terça-feira, 29 de junho de 2010

Garotas da F1- Grande Prêmio da Europa

No próximo ano proponho a FOM que instale essa câmera novamente neste local, ao menos a visão será mais interessante.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

A outra decolagem de Webber

Se você ficou impressionado com a decolagem de Mark Webber ontem em Valência, saiba que isto não foi a primeira vez que aconteceu com o australiano. Ele já teve essa experiência antes.
Em 1999 ele integrava a equipe Mercedes no mundial do FIA GT pilotando um Mercedes CLR GTR e foi escalado para dividir o volante deste com Jean Marc Gounon e Marcel Tiemann.
O primeiro acidente aconteceu durante o warm-up antes da prova. Webber decolou seu carro no final da reta Mulsanne. No vídeo abaixo o carro já aparece capotado e com o piloto australianop sendo retirado, ainda zonzo por causa do rodopio.


Mais tarde, já na prova, a outra decolagem aconteceu com o Mercedes número 5 do trio Christhophe Bouchut/ Nick Heidfeld/ Peter Dumbreck. Este último estava no volante do carro quando decolou após estar no vácuo do Toyota GT One, na reta Mulsanne.

Análise do dez primeiros- GP da Europa

Sebastian Vettel- Largando da pole num circuito de rua as coisas ficam mais fáceis e com seu companheiro Webber de fora, ficou ainda mais. Mesmo assim teve que manter a concentração para segurar o ímpeto de Hamilton nas primeiras curvas do circuito após a largada. Depois teve sossego para abrir boa vantagem e vencer a prova. 

Lewis Hamilton- Ótima largada pulando de terceiro para segundo. Depois tentou tomar a liderança de Vettel onde não teve sussesso. No episódio do safety car, foi uma mancada das grandes pois ele tinha visto o carro sair boxes e acabou ultrapassando-o. Foi punido mais tarde mas ainda sim conseguiu voltar atrás de Vettel, mesmo com 14 segundos de desvantagem.  

Jenson Button- Largando em sétimo tudo parecia complicado para ele, mas o safety car o ajudou e talvez, se não tivesse ficado ancalhado atrás de Kobayashi por quase toda a prova, poderia ter chegado em segundo. Mas está vivíssimo neste mundial.

Rubens Barrichello- Grande prova dele. Saiu em nono e foi um dos beneficiados pela entrada do safety. Fazendo apenas uma troca de pneus e com um carro constante, conseguiu chegar na melhor posição dele e da Williams no ano. Tem que comemorar muito, pois acredito que não terá outra chance dessas pois o motor Cosworth é uma porcaria. Vai sofrer horrores no novo traçado veloz de Silverstone, próxima etapa.

Robert Kubica- Constante e sempre o polonês vai fazendo um mundial fabuloso. O carro é decente e o motro Renault está no mesmo nível dos Mercedes.

Adrian Sutil- Saiu em 13º e sua corrida também seria complicada, mas como os demais, o safety car salvou sua prova. Segundo ele, foi a melhor corrida do ano.

Kamui Kobayashi- Se teve alguém que soube aproveitar e muito bem a entrada do safety foi ele. Largou em décimo oitavo e tinha uma corrida perdida, mas subiu para terceiro após a entrada do carro de segurança  e ali se manteve até quando faltava três voltas para o fim. Trocou os pneus, voltou em nono, atacou Alonso e Buemi nas duas últimas voltas e chegou em sétimo. Uma atuação maravilhosa.

Fernando Alonso- Sem dúvida ele e Massa se deram mal com a história do safety. Estava em treceiro quando houve a intervenção do carro de segurança na prova e, enquanto ele fazia toda a volta atrás deste, os outros paravam para a troca de pneus e assim ele despencou para 12º. Entregou a mancada de Hamilton para a FIA mas pagou um mico danado quando ficou nervoso ao saber que o inglês tinha pago a punição e ainda se encontrava em terceiro. Ta na hora dele começar a acelerar mais e deixar Lewis em paz. Virou uma obsessão sem limites. 

Sebastian Buemi- Boa prova do suiço que começa a bater Alguersuari também nos treinos. Na prova estava em sétimo até o fim, mas os pneus estavam na lona. Segurou as investidas de Alonso, mas contra Kobayashi, que tinha pneus novinhos, não conseguiu segurá-lo e  na última volta perdeu a posição na entrada da reta dos boxes. Acabou caindo para nono após receber 5 segundos por desrespeitar o safety. 

Nico Rosberg- Os graves problemas de freios no seu Mercedes (Schumi enfrentou problema semelhante) agravaram ainda mais o péssimo fim de semana dos carros prateados. Antes dos treinos parecia que podia largar entre os dez, mas teve que se contentar com a 12ª posição. Na corrida as coisas estavam critícas, mas as punições para De La Rosa e Petrov o ajudaram e assim ele conseguiu marcar um pontinho.

domingo, 27 de junho de 2010

Vettel volta a vencer em corrida marcada por punições e acidente espetacular

Circuitos urbanos normalmente revelam corridas chatas, principalmente se carros superiores largam na frente e desaparecem na ponta das provas. Assim foi em Mônaco com Webber este ano e hoje a história se repetiu, desta vez com Vettel.
Claro que sua vantagem final sobre Hamilton ficou em cinco segundos, devido a preocupação de poupar combustível, mas mesmo se o inglês apertasse o ritmo (como chegou a acontecer em alguns momentos da prova) e chegasse em Vettel, o alemão teria condições suficiente para abrir vantagem.
De todo um modo a prova para Sebastian foi tranquila. Teve trabalho apenas para segurar os ataques de Hamilton nas primeiras curvas do circuito, quando o inglês chegou a emparelhar com ele e discutir a liderança da corrida mas ele teve braço e velocidade o suficiente para garantir a primeira posição e depois abrir boa vantagem (que não chegou mal aos 4 segundos). Com Webber fora da jogada após uma má largada deste, Vettel teve total tranquilidade na prova e voltou a vencer após cinco provas.
Por falar no australiano, a sua prova é de para ser esquecida. Uma largada pavorosa despencando de segundo para nono na primeira volta, fez a Red Bull adiantar a sua parada nos boxes o que o relegou para décimo nono. Quando tentava ultrapassar Kovalainen, seu carro toca na traseira do Lotus do finlandês, decola, cai de ponta cabeça e depois vira com as quatro (quer dizer, com o que restou) para o asfalto e vai parar na barreira de pneus, batendo com certa violência. Mas Webber saiu ileso.
Fora isso a prova extremamente modorrenta mas quem se destacou foi Kobayashi, que ficou na terceira posição desde a saída do safety car na volta 13 até a 55ª passagem quando teve que entrar nos boxes para fazer sua troca de pneus. Voltando em nono, ele atacou Alonso (que também atacava Buemi) e ultrapassou o espanhol numa bela manobra no mesmo local onde Webber se acidentou. Na última volta freiou e ganhou a posição de Buemi na última curva do circuito, subindo assim para sétimo. Uma exibição maravilhosa do japonês que vinha penando nas últimas provas e que tinha nos mostrado uma pilotagem virtuosa com as exibições nas provas do Brasil e Abu-Dhabi ano passado.
Erros durante a prova foi o que não faltou. Hamilton foi punido por ter ultrapassado o safety no momento que este saía dos boxes. Fez um Drive & Through e voltou ainda na segunda posição, mas perdeu uma boa chance de tentar atacar Vettel  na parte final da corrida.
A Ferrari, que vinha bem com Alonso em terceiro e Massa em quarto, acabou sendo prejudicada pela entrada do safety. Com os outros pilotos parando antes do duo da Ferrari, estes quando pararam voltaram em 12° (Alonso) e 17° (Massa). No fim Fernando terminou em sétimo e Massa em 11°, numa corrida que inicialmente indicava ser ótima para os carros italianos.
Schumi também esteve com chances de até chegar no pódio, mas a Mercedes aniquilou tudo quando mandou o alemão para os boxes quando este se encontrava em terceiro após parada de boxes de alguns pilotos durante o safety car. Voltou em 17° e sua prova já estava arruinada, mas mesmo assim relembrou seus tempos de Ferrari ao marcar por três vezes a melhor volta da corrida. Terminou em 15°.
Outros nove pilotos se deram mal em desrespeitar a entrada do safety: Jenson Button, Rubens Barrichello, Nico Hülkenberg, Robert Kubica, Vitaly Petrov, Adrian Sutil, Sébastien Buemi, Pedro de la Rosa e Vitantonio Liuzzi. Foi acrescentado 5s no tempo final de prova de todos eles e assim Alonso que havia chagdo em nono subiu para oitavo, Buemi caiu para nono; De La Rosa e Petrov que haviam terminado em 10° e 11°, cairam para 12° e 14° respectivamente. Assim Rosberg pulou para décimo e Massa para 11°.
Barrichello, que havia vencido ano passado com a BrawnGP em Valência, chegou em quarto na sua melhor prova até aqui em 2010; Di Grassi acabou na frente de Glock chegando em 17° e Senna, que se envolveu num incidente com Timo, teve a asa dianteira quebrada e acabou em 20°.



