [005] - Cosworth DFX V8
14 David "Salt" Walther McLaren M24 - Cosworth DFX V8
15 Joe Saldana Eagle 72 - Offy 159 ci turbo
16 Steve Krisiloff * Wildcat Mk 3 - Drake DT 160 V8
16 George Snider Coyote - Foyt TC

RESULTADO FINAL:

1- Rick Mears Penske PC6 - Cosworth DFX V8- 100 VOLTAS- 1h15min23s450
2- Tom Sneva Penske PC6B - Cosworth DFX V8- 100
3- Johnny Rutherford McLaren M24B - Cosworth DFX V8- 99
4- AJ Foyt Coyote - Foyt TC- 98
5- Wally Dallenbach McLaren M24 [005] - Cosworth DFX V8- 95
6- David "Salt" Walther McLaren M24 - Cosworth DFX V8- 94
7- Dick Simon Vollstedt 77 [14] - Offy 159 ci turbo- 86
8-George Snider Coyote - Foyt TC- 85
9- Danny Ongais Parnelli VPJ6B [002] - Cosworth DFX V8- 83
10- Joe Saldana Eagle 72 - Offy 159 ci turbo- 71
11- Gordon Johncock Wildcat - DGS TC- 33
12- Spike Gehlhausen Eagle 74 - Offy 159 ci turbo- 23
13- Bobby Unser Eagle 78 Mk II - Cosworth DFX V8- 20
14- Tom Bagley Watson 78 - Offy 159 ci turbo- 10
15- Al Unser Lola T500 - Cosworth DFX V8- 0

* A prova foi disputada no traçado menor de Brands Hatch de 1.930 metros.

terça-feira, 13 de abril de 2010

GP da China, 2006

Era a ocasião em que Michael Schumacher estava na caça de Fernando Alonso pela briga do mundial. Enquanto o espanhol caminhava para seu segundo mundial consecutivo, Schumi tentava chegar nele para levar a disputa mais adiante e na China, 16ª etapa e antepenúltima daquele mundial a disputa foi fantástica.
Alonso marcou a pole e Schumi saiu apenas em sexto e na segunda posição Fisichella formando a dobradinha da Renault. Um bom resultado de Fernando com Schumacher não completando a prova ou até mesmo chegando em sétimo ou oitavo, já o deixava com chances de conquistar o mundial em Suzuka. Para Michael era chegar à frente de Alonso e mais nada.
Com a prova iniciando com pista molhada e secando ao decorrer dela, as posições foram alterando e na parte final Schumi estava em segundo após deixar Fisico para trás. Alonso foi para os boxes e trocou seus pneus de chuva por liso e quando saiu para a pista, escorreu e Michael o passou feito por dentro. Fernando ainda teve que contar com a ajuda de seu companheiro Fisico, que abriu passagem pra ele garantir a segunda posição.
Com a vitória, Michael empatou o mundial com Alonso em 116 pontos e levou a decisão para as últimas duas corridas- Suzuka e Interlagos. Foi a última conquista de Michael na F1 antes de sua aposentadoria.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Interseries, Hockenheim 1971


Sétima etapa do Campeonato de Interseries de 1971 disputado no circuito de Hockenheim. Foram 26 inscritos e destes 23 largaram.
A pole foi de Brian Redman (BRM P167) com a marca de 1'58''4. Ele também venceu a prova a ainda marcou a melhor volta (1'53''4). Em segundo terminou Michel Webber e em terceiro Leo Kinnunen (ambos pilotavam os Porsche Spyder 917) que foi o campeão daquela temporada.

