sábado, 30 de agosto de 2014

Foto 387: Roggia

São muito belas estas fotos feitas após a saída da curva Grande em direção a Variante della Roggia, em Monza. Aqui, Gerhard Berger durante o fim de semana do GP da Itália de 1990 e mais atrás, aparentemente, uma Lotus.
Berger largou em terceiro e chegou na mesma posição na classificação final, há sete segundos de Ayrton Senna. Com relação a Lotus, esta ficou marcada pelo impressionante acidente de Derek Warwick na primeira volta daquele GP após escapar, bater e capotar seu carro na Parabolica.

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Vídeo: Bjorn Waldegaard com o Lancia Stratos, Robin Hood Rally 2008

Um breve vídeo de Bjorn Waldegaard, o primeiro campeão mundial oficial do WRC em 1979, testando o lendário Lancia Stratos no traçado que foi usado no Robin Hood Rally, na Grã-Bretanha.
Bjorn veio a falecer hoje pela manhã na Suécia após um longo período doente. Tinha 70 anos.

Foto 386: Hecatombe

E amanhã completará 16 anos daquela que foi uma das mais caóticas largadas da história da F1, quando nada mais que treze carros se enroscaram na descida da La Source após uma rodada de David Coulthard.
Apesar do pedido da Mclaren para que a largada fosse feita atrás do Safety Car, exatamente para evitar um acidente por causa do forte spray d'água, isso foi ignorado pelos comissários.
Irônicamente, algum tempo depois, a FIA passou a usar este procedimento mesmo que as condições de pista estivessem melhores do que aquele dia em Spa.
A prova foi marcada, também, pelo famoso acidente entre Coulthard e Michael Schumacher, onde o piloto alemão, que voltara aos boxes em três rodas, queria socar a cara do piloto escocês. E foi também o GP que deu à Eddie Jordan a possibilidade de entrar para o grupo de donos de equipes que venceram corridas na F1. Para Damon Hill, o autor do feito para o Team Jordan, foi o último triunfo dele na categoria.
De fato, um GP memorável.

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Foto 385: Licença Poética

Fatalmente as manobras que Gilles Villeneuve fazia no passado, se fossem nos dias de hoje, seriam criticadas ao extremo. Não que naquela época não fosse, como foi o caso do já fa Gérard "Jabby" Crombac que não gostou nenhum pouco da cena de Gilles se arrastando em três pneus para tentar, em vão, um retorno à prova em Zandvoort.
A verdade é que o que Gilles fizesse em pista, viraria notícia no dia seguinte. Como bem falou seu amigo Patrick Tambay "todos passaram a esperar o impossível de Gilles a cada GP" e isso atraía as pessoas ao autódromos. Andar em três rodas, bater pneus por uma disputa de segundo lugar, pilotar na chuva com a asa dianteira quase grudada na viseira... São coisas impensáveis nos dias de hoje da atual Fórmula-1.
Como disse dias atrás no facebook, os valores humanos mudaram. E não apenas na F1. Hoje tudo é muito chato e sempre tem alguém para patrulhar. Talvez Gilles, se pilotasse nestes dias, seria adorado pelos "loucos" e odiado pelos "coxinhas".
E hoje faz trinta e cinco anos do seu cartão de visitas à F1, mostrado com aquela manobra em Zandvoort. 

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

GT Battles: Wolf Henzler vs Giancarlo Fisichella, Virginia 2014

Batalha das boas entre o Porsche 911 #17 do Team Falken - com Wolf Henzler no comando - contra a Ferrari F458 #82 da Risi Competizione de Giancarlo Fisichella pela vitória na etapa de Virginia, válida pela classe GTLM do Tudor United SportsCar Championship.
A última volta foi sensacional, com o ataque maciço de Fisichella contra o Henzler.