Alonso e Massa em ação no GP do Europa: ambos esperavam um resultado melhor após o treino do sábado e na corrida estavam bem quando o safety entrou. Alonso terminou em oitavo e Massa em 11°. O espanhol foi quem entregou a ultrapassagem de Hamilton sobre o safety car. Mas não gostou nenhum pouco quando perguntou ao seu engenheiro em que posição havia voltado seu desafeto e ele o disse que Lewis, mesmo tendo cumprido a punição, ainda se encontrava em segundo. 

Mark Webber relembrou seus tempos de Mercedes e vôou literalmente com seu carro ao tocar na traseira do Lotus de Kovalainen. O nome da curva em que aconteceu o acidente, leva o "singelo" nome de "A curva do cemitério" pelo fato da curva passar perto de um cemitério.

Hamilton ataca Vettel após a largada: o piloto inglês foi punido mas conseguiu terminar em segundo. Ainda é líder do mundial com 127 pontos, nove a mais que Button.

RESULTADO FINAL
Grande Prêmio da Europa
Circuito de rua- Valência- Espanha
9ª Etapa


1. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull) - 57 voltas
2. Lewis Hamilton (ING/McLaren) - a 5s
3. Jenson Button (ING/McLaren) - a 12s6
4. Rubens Barrichello (BRA/Williams) - a 25s6
5. Robert Kubica (POL/Renault) - a 27s1
6. Adrian Sutil (ALE/Force India) - a 30s1
7. Kamui Kobayashi (JAP/Sauber) - a 30s9
8. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) - a 32s8
9. Sebastian Buemi (SUI/Toro Rosso) - a 36s2
10. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) - a 44s3
11. Pedro de la Rosa (ESP/Sauber) - a 47s4
12. Vitaly Petrov (RUS/Renault) - a 48s2
13. Felipe Massa (BRA/Ferrari) - a 46s6
14. Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso) - a 48s2
15. Michael Schumacher (ALE/Mercedes) - a 48s8
16. Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India) - a 50s8
17. Lucas Di Grassi (BRA/Virgin) - a 1 volta
18. Timo Glock (ALE/Virgin) - a 2 volta
19. Karun Chandhok (IND/Hispania) - a 2 volta
20. Bruno Senna (BRA/Hispania) - a 2 volta
21. Jarno Trulli (ITA/Lotus) - a 4 volta

Deixaram a prova:
Nico Hulkenberg (ALE/Williams) - volta 50
Heikki Kovalainen (FIN/Lotus) - volta 9
Mark Webber (AUS/Red Bull) - volta 9

Volta mais rápida:
Jenson Button (ING/McLaren) - 1min38s766

sábado, 26 de junho de 2010

Vettel na pole em Valência

Num treino sem grande trabalho, Sebastian Vettel garantiu a sua terceira pole no ano e com seu companheiro de equipe Mark Webber ao seu lado na primeira fila, a vitória da Red Bull é quase certa. Nesta prova a equipe vai utilizar o duto frontal, que acabou sendo uma boa arma já neste treino de sábado.
Completando os dez primeiros, Hamilton em terceiro; Alonso em quarto seguido de Massa na quinta posição mostrando uma melhora considerável do carro da Ferrari que estréia uma nova traseira; em sexto Kubica em outro bom trabalho com o carro da Renault; sétimo Button; oitavo Hulkenberg; nono Barrichello e décimo Petrov.
A decepção fica com o duo da Mercedes, Rosberg e Schumi que não passaram para a Q3 e ficaram em 12°e 15°, respectivamente. Foi um balde de água fria, pois ambos elogiaram o bom desempenho do W01 nos treinos da sexta.
Di Grassi sai à frente de Glock (21° e 22°), enquanto Senna sai em último.
Desculpe-me pelo texto curto.

GRID DE LARGADA PARA O GRANDE PRÊMIO DA EUROPA- 9ª ETAPA

Q1
1. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull) - 1min37s587
2. Mark Webber (AUS/Red Bull) - 1min37s662
3. Lewis Hamilton (ING/McLaren) - 1min37s969
4. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) - 1min38s075
5. Felipe Massa (BRA/Ferrari) - 1min38s127
6. Robert Kubica (POL/Renault) - 1min38s137
7. Jenson Button (ING/McLaren) - 1min38s210
8. Nico Hulkenberg (ALE/Williams) - 1min38s428
9. Rubens Barrichello (BRA/Williams) - 1min38s428
10. Vitaly Petrov (RUS/Renault) - 1min38s523

Q2
11. Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso) - 1min38s586
12. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) - 1min38s627
13. Adrian Sutil (ALE/Force India) - 1min38s851
14. Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India) - 1min38s884
15. Michael Schumacher (ALE/Mercedes) - 1min39s234
16. Pedro de la Rosa (ESP/Sauber) - 1min39s264
17. Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso) - 1min39s458

Q3
18. Kamui Kobayashi (JAP/Sauber) - 1min39s343
19. Jarno Trulli (ITA/Lotus) - 1min40s658
20. Heikki Kovalainen (FIN/Lotus) - 1min40s882
21. Lucas di Grassi (BRA/Virgin) - 1min42s086
22. Timo Glock (ALE/Virgin) - 1min42s140
23. Karun Chandhok (ING/Hispania) - 1min42s600
24. Bruno Senna (BRA/Hispania) - 1min42s851

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Ferrari mostra força com Alonso e é mais rápida da sexta em Valência

Com uma volta 0''056 milésimos mais rápido que Vettel, Alonso colocou a Ferrari no topo da tabela de tempos desta sexta em Valência. O espanhol marcou 1'39''283 e mostra que as mudanças na traseira da Ferrari parecem ter surtido efeito. O mesmo não pode desfrutar Massa, que rodou na saída da ponte e ficou parado na pista forçando uma bandeira vermelha. Voltou ao treino e terminou em sétimo.
Além de Vettel em segundo, que elogiou o desempenho do seu Red Bull com o duto frontal, seguiram na lista Webber, Rosberg, Hamilton, Kubica, Massa, Sutil, Button e Barrichello. Schumi, que diz ter ficado marvilhado ao pilotar pela primeira vez no circuito urbano de Valência, fechou em 11°.
Di Grassi ficou em 22° e Senna em 23°.
Por ser tratar de um circuito urbano, acredito que a Ferrari, lembrando do bom desempenho deles em Mônaco, podem fazer um ótimo trabalho e assim sendo sérios candidatos à pole neste sábado.