RESULTADO

1. Brian Redman (GB)- BRM P167 Chevrolet -Sid Castrol Team Taylor- 40 VOLTAS- 1:21:00,400
2. Michel Weber (D)- Porsche 917 Spyder- Gesipa Racing Team -40 -1:23:02,400 
3. Leo Kinnunen (SF)- Porsche 917 Spyder- AAW Racing Team- 39
4. Neuhaus Jürgen (D) -Porsche 917 Spyder- Jürgen Neuhaus -39
5. Georg Loos (D) -McLaren Chevrolet M8E -Gelo Racing Team -38
6. Franz Pesch (D)- Ferrari 512M -Gelo Racing Team- 38
7. Peter Westbury (GB) -Lola T222 Chevrolet- Ecurie Bonnier- 37
8. "Pam" (I) -Ferrari 512M- Scuderia Corse Brescia -37
9. Kraus Ernst (D)- Porsche 908/02- Ernst Kraus- 36
10. Kelleners Helmut (D) -March 717 Chevrolet -Felder Racing Team- 34
11. Michel Dupont (CH)- Chevron B19 Ford -Wicky Racing- 34
12. Mike Coombe (GB) -Lola T70 Chevrolet GT Mk.3B -Opposite Club Lock -34
13. Harald Link (D)- Porsche 906 -Link Harald- 33
14. David Brodie (GB)- Lotus 62 -Chris Barber Racing -33
15. Kurt Lotterschmid (D)- Lotec - BMW- Kurt Lotterschmid 33


-Não Completaram:
Antonio Zadra (I)- Lola T212 Ford -Antonio Zadra- 9
Teddy Pilette (B) -McLaren Chevrolet M8E -VDS Team Racing -3- Motor
Derek Bell (GB) -McLaren Chevrolet M8E -Sid Castrol Team Taylor- 3 -Motor
Charles Graemiger (CH)- Daren Ford Mk.3- Daren Ltd. Cars- DNF
Gustav Schlup (CH)- Lola T212- DNF
Siegfried Rieger (D)- Chevrolet M8C McLaren- Siegfried Rieger -DNF
Walter Lehmann (D)- Lola T210 Ford- Lehmann Racing- DNF
Kurt Hild (D)- Porsche 910- Kurt Hild -DNF


- Não Largou:
Herbert Müller (CH)- Ferrari 512M- Herbert Müller- Motor



- Não Classificados:
Stefan Sklenar (A)- Lola T70 Chevrolet GT Mk.3B- Stefan Sklenar
Franco Berruto (I)- Porsche 906 -Brescia Corse

domingo, 11 de abril de 2010

Grandes atuações: Ayrton Senna, Donington Park, 1993

A eletrônica nos carros de F1 estava no seu auge em 1993. A Williams tinha trabalhado exaustivamente no desenvolvimento do vencedor FW14B, campeão do mundo com Nigel Mansell em 1992, e entregou para Prost -que voltava a categoria- e Damon Hill o ultra-testado FW15C com todos os aparatos eletrônicos ainda mais resistentes que antes. Na Mclaren as coisas pareciam mais desorganizadas, principalmente após a saída da Honda no final de 1992. Apesar de o carro ser todo baseado em eletrônica (tendo o sistema fly-by-where e controle de tração como novidades) e com o motor Ford HB, Ron Dennis teve que negociar com Senna para correr a temporada. Isto ficou conhecido como race by race, com Dennis a pagar 1 milhão de dólares por prova para Ayrton correr. Mais tarde tudo foi esclarecido como um truque de ambos para chamar mais patrocinadores para o time de Woking. E na Benetton Schumacher estava pronto para desafiar os dois desafetos. Em Kyalami, abertura do mundial, Prost venceu, mas viu que Senna e a Mclaren estavam próximos assim como Schumi na Benetton. Os três travaram um duelo fabuloso nas primeiras voltas daquela prova. Já em Interlagos, as Williams tinham a vitória praticamente garantida, mas uma chuva de verão acabou com os sonhos de Frank Williams ver a sua primeira dobradinha no ano. Melhor para Senna que fez a alegria de todos no autódromo paulistano ao vencer com folga sobre a Williams de Hill. A terceira etapa era em Donington.
O sonho de Tom Weathcroft era levar a F1 para Donington Park, desde que o comprou em 1978. Mas rivalizar contra Silverstone e Brands Hatch, que se revezavam anualmente no calendário da categoria, era algo impossível. Ele esperou por longos 15 anos para que isto virasse realidade e em 1993 o Donington Park recebeu a F1, intitulada como Grande Prêmio da Europa. A prova foi disputada sob chuva e Senna, como de costume nestas condições, tornou esta corrida lendária com mais uma exibição excepcional em pista molhada.
A qualificação no sábado foi previsível, com as duas Williams a dominar a primeira fila. Prost marcou a pole e Hill ficou no segundo posto colocando 1.2s no terceiro colocado Schumacher. Senna, devido um mal acerto na suspensão traseira do seu Mclaren, ficou em quarto. Mas tudo isso tornou-se irrelevante na primeira da corrida.
Com pista molhada na largada, Prost segurou a primeira posição com Hill no seu encalço. Senna patinou na saída e ainda foi ajudado por Schumacher que o "espremeu" contra a saída de box. Wendlinger, aproveitando-se da situação, foi de quinto para terceiro. Ayrton começou a sua recuperação ainda na primeira curva ao dar o "X" em Schumi e deixá-lo em quinto. Não satisfeito, perseguiu Wendlinger e o ultrapassou na curva Mcleans que é feita em descida por fora. Mais adiante pegou por dentro Damon e assumiu a segunda posição. A próxima vitima era Prost. Com um Mclaren que parecia voar sobre a chicane antes da curva Melbourne Hairpin, aproximou-se rapidamente de Alain e se colocou na descida que antecede a tal curva. Posicionou por dentro, toureando seu Mclaren e ganhou na raça a primeira posição do seu grande rival. Como ele mesmo definiu após a prova, "primeira volta foi um tiro psicológico na concorrência". E como foi.