TREINOS LIVRES PARA O GRANDE PRÊMIO DA EUROPA- 9ª ETAPA

1. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) - 1min39s283
2. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull) - 1min39s339
3. Mark Webber (AUS/Red Bull) - 1min39s427
4. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) - 1min39s650
5. Lewis Hamilton (GBR/McLaren) - 1min39s749
6. Robert Kubica (POL/Renault) - 1min39s880
7. Felipe Massa (BRA/Ferrari) - 1min39s947
8. Adrian Sutil (ALE/Force India) - 1min40s020
9. Jenson Button (ALE/McLaren) - 1min40s029
10. Rubens Barrichello (BRA/Williams) - 1min40s174
11. Michael Schumacher (ALE/Mercedes) - 1min40s287
12. Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India) - 1min40s387
13. Vitaly Petrov (RUS/Renault) - 1min40s618
14. Kamui Kobayashi (JPN/Sauber) - 1min40s906
15. Pedro de la Rosa (ESP/Sauber) - 1min40s945
16. Sébastien Buemi (SUI/Toro Rosso) - 1min41s115
17. Nico Hülkenberg (ALE/Williams) - 1min41s371
18. Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso) - 1min41s457
19. Heikki Kovalainen (FIN/Lotus) - 1min41s371
20. Jarno Trulli (ITA/Lotus) - 1min42s993
21. Timo Glock (ALE/Virgin) - 1min43s811
22. Lucas Di Grassi (BRA/Virgin) - 1min43s854
23. Bruno Senna (BRA/Hispania) - 1min44s095
24. Karun Chandhok (IND/Hispania) - 1min44s566

quarta-feira, 23 de junho de 2010

GP da Europa, 1985

A décima quarta etapa do mundial de Fórmula-1 de 1985 foi realizado na belíssimo circuito de Brands Hatch, entitulado como Grande Prêmio da Europa. Para aquela prova, as atenções estavam voltadas para o possível desfecho do mundial pró Alain Prost (Mclaren- TAG Porsche) contra Michele Alboreto (Ferrari). O piloto francês tinha 16 pontos de vantagem para o italiano e este último precisava mais do que nunca da vitória para empurrar a disputa para as duas últimas provas restantes, em Kyalami (África do Sul) e Adelaide (Austrália).
Enquanto os dois contendores ao título colocariam seus nervos à prova, os demais ficaram relaxados para tentar beliscar uma vitória no GP europeu.
Senna (pole) e Piquet (2º) marcaram a primeira dobradinha brasileira numa primeira fila de uma corrida, com Ayrton a quebrar o recorde da pole em mais de dois segundos. Na segunda fila, o duo da Williams com Mansell aparecendo em terceiro e Rosberg em quarto. Prost estava confortável com a sua quinta colocação, já que Alboreto aparecia dez posições atrás e isso o ajudava e muito.
Senna saiu bem e conseguiu se manter na frente de Mansell, que o pressionou na Paddock após ter passado por Piquet na largada. Nigel erraria o trajeto na curva Druids e assim caiu para quarto, após ser ultrapassado por Rosberg e Piquet.
Agora a briga era de Senna e Rosberg, que resultou numa rodada do finlandês que tentou ultrapassar o brasileiro por dentro na curva Surtees. Keke rodou e foi acertado por Piquet que abandonou ali mesmo. Rosberg ainda foi aos boxes, trocou o pneu estourado, voltou em 23º com quase uma volta de atraso e conseguiu terminar em terceiro após grande recuperação.
Mansell voltou a atacar Senna após o incidente entre Rosberg e Piquet com força total. Na oitava volta Ayrton se encontrava logo atrás de Keke e este o bloqueou. Mansell aproveitou o descuido de Senna e o ultrapassou na curva Surtees. Dai e diante o inglês abriu vantagem e se encaminhou para a sua primeira vitória na F1. Foi a primeira vitória de um britânico na categoria desde a conquista de Hunt no GP do Japão de 1977.
Para Alain Prost, que havia caído várias posições após a largada quando desviou do carro de Rosberg, conseguiu superar Alboreto na pista e no campeonato. O francês chegou em quarto e conquistou o seu primeiro mundial. Alboreto abandonou a corrida na 13ª volta com problemas no turbo do seu carro e assim terminou o sonho de um piloto italiano vencer o mundial pela Ferrari após 32 anos.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

E os Peugeots tropeçaram na sua arrogância, mais uma vez

De vez em quando uma boa rasteira na autoconfiança vem a calhar. Nas 24 Horas de Le Mans deste ano, disputada nos últimos dias 12 e 13 de junho, a comunidade automobilística viu como perder uma prova ganha por total ignorância de uma equipe.
A Peugeot tinha feito um estrago. Havia posicionado seus quatro carros (três oficiais e um semi) nas duas primeiras filas e o pole tinha colocado no melhor Audi, que aparecia em quinto, mais de 3.5 de vantagem.
A vitória da inteligência: os Audi vencem as 24 horas de Le Mans 2010
Na corrida um ritmo alucinante que fez a maioria crer que os Audi não teriam a menor chance. Por volta, os carros franceses viravam entre 1 à 2 segundos e meio mais veloz que os alemães e isso deixava claro o tamanho da superiodade que eles tinham naquele momento. Não se abalaram nem quando o carro nº3 de Bourdais/ Lamy/ Pagenaud saíram da corrida com a suspensão traseira quebrada. O conserto foi descartado e assim a Peugeot ficava alijada de um carro.
Pedir para os outros dosarem o ritmo? Que nada. Continuaram a mandar bala e virando voltas extremamente velozes. O preço de tanta correria desnecessária aconteceu quando os Peugeots foram abandonando um a um e na altura que faltavam 2 horas para o fim da prova, apenas um Peugeot permanecia na prova e era o semi-oficial do Team Oreca pilotado por Panis/Lapierre/Duval.
Talvez a ganância do time oficial da Peugeot tenha afetado a equipe Oreca, que também não controlou o ímpeto de seus pilotos e os deixou mandar o sapato perto do fim da corrida tanto que haviam feito a melhor volta em 3min19s074 (0''637 décimos mais rápido que a pole) faltando apenas 1h30 para o término. Estavam próximos do Audi #7 de Kristensen/Capello/Mcnish quando o motor Peugeot estourou. Foi o canto do cisne para os franceses, que almejavam, pelo menos, o terceiro lugar no pódio.
Foi uma derrota burramente vergonhosa comparada, talvez, com o Grande Prêmio do ACF (Automóvel Clube da França) de 1914.
Lautenschlager à caminho da vitória no GP do ACF de 1914
A Peugeot se encontrava como a maior fábrica de carros daquele tempo e também a maior equipe de corridas do mundo. No ano de 1913 havia vencido as principais provas: GP do ACF, 500 Milhas de Indianápolis entre outras. Para a corrida francesa de 1914 a Peugeot havia preparado seu novo carro: o L-45 que foi destinado aos melhores pilotos franceses daquela época Georges Boillot, Jules Goux (que havia vencido em Indianápolis para a marca no ano anterior) e Victor Rigal. Entre tanta outras equipes a ameaça vinha da crescente Mercedes, que levou 5 carros confiando-lhes aos pilotos Christian Lautenschlager, Max Sailer, Otto Salzer, Théodore Pillette e Louis Wagner.
A corrida deveria ser um domínio dos Peugeots, mas a Mercedes comandou o inicio da prova com Sailer que imprimia um ritmo violentíssimo durante as cinco voltas que permaneceu na prova. No intuito de não deixar a Mercedes vencer a prova, a Peugeot liberou Boillot e Goux para perseguirem Max no mesmo ritmo. O piloto alemão abandonou a prova com problemas de rolamento e Boillot assumiu a ponta, liderando por 13 voltas com um ritmo ainda mais absurdo. Assim os pneus de seu Peugeot não aguentaram e ele teve que fazer um pit stop quando faltava duas voltas para o fim. Quando voltou, tinha o Mercedes de Lautenschlager no seu encalço. O piloto alemão, com um carro mais inteiro, forçou o ritmo e Boillot, na tentativa natural de defender a sua posição, acabou tendo problemas numa válvula do seu carro forçando abandonar a prova e deixar caminho aberto para a trinca da Mercedes vencer, com Lautenschlager em primeiro, Wagner em segundo e Salzer em terceiro. Goux, com o outro Peugeot, teve que abrandar o ritmo por problemas e terminou em quarto. Tinha sido arrasador o desempenho dos Mercedes que colocaram os franceses em seus devidos lugares.
Passados 96 anos a Peugeot não aprendeu com o passado e tropeçou novamente na sua arrogância exagerada.
O trio da Mercedes da esquerda para direita: Lautenschlager, Wagner e Salzer.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Análise dos dez primeiros- GP do Canadá

Lewis Hamilton- Uma bela pole no sábado e uma corrida magnífica no domingo deram ao inglês uma vitória maiúscula, conseguida no braço e com grande duelos contra Vettel e Alonso, com quem teve que a companhia durante todo GP.Com a conquista assumiu a liderança do mundial de pilotos.


Jenson Button- Parecia uma prova apagada do inglês, mas como sempre poupou pneus e se aproveitou do erro de Alonso para subir à segunda posição na classificação já perto do fim da corrida. Tinha carro para tentar chegar em Hamilton, mas acabou desistindo. Está em segundo no mundial de pilotos.

Fernando Alonso- Grande corrida do espanhol, mas seus erros na tentativa de de ficar á frente das Mclarens lhe custaram, talvez, até mesmo a vitória. Fora isso mostrou uma boa evolução da Ferrari ao andar no encalço de Hamilton a corrida inteira. Pode ter uma boa jornada em Valência, próxima etapa.

Sebastian Vettel- Mais uma vez errou na classificação, mas com a perda de cinco posições de Webber no grid, saiu em segundo e duelou com Hamilton no início da prova. Depois da sua primeira roca de pneus ficou em quarto e não ameaçou mais ninguém na prova.


Mark Webber- A perda de cinco posições no grid pela troca do câmbio o prejudicou e talvez pudesse discutir a vitória com Lewis durante a corrida. Até tentou arriscando ficar na pista por mais de vinte voltas com pneus duros, na esperança que os demais fizessem uma terceira parada que não aconteceu. Ele fez seu segundo pit e voltou em quinto, onde terminou a prova.


Nico Rosberg- Prova tranquila do alemão. De bom mesmo foi se classificar mais uma vez na frente de Schumi com total tranquilidade.


Robert Kubica- Assim como Rosberg fez uma corrida tranquila e a única vez que teve trabalho, fora com Schumi, quando este saía dos boxes e brigaram forte pela sexta posição.


Sebastien Buemi- Helmut Marko, chefe de recrutamento de novos talentos da Red Bull, tinha cobrado bons resultados do suíço e ele não decepcionou: fez uma bela corrida e conseguiu grande ultrapassagem contra Schumi e melhor, não tomou tempo de Alguersuari de quem vinha levando uma surra a algumas provas.


Vitantonio Liuzzi- Largou em sexto, bateu rodas com Massa na largada, duelou com o brasileiro em outra fase da prova e teve uma briga de sair lascas com Shumi pela nona posição que acabou ganhando. Uma corrida e tanto do italiano que precisava de um bom resultado.


Adrian Sutil- Boas brigas no pelotão intermediário contra Buemi, Massa, Liuzzi e Schumi. Terminou em décimo após se aproveitar da ultrapassagem de Liuzzi em Schumacher.

domingo, 13 de junho de 2010

Mclaren faz 1-2 em Montreal, Red Bulls decepcionan e Ferrari mostra força

Senti falta do belo circuito Gilles Villeneuve na última temporada da F1. Circuito de média para alta velocidade que tradicionalmente nos traz belas provas e disputas, que são causadas normalmente por entradas do Safety-Car ou por graves problemas de freios. Hoje não foi isso que deu o ar de emoção na corrida mas sim os pneus, que antes que fosse completada dez voltas de provas já estava a mandar os ponteiros para os boxes.
Belas batalhas, principalmente pela liderança. Até a volta 17, quando as coisas se acalmaram, a ponta da corrida tinha passado pelas mãos de Hamilton, Vettel e Webber que tiveram que trocar os pneus pelo forte desgaste. Mas o inícío já era movimentado, pelos menos no meio do pelotão, quando Massa tocou rodas com Liuzzi na disputa pela sexta posição. O brasileiro levou a pior e caiu para último quando teve que ir aos boxes para trocar o bico. Foi uma pena, pois tinha um carro formidável e mesmo andando lá trás, virava tempos idênticos aos dos ponteiros Hamilton, Alonso, Button e isso indicava que poderia que pelo menos poderia brigar por um lugar no pódio. Perto do fim da prova, numa disputa com Schumi pelo nono lugar, levou um toque do alemão que acabou quebrando o bico de seu carro novamente. Assim acabou terminando em 15º.
Voltando ao pelotão dianteiro, faltando 20 voltas para o término da corrida, a vitória ainda estava em jogo para Webber, Hamilton, Alonso, Button e Vettel que ocupavam as cinco primeiras posições nessa ordem. O piloto australiano acreditava que os dois carros da Mclaren e o da Ferrari teriam que fazer uma terceira parada e assim se manteve na pista com um jogo de pneus duros por mais de vinte voltas, mas isso acabou saindo caro. Hamilton se aproximou cada vez mais rápido fez bela ultrapassagem sobre o Red Bull de Webber na entrada do "S" após reta dos boxes e assumiu a liderança. Fernando perdeu tempo e só assumiu o segundo posto quando Mark foi para os boxes para efetuar a troca. Voltou em quinto e ai ficou até o fim da corrida. Foi uma apresentação bem abaixo do que se esperava dos Red Bulls na pista canadense.
Hamilton e Alonso travaram bons duelos pela primeira posição durante boa parte da prova, mas o espanhol falhou durante uma ultrapassagem sobre Chandhok e deixou que Button o ultrapassasse quando faltavam 12 voltas. Foi uma prova interessante da Ferrari em Montreal que depois do vexame na Turquia, 15 dias antes, parecia que as coisas ia decer ladeira abaixo. Alonso foi constante e Massa, mesmo andando no fundo, foi rápido.
Mesmo com os pneus desgastados, Hamilton conseguiu se manter à frente de Button que tinha esboçado uma reação e assim pode chegar a sua segunda vitória no ano de forma consecutiva.
Belas disputas no pelotão intermediário que na maioria viu Schumi ser atacado por vários pilotos. Após a saída do pit encontrou Kubica e com pneus frios tentou e conseguiu segurar sua posição, mesmo com ambos passando pela grama. Já no final da prova, teve o ataque de Massa e na tentativa de segurar o nono lugar tocou a roda traseira esquerda na asa do carro de Felipe que teve que ir aos boxes. Em outro lance, foi ultrapassado por Buemi. A melhor batalha dele foi contra Liuzzi. Ambos tocaram rodas, usaram pista e grama como se fosse um só durante a disputa pela nona colocação. No fim Schumi perdeu para Liuzzi e Sutil, que vinha logo atrás, terminando a prova em 11º.
Barrichello chegou a trocar o bico danificado durante uma disputa e ficou em 14º; Di Grassi ficou o tempo em último e por lá terminou, em 19º e Senna, que havia feito boa largada pulando para décimo sétimo na largada, abandonou antes da primeira metade da corrida.
Montreal voltou e com estilo ao calendário da F1.