O resto da prova foi de domínio absoluto de Senna, que aumentava consideravelmente a sua vantagem sobre os Williams. Mesmo num curto momento da pista quase seca, conseguiu manter o bom ritmo e nem a desastrosa parada de box para troca dos pneus biscoito para slick que durou 18 segundos, não abalou a sua grande corrida. Suas voltas de pneus lisos em pista quase encharcada, foi uma das grandes aulas de pilotagem e mesmo assim ainda conseguia colocar quase 1s no duo da Williams. Ele perdeu a liderança nas voltas 19, 35, 36, 37 e 38, todas para Prost, em momentos que foi aos boxes. E numa dessas passagens, pelo box, marcou a melhor volta da corrida (57ª passagem, com o tempo de 1min18s029). Ele tinha avisado a equipe e esta não havia escutado, devido a problemas no rádio, e sem ter nada preparado passou pelos boxes de cano cheio (naquela época não tinha limite de velocidade na área dos pits).
Senna venceu a prova com 1min23s199 de avanço sobre Damon Hill, que foi o único que não tomou volta do brasileiro. Outra grande prova foi do jovem Barrichello. Com seu Jordan 193-Hart, largou em 12º e estava em 4º na primeira volta, brigando com carros mais potentes como os Bennetons e Ferraris. Manteve-se entre os seis primeiros a prova toda e tinha chances de subir ao pódio quando estava em terceiro, mas faltando 4 voltas para terminar a bomba de gasolina do Jordan quebrou, frustrando Rubens e toda a equipe.
O sonho de Tom Weathcroft tinha sido realizado de forma magistral e inesquecível. Ele morreu em outubro de 2009 com 87 anos após longa doença.
Tom Wethcroft ao lado de Senna no pódio de Donington

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Análise dos dez primeiros- GP da Malásia

Sebastian Vettel- Fez uma largada que acabou sendo fundamental para sua vitória numa prova tranquilissima. Se não fossem os problemas nas primeiras provas, estaria disparado na liderança do campeonato.


Mark Webber- Fez uma pole magnífica, mas perdeu o bom trabalho ao ser ultrapassado por Vettel na largada, o que acabou tirando a sua chance de vitória. Assim como seu companheiro não teve problemas e garantiu a dobradinha da Red Bull.


Nico Rosberg- Não tinha muito que fazer contra o poderio das Red Bull, e assim esperou por um problema com os carros austríacos que não aconteceram. Mostrou bom ritmo e soube manter boa distância com relação à Kubica.


Robert Kubica- Outra bela proa do polonês. Classificou-se em sexto e ganhou as posições de Hulkenberg e Sutil na largada e ficou no encalço de Rosberg a prova inteira. Se o Renault melhorar mais, pode até sonhar com mais pódios este ano.


Adrian Sutil- Os seus primeiros pontos no ano mostram o quanto que o carro indiano melhorou. Ele fez também uma ótima prova, mantendo-se entre os primeiros a corrida toda graças a uma ótima classificação na chuva. Resistiu bem aos ataques de Hamilton na fase final da corrida.