Petrov e De La Rosa batem após a largada: o piloto russo teve uma mal jornada e levou duas punições por este acidente e por ter queimado a largada. Já o espanhol abandonou a prova mais tarde por problemas no motor Ferrari.


Massa e Liuzzi se tocam na disputa pela quinta posição depois da largada: o brasileiro levou a pior e caiu várias posições e terminou em 15º. O italiano ainda marcou dois pontos ao vencer Schumi na briga pela nona posição.


Webber ainda tinha chances de vencer, mas teve que parar e trocar os pneus perto do fim da corrida. Fechou em quinto na prova e é terceiro no mundial.

Hamilton e Button festejam no pódio em Montreal: dobradinha na corrida e no campeonato, com Lewis que lidera com três pontos a mais que Button.

RESULTADO FINAL
Grande Prêmio do Canadá- Circuito Gilles Villeneuve- Montreal
13/06/2010
8ª Etapa



1. Lewis Hamilton (ING/McLaren) - 1h33min53s456
2. Jenson Button (ING/McLaren) - a 2s254
3. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) - a 9s214
4. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull) - a 37s817
5. Mark Webber (AUS/Red Bull) - a 39s291
6. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) - a 56s084
7. Robert Kubica (POL/Renault) - a 57s300
8. Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso) - a 1 volta
9. Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India) - a 1 volta
10. Adrian Sutil (ALE/Force India) - a 1 volta
11. Michael Schumacher (ALE/Mercedes) - a 1 volta
12. Jaime Alguersuari (SUI/Toro Rosso) - a 1 volta
13. Nico Hulkenberg (ALE/Williams) - a 1 volta
14. Rubens Barrichello (BRA/Williams) - a 1 volta
15. Felipe Massa (BRA/Ferrari) - a 1 volta
16. Heikki Kovalainen (FIN/Lotus) - a 2 voltas
17. Vitaly Petrov (RUS/Renault) - a 2 voltas
18. Karun Chandhok (IND/Hispania) - a 4 voltas
19. Lucas di Grassi (BRA/Virgin) - a 5 voltas

Não completaram a prova:

Timo Glock (ALE/Virgin)
Jarno Trulli (ITA/Lotus)
Pedro de la Rosa (ESP/Sauber)
Bruno Senna (BRA/Hispania)
Kamui Kobayashi (JAP/Sauber)

Melhor Volta: Robert Kubica (Renault) 1min16s972

sábado, 12 de junho de 2010

24 Horas de Le Mans- 78ª edição

Bela corrida em Le Mans. Até este momento, a liderança cabe a Peugeot do trio Alexander Wurz/Marc Gené/Anthony Davidson. Em seguida vem os outros dois Peugeots. O outro carro francês, pole da corrida, saiu da prova quando após 2 horas e meia com a supensão traseira danificada.
Os Audi continuam vem logo a seguir dos Peugeot, mas o multi campeão de Le Mans, Tom Kristensen, teve um pequeno acidente quando tentou passar um BMW mais lento. Ele escapou e bateu de leve na barreira de pneus, danificando a asa traseira. Foi aos boxes e voltou para a prova.
Nas categorias seguintes, liderança tranquila: LMP2- liderança para o trio da Strakka Racing Nick Leventis/Danny Watts/Jonny Kane; LMGT1- liderança para o trio da Matech Nick Leventis/Danny Watts/Jonny Kane; LMGT2- liderança para o trio da Risi Competizione Jaime Melo Jr./Gianmaria Bruni/Pierre Kaffer.
Diga-se de passagem a GT2 é a categoria mais disputada, com a Risi travando um duelo memorável contra o Corvete. É o grande destaque da prova.
Mansell foi levado para o hospital após um acidente no início da prova. Seu carro teve um pneu furado e o piloto inglês bateu forte da reta Mulsanne. Ele bateu a cabeça, com força, no cockpit do seu Ginetta-Zytek e foi levado para o hospital. O leão passa bem.

Segue abaixo os links do live timing e da transmissão ao vivo*:
http://www.lemans.org/fr/courses/24h-chrono-en-direct-2010.html

http://www.ustream.tv/channel/le-mans2010

* A transmissão pode ir até as 19:00 de Brasilia. Mas torço para que isso não aconteça.

Hamilton sai na pole no Canadá

Estou meio que na correria, acompanhando as 24 Horas de Le Mans e vi e li algumas coisas do treino de agora pouco.
O Hamilton foi excelente em sua volta e assim marcou a sua primeira pole no ano, acabando com o domínio das Red Bulls nesse quesito. Os touros vermelhos vem à seguir com Webber (2º) e Vettel (3º).
As Ferraris se apresentaram bem, com Alonso marcando o quarto tempo e Massa o sétimo.
Surpresa foram as duas Force India em sexto com Liuzzi e nono com Sutil. A negativa foi o décimo terceiro lugra de Schumi com a Mercedes. Acreditava que ele poderia ter ficado entre os dez. Rosberg sai em décimo.
Os demais brasileiros: Barrichello 11º; Senna 22º e Di Grassi 23º.
Estou curioso para ver essa prova de amanhã. Os três primeiros vão dominar a prova, mas quero ver se os freios da Red Bull, que já os deixaram na mão este ano algumas vezes, vai aguentar o exigente circuito Gilles Villeneuve que tradicionalmente castiga os freios dos F1.