Lewis Hamilton- Caso tivesse largado na frente talvez teria subido ao pódio. Brigou muito na pista e fez várias ultrapassagens. Escapou de ser punido ao ziguezaguear na frente de Petrov, o que teria arruinado sua prova. Ficou atrás de Sutil no final prova sem conseguir achar uma brecha para passá-lo.


Felipe Massa- A sétima posição acabou sendo um lucro para ele que lutou contra carros que tinham boa velocidade de reta como o Toro Rosso de Buemi e o Mclaren de Button, mas conseguiu ultrapassá-los. Outra vez a sua largada foi ótima e isso lhe garantiu mais tranquilidade ao deixar Alonso e Button para trás. É líder do mundial.


Jenson Button- Teve boas brigas com Massa e Alonso, mas parece que não tinha ritmo suficiente para acompanhá-los na prova e assim acabou na oitava posição.


Jaime Alguersuari- Talvez a melhor prova do jovem espanhol na F1, marcando seus primeiros pontos na categoria. Bons duelos contra Petrov e Hulkenberg que lhe garantiram posições na pista. E o carro da Toro Rosso não é tão ruim.


Nico Hulkenberg- Primeiros pontos dele na F1 e uma classificação na chuva que deixam boa impressão ao colocar seu Williams na quinta posição. Na prova foi superado por carros mais velozes e teve que lutar contra Alguersuari pela décima posição, mas foi agraciado pelo abandono de Alonso e com isso pode marcar um ponto.

domingo, 4 de abril de 2010

Enfim a dobradinha da Red Bull com Vettel na frente e Massa assume a liderança do mundial

A chuva que era esperada para cair durante a prova não apareceu, mas nem precisou pois mais uma vez tivemos uma grande prova como era de se esperar com a formação do grid de largada no sábado, quando as Mclarens e Ferraris tiveram que abrir caminho para conquistar suas posições. As Red Bull foram absolutas, dominando a prova totalmente sem ser incomodados por ninguém.
Como se esperava, uma prova tranquila e dominante por parte dos Red Bull. A largada de Vettel acabou por facilitar sua vida quando pulou de terceiro para primeiro, não dando chances a Webber e assim ficou até o final da prova com a diferença entre eles oscilando de 3s a 5.5s. Uma amostra do que deveria ter sido nas provas iniciais caso os problemas não tivessem aparecido.
Na briga das gigantes Mclaren e Ferrari, tudo foi parelho com mais uma atuação valente de Hamilton, que escapou de ser punido ao mudar de trajetória 3 vezes- quando o permitido é apenas uma- na disputa pela décima posição com Petrov. Mas isso acabou quando ele esbarrou no Force India de Sutil que o segurou bem na sexta posição até o final da prova. Já Button se recuperou bem mas teve sempre a compania das Ferraris de Massa e Alonso que o pertubaram a corrida toda. Segurou o Massa até onde pode e foi ultrapassado quando faltava 12 voltas para fim e logo em seguida foi a vez de Alonso pressioná-lo, mas o espanhol até conseguiu passar mas errou na freada e metros depois, quando faltava 2 voltas para o fim, o motor Ferrari pifou. Aliás este é o segundo GP que ele fica retido atrás de Massa, como tinha acontecido em Melbourne, mas não contava com o problema do motor. Na próxima corrida, na China, ele vai usar o quarto motor dos oito permitidos na temporada toda.
Massa fez outra largada grandiosa ao passar Alonso e Button  e assim se manteve até sua primeira parada. Quando voltou teve Button pelo caminho e foi paciente ao esperar para atacar o inglês e assumir o sétimo posto, que mais tarde acabou por garantir para ele a liderança do mundial com a saída de Alonso.
Mais uma vez ótima prova de Rosberg que subiu ao pódio e Kubica que levou o seu Renault mais uma vez aos pontos e sempre esteve no encalço da Mercedes de Nico. Está em franca ascenção, assim como o Force India de Sutil que segurou bem Hamilton e salvou o quinto posto.
Os novatos Hulkenberg e Alguersuari marcaram seus primeiros pontos na F1. O espanhol da Toro Rosso foi combativo a prova inteira.
Barrichello ficou parado na largada e fez o que pode com a "porcaria de carro" para chegar em 12º, como definiu no final da prova. Di Grassi e Senna completaram a primeira prova deles na F1 chegando em 14º e 16º respectivamente.
De se destacar nesta prova três motores Renault chegaram nas 4 primeiras posições (os Red Bull 1-2 e o Renault de Kubica em 4º), três motores Ferrari quebrados (os dois Sauber e o Ferrari de Alonso) e um Mercedes também pifado (Force India de Liuzzi).