GRID DE LARGADA PARA GRANDE PRÊMIO DO CANADÁ- 8ª ETAPA

1. Lewis Hamilton (ING/McLaren) - 1min15s105
2. Mark Webber (AUS/Red Bull) - 1min15s373
3. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull) - 1min15s420
4. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) - 1min15s435
5. Jenson Button (ING/McLaren) - 1min15s520
6. Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India) - 1min15s648
7. Felipe Massa (BRA/Ferrari) - 1min15s688
8. Robert Kubica (POL/Renault) - 1min15s715
9. Adrian Sutil (ALE/Force India) - 1min15s881
10. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) - 1min16s071

Q2
11. Rubens Barrichello (BRA/Williams) - 1min16s434
12. Nico Hulkenberg (ALE/Williams) - 1min16s438
13. Michael Schumacher (ALE/Mercedes) - 1min16s492
14. Vitaly Petrov (ALE/Renault) - 1min16s844
15. Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso) - 1min16s928
16. Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso) - 1min17s029
17. Pedro de la Rosa (ESP/Sauber) - 1min17s384

Q1
18. Kamui Kobayashi (JAP/Sauber) -1min18s019
19. Heikki Kovalainen (FIN/Lotus) - 1min18s237
20. Jarno Trulli (ITA/Lotus) -1min18s698
21. Timo Glock (ALE/Virgin) - 1min18s941
22. Bruno Senna (BRA/Hispania) - 1min19s484
23. Lucas di Grassi (BRA/Virgin) - 1min19s675
24. Karun Chandhok (IND/Hispania) - 1min27s757

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Peugeots arrasadores em Le Mans

Os leões franceses marcaram as 4 primeiras posições para o grida de largada das 24 Horas de Le Mans. A pole foi marcada por Sebastian Bourdais, que corre junto de Lamy e Pagenaud, com a marca de 3'19''711, 0''606 mais rápido que o trio Wurz/Davidson/Gene que estão no outro Peugeot.
O melhor Audi aparece em quinto com o trio Bernhard/Dumas/Rockenfeller com a marca de 3'23''578, mais de 3''8 de desvantagem para o pole.
Na LMP2 pole para Brabham/Franquiti/Werner; LMGT1 a pole ficou com o trio da Aston Martin Enge/Nygaard/Kox; LMGT2 o trio da Corvete, Gavin/Beretta/Collard, marcou o melhor tempo mas a pole seria do trio da Ferrari, formado por Bruni/Melo/Kaffer que foram desclassificados por irregularidades na traseira do F430 do Team Risi Competizione. Eles largaram da última posição.

GRID DE LARGADA PARA AS 24 HORAS DE LE MANS 2010

1. Lamy/Bourdais/Pagenaud P1 Peugeot 908 3:19.711
2. Wurz/Davidson/Gene P1 Peugeot 908 3:20.317
3. Montagny/Sarrazin/Minassian P1 Peugeot 908 3:20.325
4. Panis/Lapierre/Duval P1 ORECA Peugeot 908 3:21.192
5. Bernhard/Dumas/Rockenfeller P1 Audi R15 3:23.578
6. Fassler/Lotterer/Treluyer P1 Audi R15 3:24.430
7. Kristensen/McNish/Capello P1 Audi R15 3:24.688
8. Mucke/Fernandez/Primat P1 Lola-Aston Martin 3:26.680
9. Turner/Hancock/Barazi P1 Lola-Aston Martin 3:26.747
10. Mailleux/Ragues/Ickx P1 Signature Aston 3:29.774
11. Ayari/Andre/Meyrick P1 ORECA 01-AIM 3:30.056
12. Bouchut/Tucker/Rodrigues P1 Kolles Audi R10 3:30.907
13. Jarvis/Albers/Bakkerud P1 Kolles Audi R10 3:31.661
14. Brabham/Franchitti/Werner P2 Highcroft HPD 3:34.537
15. Watts/Kane/Leventis P2 Strakka HPD ARX-01 3:36.168
16. Pirro/Cocker/Drayson P1 Drayson Lola 3:36.634
17. Mansell/Mansell/Mansell P1 Beechdean Ginetta 3:36.897
18. Belicchi/Boullion/Smith P1 Rebellion Lola 3:37.093
19. Jani/Andretti/Prost P1 Rebellion Lola 3:41.007
20. Hughes/Amaral/Pla P2 ASM Ginetta-Zytek 3:41.968
21. Moreau/Charouz/Lahaye P2 Oak Pescarolo 3:42.399
22. Lewis/Burgess/Willman P1 Autocon Lola-AER 3:43.167
23. Erdos/Newton/Wallace P2 RML Lola HPD 3:44.598
24. Pirri/Cioci/Perrazzini P2 Racing Box Lola 3:47.971
25. Hein/Nicolet/Yvon P2 Oak Pescarolo 3:52.730
26. Schell/da Rocha/Zollinger P2 Pegasus Norma 3:52.837
27. Noda/Pourtales/Kennard P2 KSM Lola-Judd 3:52.972
28. Enge/Nygaard/Kox GT1 YD Aston 3:55.025
29. Leinders/Palttala/de Doncker GT1 Marc VDS Ford GT 3:55.356
30. Greaves/Ojjeh/Chalandon P2 Bruichladdich 3:55.680
31. Salini/Salini/Gommendy P2 WR/Salini WR 3:55.818
32. Rostan/Meichtry/Bruneau P2 Race Perf Radical 3:56.679
33. Grosjean/Mutsch/Hirschi GT1 Matech Ford GT 3:57.296
34. Jousse/Gouselard/Massen GT1 Alphand Corvette 3:58.810
35. Policand/Gregoire/Hart GT1 Alphand Corvette 3:58.906
36. Gavin/Beretta/Collard GT2 Corvette 4:01.012
37. O'Connell/Magnussen/Garcia GT2 Corvette 4:00.097
38. Alesi/Fisichella/Vilander GT2 AF Corse Ferrari 3:59.837
39. Lieb/Lietz/Henzler GT2 Felbermayr Porsche 4:01.640
40. Pilet/Narac/Long GT2 IMSA Porsche 4:01.755
41. Farfus/J Muller/Alzen GT2 BMW M3 4:01.893
42. Westbrook/Scheider/Holzer GT2 BMS Porsche 4:02.014
43. Bergmeister/Law/Neiman GT2 Fl. Lizard Porsche 4:02.685
44. Gardel/Berville/Canal GT1 Larbre Saleen 4:03.175
45. Priaulx/D Muller/Werner GT2 BMW M3 4:03.215
46. Farnbacher/Simonsen/Keen GT2 Hankook Ferrari 4:03.886
47. Krohn/Jonsson/van de Poele GT2 Risi Ferrari 4:03.959
48. Coronel/Dumbreck/Bleekemolen GT2 Spyker 4:04.057
49. Yogo/Iiri/Yamanishi GT1 JLOC Lamborghini 4:05.796
50. Allemann/Gachnang/Frey GT1 Matech Ford GT 4:06.286
51. Bell/Sugden/Miller GT2 JMW Aston Martin 4:06.391
52. Felbermayr/Felbermayr/Konopka GT2 Felbermayr Porsche 4:10.054
53. v.Splunteren/Hommerson/MachielGT2 Prospeed Porsche 4:11.161
54. Goossens/Dalziel/Gentilozzi GT2 Jaguar XKR 4:13.537
55. Salo/Russo/Companc GT2 AF Corse Ferrari withdrawn
56. Bruni/Melo/Kaffer GT2 Risi Ferrari- punidos

OBS: LMP1; LMP2; LMGT1; LMGT2

Vettel é o melhor da sexta em Montreal

Sebastian Vettel marcou o melhor tempo do dia em Montreal durante os treinos livres para o GP do Canadá, oitava etapa do mundial. O piloto alemão marcou 1'16''877 ficando 0''086 à frente de Fernando Alonso, que colocou a Ferrari no segundo posto. Massa aparece em quinto com o outro carro o que mostra uma boa melhora após o pavoroso desempenho na Turquia.
A outra Red Bull, de Webber, ficou em quarto. Rosberg terminou em terceiro enquanto Schumi marcou apenas o nono tempo.
As Mclarens que conseguiram bons tempos pela manhã, tanto que Button foi o mais rápido, ficou em sétimo  com Hamilton e Jenson terminou em 11º.
Rubens Barrichello ficou logo a seguir do seu ex-companheiro de BrawnGP e acabou em 12º; Senna foi o 21º e Di Grassi o 24º.