Massa e Alonso em ação na Malásia: problema de motor tirou Alonso e o sétimo lugar de Massa lhe garantiu a liderança do mundial, mas a vida da Ferrari não parece nada fácil


Mais outra grande exibição de Kubica: o quarto lugar mostra que o Renault não é tão ruim  assim


Barrichello ficou parado na largada e acabou por fazer uma prova de recuperação. No final classificou o carro de "porcaria". E os Honda de 2006 e 2007, como ele os classificaria então?

RESULTADO FINAL
Grande Prêmio da Malásia- Circuito de Sepang- Kuala Lumpur
56 Voltas em 5.543 metros


1º - Sebastian Vettel (ALE / Red Bull)
2º - Mark Webber (AUS / Red Bull) a 4,8 segundos
3º - Nico Rosberg (ALE / Mercedes) a 13,5 segundos
4º - Robert Kubica (POL / Renault) a 18,5 segundos
5º - Adrian Sutil (ALE / Force India) a 21 segundos
6º - Lewis Hamilton (ING / McLaren) a 23,4 segundos
7º - Felipe Massa (BRA / Ferrari) a 27 segundos
8º - Jenson Button (ING / McLaren) a 37,9 segundos
9º - Jaime Alguersuari (ESP / Toro Rosso) a 70,6 segundos
10º - Nico Hulkenberg (ALE / Williams) a 73,3 segundos
11º - Sebastian Buemi (SUI / Toro Rosso) a 78,9 segundos
12º - Rubens Barrichello (BRA / Williams) a 1 volta
13º - Fernando Alonso (ESP / Ferrari) a 2 voltas
14º - Lucas di Grassi (BRA / Virgin) a 3 voltas
15º - Karin Chandhok (IND / Hispania) a 3 voltas
16º - Bruno Senna (BRA / Hispania) a 4 voltas
17º - Jarno Trulli (ITA /Lotus) a 5 voltas

Não Completaram:
- Heikki Kovalainen (FIN / Lotus) - Abandonou na 46ª volta
- Vitaly Petrov (RUS / Renault) - Abandonou na 32ª volta
- Vitantonio Liuzzi (ITA / Force India) - Abandonou na 12ª volta
- Michael Schumacher (ALE / Mercedes) - Abandonou na décima volta
- Kamui Kobayashi (JAP / Sauber) - Abandonou na oitava volta
- Timo Glock (ALE / Virgin) - Abandonou na segunda volta
- Pedro de la Rosa (ESP / Sauber) - Não largou

Melhor Volta: Mark Webber (Red Bull) 1min37s024

sábado, 3 de abril de 2010

Mclaren e Ferrari no fundão e Webber na pole. A chuva ditou o ritmo do classificatório

Como não pude assistir ao treino deste sábado (estava trabalhando nos treinos da Superbike Pirelli Series em Interlagos e tive que sair de madrugada) vou fazer um comentário rápido.
As duas grandes equipes, Mclaren e Ferrari, fizeram as suas burradas ao mandar seus pilotos num momento em que a pista estava crítica e pagaram caro: Button larga em 17° e Hamilton em 20° com as Mclarens; Alonso sai em 19° e Massa em 21°. O brasileiro disse que a culpa foi de todos.
A última fila é de brasileiros: Senna sai em 23° e de Di Grassi em 24°, fato que não acontecia desde o GP da Bélgica de 2001 quando Bernoldi (Arrows A22) saiu em 21° e Tarso Marques (Minardi PS01B) 22° formando as últimas posições na largada.
O pulo do gato veio de Webber, que soube a hora certa de usar pneus intermediários na Q3 quando todos usaram pneus "biscoitão". O australiano colocou mais de 1 segundo nos seus rivais. Ao seu lado sai Nico Rosberg, que vê uma chance de ganhar seu primeiro GP. A esquadra alemã continua com Vettel em terceiro (quem sabe ele não vence agora, afinal está largando em terceiro e se for azar largar na pole quem pode quebrar é o seu companheiro), Sutil em quarto e Hulkenberg em quinto. Schumi aparece em oitavo, atrás de Barrichello.
A previsão para amanhã é de chuva e o horário da prova é às 4 da tarde na Malásia. Ano passado a prova terminou na metade por causa de uma tempestade tropical e a luz natural já estava baixa, assim forçando o término da prova prematuramente.