TREINO LIVRE PARA O GRANDE PRÊMIO DO CANADÁ- 8º ETAPA

1 - Sebastian Vettel (ALE/RBR-Renault) -1m16s877
2 - Fernando Alonso (ESP/Ferrari) - 1m16s963
3 - Nico Rosberg (ALE/Mercedes) - 1m17s151
4 - Mark Webber (ALE/RBR-Renault) - 1m17s273
5 - Felipe Massa (BRA/Ferrari) - 1m17s401
6 - Adrian Sutil (ALE/Force Indian-Mercedes) - 1m17s415
7 - Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes) - 1m17s522
8 - Robert Kubica (POL/Renault) - 1m17s529
9 - Michael Schumacher (ALE/Mercedes) - 1m17s688
10 - Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India-Mercedes) - 1m17s903
11 - Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) - 1m17s961
12 - Rubens Barrichello (BRA/Williams-Cosworth) - 1m18s385
13 - Nico Hulkenberg (ALE/Williams-Cosworth) - 1m18s447
14 - Vitaly Petrov (RUS/Renault) - 1m18s582
15 - Pedro de la Rosa (ESP/Sauber-Ferrari) - 1m18s658
16 - Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari) - 1m19s142
17 - Sebastien Buemi (SUI/STR-Ferrari) - 1m19s168
18 - Jaime Alguersuari (ESP/STR-Ferrari) - 1m19s274
19 - Heikki Kovalainen (FIN/Lotus-Cosworth) - 1m19s969
20 - Karun Chandhok (IND/Hispania-Cosworth) - 1m20s879
21 - Bruno Senna (BRA/Hispania-Cosworth) - 1m21s097
22 - Jarno Trulli (ITA/Lotus-Cosworth) - 1m21s346
23 - Timo Glock (ALE/VRT-Cosworth) - 1m21s488
24 - Lucas di Grassi (BRA/VRT-Cosworth) - 1m21s577

quinta-feira, 10 de junho de 2010

GP do Canadá, 1991

Quando as Mclarens abandonaram a prova antes da metade e com Patrese tendo que fazer uma parada longa para substituir um pneu furado, Mansell viu a grande chance para vencer o GP do Canadá quinta etapa. Ele havia liderado a prova toda, tomando na largada a primeira posição do seu companheiro de Williams Ricardo Patrese e abrindo grande vantagem que o deixou tranquilo para vencer sua primeira prova no ano e acabar com a invencibilidade de Senna, que havia vencido as quatro primeiras etapas do mundial com a Mclaren-Honda.
Mais atrás estava Piquet, com a sofrível Benetton-Ford. Ele tinha lutado contra as Ferraris de Prost e Alesi e vencido ambos e com os abandonos das Mclarens e após o problema de Ricardo, ele se encontrava em segundo com mais de 40 segundos de desvantagem para Nigel. Já era um ótimo resultado para ele, mas o inesperado estava a seguir.
Mansell abriu a última volta dando tchauzinhos para a câmera e a fez com todo cuidado. Quando saiu do hairpin do Cassino, encostou lentamente seu Williams-Renault com problemas no câmbio. Ele tinha feito a volta com as rotações do motor muito baixa e isso desativou o programa eletrônico do câmbio semi-automático do seu carro, assim o sistema não pôde ler mais as trocas de marcha.
Nelson Piquet acabou agradecendo a mancada do seu rival e passou para vencer a sua última prova na F1 e da Pirelli. Stefano Modena também subiu ao pódio, em segundo e Patrese completou em terceiro.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Foto 2: Porsche 917L, Le Mans 1970

Num tom psicodélico, a Martini International Racing Team inscreveu este Porsche 917L e o entregou nas mãos de Gerard Larrousse e Willy Kahusen (o outro Porsche 908/02 foi entregue à dupla Helmut Marko e Rudi Lins). A vitória ficou com o outro Porsche 917L da equipe Porsche Salzburg que tinham como dupla Richard Attwood e Hans Hermann. Larousse e Kahusen fecharam em segundo, 5 voltas atrás dos vencedores. A terceira posição ficou com Marko e Lins, com oito voltas de atrás dos vencedores.

domingo, 6 de junho de 2010

O trio da Matech


Natacha Gachnang (22 anos), Cyndie Allemann (24 anos) e Rahel Frey (24 anos) vão dividir o volante do Ford GT #61 da equipe suissa Matech, que corre regurlamente o FIA GT, durante as 24 Horas de Le Mans.
As três suissas vão correr pela primeira vez a tradicional prova, mas apenas Natacha é quem conhece o traçado de Le Mans adquirido ano passado após a sua participação na corrida da Fórmula Le Mans.
Mesmo sem experiência alguma, Cyndie acredita que pode aprender com sua companheira de equipe: "Claro que a experiência é fundamental para se conseguir andar rápido o mais cedo possível. Irei aprender o mais que puder e ouvir os conselhos da minha colega de equipe. Como trabalhamos em conjunto, a experiência dela será uma importante ajuda." 
Esta será a sexta vez que uma equipe 100% feminina disputará a prova. Boa sorte à elas.


Fonte: Site Le Mans Portugal

sábado, 5 de junho de 2010

Um pouco de nostalgia em Le Mans

O sistema de largada para as 24 Horas de Le Mans deste ano terá um toque do passado: a volta da tradicional "Largada Le Mans". Não será na partida oficial, mas a imagem trará de volta a lembrança dos velhos tempos da corrida.
O procedimento deste ano começará uma hora antes da largada oficial. Fiz um pequeno cronograma para que vocês entedam, porque é um tanto complicado:
13:55- A foto oficial será tirada dos 168 pilotos que participaram da prova. Em seguida todos eles ficarão do lado oposto dos seus respectivos carros no pit lane, sendo que o piloto que iniciará a prova, tem que estar totalmente trajado e com seus outros dois companheiros ao seu lado. Os carros, como antigamente, devem ficar no pit lane parados em 45°.
14:05- O troféu ganho pela Peugeot ano passado, será entregue no início do pit lane e será passado (não sei como será feito isso) e conforme isso for feito, os pilotos que não vão largar deverão atravessar a pista e se posicionar atrás dos seus carros junto aos mecânicos.
14:15- Com o troféu chegando às mãos do presidente do ACO (Automovel Clube do Oeste) Jean-Claude Passart, será dado a ordem pelo diretor da prova para que o piloto que for largar se dirija ao seu carro e se instale em 7 minutos.
14:22- O diretor da prova acionará a luz verde para que os carros se dirijam, um a um, até o grid. Este procedimento deve ir até as 14:37, aproximadamente. Após todos estes passos e com a passagem dos caças da Força Aérea Francesa, a largada será autorizada às 15:00.
É um tanto maluco, mas será interessante. Mas as equipes ainda não foram avisadas sobre esta cerimônia. 
A largada Le Mans em 1969: último ano da tradicional partida

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Foto 1:Foto & Video: 24 de Le Mans de 1968



A foto acima retrata a largada das 24 Horas de Le Mans de 1968 que foi disputada em setembro nos dias 28 e 29. Inicialmente marcada para os dias 15 e 16 de junho, a prova teve que ser remarcada devido a greve dos trabalhadores que parou a França.