GRID DE LARGADA PARA O GRANDE PRÊMIO DA MALÁSIA- 3ªETAPA

1 - Mark Webber (AUS / RBR) - 1min49s327
2 - Nico Rosberg (ALE / Mercedes) - 1min50s673
3 - Sebastian Vettel (ALE / RBR) - 1min50s789
4 - Adrian Sutil (ALE / Force India) - 1min50s914
5 - Nico Hulkenberg (ALE / Williams) - 1min51s001
6 - Robert Kubica (POL / Renault) - 1min51s051
7 - Rubens Barrichello (BRA /Williams) - 1min51s511
8 - Michael Schumacher (ALE / Mercedes) - 1min51s717
9 - Kamui Kobayashi (JAP / BMW)- 1min51s767
10 - Vitantonio Liuzzi - (ITA / Force India) - 1min52s254
11 - Vitaly Petrov (RUS / Renault) - 1min48s760
12 - Pedro de la Rosa (ESP / BMW Sauber) - 1min48s771
13 - Sebastien Buemi (SUI / STR) - 1min49s207
14 - Jaime Alguersuari (ESP / STR) - 1min49s464
15 - Heikki Kovaleinen (FIN / Lotus) - 1min52s270
16 - Timo Glock (ALE / Virgin) - 1min52s520
17 - Jenson Button (ING / McLaren) - 1min52s211
18 - Jarno Trulli (ITA / Lotus) - 1min52s884
19 - Fernando Alonso (ESP / Ferrari) - 1min53s044
20 - Lewis Hamilton (ING/ McLaren) - 1min53s050
21 - Felipe Massa (BRA / Ferrari) - 1min53s283
22 - Karun Chandhok (IND / Hispania) - 1min56s299
23 - Bruno Senna (BRA / Hispania) - 1min57s269
24 - Lucas di Grassi (BRA / Virgin) - 1min59s977

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Hamilton dominante em Sepang

Nos dois treinos livres desta sexta-feira em Sepang, Lewis Hamilton foi absoluto ao dominar as duas sessões e não dar chance alguma aos concorrentes. Seu tempo foi de 1min34s175, 0.266 mais rápido que Vettel que marcou o segundo tempo.
Seguindo a lista, Rosberg ficou em terceiro, Button quarto e Schumi, que chegou a liderar o treino por alguns instantes, ficou em 5°.
As Ferraris foram medianas comn Alonso terminando em oitavo e Massa em 16°. Barrichello terminou em 17°, Di Grassi em 23° e Senna em 26°, mas estes dois últimos estão mais confiantes pois seus carros não apresentaram problemas.
A Lotus e Force India usaram 3 pilotos cada. A equipe Lotus entregou o carro para o piloto de testes Fairus Fauzy, que é malaio, no primeiro treino marcando o 24° tempo no geral. Kovalainen assumiu o carro a tarde e terminou em 21°. No Force India o escocês Paul di Resta, que já havia treinado na Autrália, usou o carro de Liuzzi no primeiro treino e ficou em 18°. Vitantonio voltou na segunda sessão e acabou em 13°.
Ao contrário do que se esperava as duas sessões de treinos foramn disputadas com tempo seco. Apenas no intervalo de ambas que choveu, mas por causa do forte calor, já estava seca a pista para a prática da tarde.

RESULTADO- TREINOS LIVRES PARA O GP DA MALÁSIA- 3ª ETAPA (TEMPOS AGREGADOS)

1 - Lewis Hamilton (ING/ McLaren) - 1min34s175
2 - Sebastian Vettel (ALE / RBR) - 1min34s441
3 - Nico Rosberg (ALE / Mercedes) - 1min34s443
4 - Jenson Button (ING / McLaren) - 1min34s538
5 - Michael Schumacher (ALE / Mercedes) - 1min34s674
6 - Robert Kubica (POL / Renault) - 1min35s148
7 - Mark Webber (AUS / RBR) - 1min35s479
8 - Fernando Alonso (ESP / Ferrari) - 1min35s581
9 - Sebastien Buemi (SUI / STR) - 1min35s660
10 - Vitaly Petrov (RUS / Renault) - 1min35s872
11 - Adrian Sutil (ALE / Force India) - 1min35s955
12 - Kamui Kobayashi (JAP / BMW)- 1min36s018
13 - Vitantonio Liuzzi - (ITA / Force India) - 1min36s221
14 - Jaime Alguersuari (ESP / STR) - 1min36s325
15 - Pedro de la Rosa (ESP / BMW Sauber) - 1min36s325
16 - Felipe Massa (BRA / Ferrari) - 1min36s451
17 - Rubens Barrichello (BRA /Williams) - 1min36s813
18 - Paul di Resta (ESC / Force India) - 1min36s891
19 - Nico Hulkenberg (ALE / Williams) - 1min37s415
20 - Jarno Trulli (ITA / Lotus) - 1min38s454
21 - Heikki Kovaleinen (FIN / Lotus) - 1min38s530 **
22 - Timo Glock (ALE / Virgin) - 1min39s061
23 - Lucas di Grassi (BRA / Virgin) - 1min39s158
24 - Fairuz Fauzy (MAL / Lotus) - 1min40s721 **
25 - Karun Chandhok (IND / Hispania) - 1min41s084
26 - Bruno Senna (BRA / Hispania) - 1min41s481

* Force India usou Paul di Resta no primeiro treino e Liuzzi assumiu o carro na segunda parte.
** Lotus correu com Fairuz Fauzy de manhã e Liuzzi correu na segunda parte dos treinos.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

GP da Malásia, 1999

A decisão do campeonato de 1999 estava em fervor quando a F1 desembarcou em Kuala Lumpur para o primeiro GP da Malásia.
Os protagonistas Hakkinen (Mclaren MP4/14-Mercedes) e Irvine (Ferrari F399) estavam na briga pelo mundial, mas a corrida tinha uma volta esperada: a de Michael Schumacher.
Voltando após uma a convalescência do acidente sofrido no GP da Inglaterra, quando quebrou a perna, Schumi foi a grande arma da Ferrari para impedir a possível conquista do título de Hakkinen naquela corrida.
O finlandês precisava apenas de chegar à frente de Irvine para garantir o mundial. Para o irlandês a vitória era o que lhe restava para tentar levar a briga para a última etapa, em Suzuka. E Schumi foi o peso da balança.
Michael largou da pole, tendo ao seu lado Irvine e em terceiro Coulthard e Hakkinen em quarto. Schumi sustentou a primeira posição seguido por Irvine e Hakkinen pulou para terceiro.
O plano da Ferrari foi colocado logo em prática quando Schumi deixou Irvine passar para o primeiro posto. A intenção era de Michael bloquear Hakkinen, o que acabou por dar certo.
Coulthard ainda chegou a passar Schumacher e ir à caça de Irvine, mas problemas no seu carro acabaram com suas chances de tentar ajudar Mika.
Irvine, tendo seu escudeiro de luxo a bloquear Hakkinen na prova, venceu esta e assumia a liderança do mundial de pilotos com 4 pontos de vantagem sobre Mika que tinha ficado na terceira posição, tolhido por Schumi que fez um retorno fabuloso e não venceu a prova por que realmente tinha que ajudar seu companheiro.
A prova ainda demorou a terminar, pois os comissários técnicos da FIA mediram o defletor dos Ferrari que estaria 10mm menos que o regulementado e os desclassificaram, resultado que ficou até o dia seguinte quando foi refeito o trabalho e o resultado sendo alterado mais uma vez, com a volta das Ferraris ao 1-2 de domingo.