O carro a frente é o Porshe 908, da Porshe System Engineering, conduzido pela dupla americana Joe Buzzeta e Scooter Patrick. Eles abandonaram após 115 voltas devido a um problema no alternador. A vitória ficou com a dupla Pedro Rodriguez/ Lucien Bianchi que pilotaram um Ford GT40 MK I da equipe John Wyer Automotive Engineering, completando as 24 horas após 331 voltas.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

24 Horas de Le Mans- 78ª Edição


No próximo final de semana comecará os treinos classificatórios para a 78ª edição das 24 horas de Le Mans. 55 carros estão inscritos para a disputa da prova e todos eles divididos em quatro categorias: LMP1, LMP2, LMGT1 e LMGT2. Os treinos acontecerão nos dias 5 e 6 de junho.
Três pilotos brasileiros disputarão a prova: Thomas Erdos pilotando um Lola Coupe da equipe RML na categoria LMP2; Augusto Farfus Jr ao volante de um BMW M3 GTR da BMW Motorsports e Jaime Melo Jr com a Ferrari F430 da Risi Competizone. Tanto ele quanto Farfus correm na LMGT2.
A briga, como nos últimos anos, será entre Audi e Peugeot. Os alemães levaram para Le Mans um R15 TDi renovado, que estreou com vitória nas 8 Horas de Paul Ricard e que travou ótimo duelo com os Peugeot durante os 1000km de Spa perdendo esta prova para os franceses. Concerteza teremos uma grande luta entre as duas grandes fábricas.
As atrações, além da batalha Audi-Peugeot, ficam por conta da presença do "Leão" Nigel Mansell que vai pilotar um Ginetta-Zytec junto de seus filhos Leo e Greg Mansell, na categoria LMP1. Na categoria LMGT1 quem estará ao volante do Ford GT da equipe Matech é o trio totalmente feminino formado por Natacha Gachnang, Cyndie Allemann e Rahel Frey. A outra mulher a correr em Le Mans será Vanina Ickx, filha de Jack Ickx seis vezes da prova. Ela estará pilotando o Aston Martin Lola Coupe da equipe Ultimate Signature. Jean Alesi e Giancarlo Fisichella pilotaram a Ferrari F430 do team AF Corse SRL.
A prova será disputada nos dias 12 e 13 de junho com largada ás 15 da tarde (harário local), e a chegada marcada para o mesmo horário no domingo. Para nós aqui no Brasil, por causa do fuso horário que é de 5 horas a menos, a largada será as 10 da manhã.
Abaixo as listas das 4 categorias. Eu as dividi em quatro posts para facilitar. 

LMP1:


1 Team Peugeot TOTAL FRA
Peugeot 908 HDi FAP V12 5500T (Michelin)
Alexander Wurz / Marc Gené / Anthony Davidson


2 TEAM PEUGEOT TOTAL FRA
Peugeot 908 HDi FAP V12 5500T (Michelin)
Nicolas Minassian/ Stéphane Sarrazin, /Franck Montagny


3 Peugeot Sport TOTAL FRA
Peugeot 908 HDi FAP V12 5500T (Michelin)
Sébastien Bourdais/ Simon Pagenaud /  Pedro Lamy

4 TEAM Oreca Matmut FRA
Peugeot 908 HDi FAP V12 5500T (Michelin)
Olivier Panis / Nicolas Lapierre / Loic Duval


5 BEECHDEAN Mansell MOTORSPORT GBR
Ginetta Zytek 09S 4499A V8 (Dunlop)
Nigel Mansell / Greg Mansell/ Leo Mansell /


6 TEAM Oreca AIM FRA
Oreca 01 5500A V10 (Dunlop)
Soheil Ayari Meyrick / Didier Andre / Andy Meyrick


7 AUDI SPORT TEAM JOEST DEU
Audi R15 TDi V10 + 5500T (Michelin)
Tom Kristensen / Dindo Capello / Allan McNish


8 AUDI SPORT TEAM JOEST DEU
Audi R15 TDi V10 + 5500T (Michelin)
Andre Lotterer / Marcel Fassler/ Benoit Treluyer


9 AUDI SPORT NORTH AMERICA DEU
Audi R15 TDi V10 + 5500T (Michelin)
Mike Rockenfeller/ Dumas Romain / Timo Bernhard


11 DRAYSON RACING GBR
Lola B10/60 Coupé Judd V10 5500A (Michelin)
Paul Drayson/ Jonathan Cocker / Emanuele Pirro


12 REBELLION RACING CHE
Lola B10/60 Coupé Rebellion 5500A-Judd V10 (Michelin)
Nicolas Prost / Neel Jani / Marco Andretti


13 REBELLION RACING CHE
Lola B10/60 Coupé Rebellion Judd-5500A V10 (Michelin)
Andrea Bellicchi / Guy Smith/ Jean-Christophe Bouillion /


14 TEAM KÖLLES DEU
Audi R10 TDi 5500T V12 (Michelin)
Christijan Albers/ Manu Rodrigues / Scott Tucker


15 TEAM KÖLLES DEU
Audi R10 TDi 5500T V12 (Michelin)
Oliver Jarvis Bouchut / Christian Bakkerud / Christophe Bouchut




19 MICHAEL LEWIS/AUTOCON USA
Lola B06/10 AER 3995T V6 (Dunlop)
Michael Lewis/Pierre Ehret/Tony Burgess



007 ASTON MARTIN RACING GBR
Aston Martin Lola Coupé B09/60 5993A V12 (Michelin)
Harold Primat/Stefan Mücke/Adrián Fernandez


008 ULTIMATE SIGNATURE FRA
Aston Martin Lola Coupé B09/60 5993A V12 (Michelin)
Pierre Ragues/Franck Mailleux/Vanina Ickx


009 ASTON MARTIN RACING GBR
Aston Martin Lola Coupé B09/60 5993A V12 (Michelin)
Darren Turner/Sam Hancock/Juan Barazi

24 Horas de Le Mans- 78ª Edição- Lista de Inscritos- LMP2

24 OAK RACING FRANCE FRA
Pescarolo LMP2 Judd 3397A V8 (Dunlop)
Jacques Nicolet/Richard Hein/Jean-François Yvon


25 RML GBR
Lola Coupé B10/80 HPD 3398A V8 (Michelin)
Mike Newton/Thomas Erdos/Andy Wallace


26 HIGHCROFT RACING USA
HPD ARX-01C 3398A V8 (Michelin)
David Brabham/Marino Franchitti/Marco Werner


29 RACING BOX SRL ITA
Lola Coupé B10/80 Judd 3397A V8 (Pirelli)
Luca Pirri Ardizzone/Piergiuseppe Perazzini/Marco Cioci


35 OAK RACING FRANCE FRA
Pescarolo LMP2 Judd 3397A V8 (Dunlop)
Guillaume Moreau/Matthieu Lahaye/Jan Charouz


37 GERARD WELTER FRA
WR LMP2 Zytek 3396A V8 (Dunlop)
Philippe Salini/Stéphane Salini/Tristan Gommendy


38 PEGASUS RACING FRA
Norma M200 Judd 3397A V8 (Dunlop)
Julien Schell/Fréderic da Rocha/Davide Zollinger


39 KSM DEU
Lola B08/47 Judd 3397A V8 (Dunlop)
Jean de Pourtales/Hideki Noda/Jonathan Kennard


40 QUIFEL ASM TEAM PRT
Ginetta-Zytek 09S/2 3396A V8 (Dunlop)
Miguel Pais do Amaral/Olivier Pla/Warren Hughes




41 TEAM BRUICHLADDICH GBR
Ginetta-Zytek 09S/2 3396A V8 (Dunlop)
Karim Ojjeh/Tim Greaves/Gary Chalandon


42 STRAKKA RACING GBR
HPD ARX-01C 3398A V8 (Michelin)
Nick Leventis/Danny Watts/Jonny Kane