domingo, 24 de agosto de 2014

GP da Bélgica: Confirmando uma geração

Existe aquele papo de que o cara que vence em Spa mostra, de fato do que é capaz. Pode ser bem uma verdade, visto que Clark, Senna, Schumacher e atualmente Raikkonen, sejam os grandes reis daquele traçado. O importante, também, é ver que eles começaram a brilhar nesta pista quando suas carreiras ainda engatinhavam na F1 e isso deu a eles uma propaganda positiva do que eles podiam fazer nos anos seguintes. E a confirmação de cada um deles foi espetacular.
Essa tarde no circuito belga viu mais uma vez a maravilha de piloto que é Ricciardo, que já havia demonstrado a suas qualidades nas suas outras vitórias anteriores. Melhor que isso, foi Bottas que também demonstrou seu talento nesta pista ao atacar pilotos do naipe de Alonso, Vettel, Raikkonen, Rosberg sem dar nenhuma satisfação, como se estes fossem pilotos "amadores". Outro também que merece uma atenção pelo que fez hoje em Spa é Kevin Magnussen, que após a sua bela prova de estréia em Melbourne, vinha se destacando apenas por superar Button com alguma frequência nas classificações e nos resultados finais de cada GP. Hoje ele foi combativo e soube aguentar bem a pressão exercida por Alonso em duas situações na prova - na metade e depois nas últimas cinco voltas - e vencendo ambas. Infelizmente perdeu a quinta colocação para Vettel no final, pois os pneus já estavam na "lona".
De certa forma, o desempenho destes três caras confirmam bem a renovação que a Fórmula-1 vem passando. E o mais legal de tudo, é que eles não tem medo de arriscar e certamente darão ainda mais trabalho aos velhotes.
A velha guarda da F1 terá um grande trabalho pela frente. E quem ganha com isso, somos nós.

Sobre a corrida

Claro que o papo que dominará as discussões até o GP da Itália repousará simplesmente sobre o toque de Rosberg em Hamilton, quando os dois disputavam ferrenhamente a liderança no final da Le Combes. Não vi a imagem mais vezes, mas o pouco que pude assistir concluo que foi incidente de corrida. Podia o Rosberg ter tirado o pé e deixado Hamilton se distanciar um pouco para depois atacar novamente? Sim, mas creio que ele estava naquela, onde um piloto ver uma brecha ele tentará até que se feche. Mas a briga estará ainda mais aberta após a reunião que a Mercedes fará ainda hoje em Spa. Vai fervilhar as coisas por aquelas bandas.
A Red Bull optou por usar pouca asa para esta prova e isso foi de grande valia para seus pilotos. Ricciardo tirou melhor proveito e assumiu a liderança após a primeira parada de Rosberg, para perdê-la apenas na sua segunda parada para Bottas. Vettel até que começou bem, atacando as Mercedes, mas logo depois começou a cair de rendimento lentamente e a cada parada de box, caía de posição. Terminou em quinto, o que acabou por ser um bom lucro, principalmente por Magnussen ter segurado Alonso e Button, o que possibilitou a sua aproximação para subir de oitavo para quinto em duas voltas.
Fiquei impressionado foi com o ritmo da Ferrari num todo nesta prova. De início as posições de Alonso e Raikkonen na classificação, foram creditadas à chuva do sábado, mas o desempenho de Alonso antes da sua primeira parada e depois de Raikkonen no restante da corrida, mostrou que o carro italiano esteve próximo da Red Bull e Williams pelo menos nessa corrida. E claro, destacar o melhor desempenho de Kimi no ano, numa pista que ele conhece tão bem. Podia ter subido ao pódio, mas pouco podia fazer contra o ataque de Bottas no fim.
A Williams teve um desempenho "manco" em Spa: se Bottas mais uma vez brilhou, Massa (mais uma vez) contou com a sua dose de azar cavalar para ter um pedaço de kevlar, certamente dos inúmeros destroços deixados pelos pneus dos carros de Bianchi e Hamilton, preso no assoalho do seu carro limitando ainda mais o seu desempenho.
Agora é esperar pela prova de Monza, daqui quinze dias.

sábado, 23 de agosto de 2014

Crash: GP3, Blancpain GT Series e Clio Cup

Dois deles já são bem conhecidos da galera, que são os acidentes do russo Kostantin Tereschenko na prova da GP3 ontem em Spa e hoje a batida, acompanhada de capotamento, de Thomas Enge após a largada da etapa da Eslováquia do Blancpain GT Series. O outro acidente, no caso uma barbeiragem, durante a etapa da Copa Clio disputada na pista sueca de Knutstorp.

GP da Bélgica - Classificação - 12a Etapa

(Foto: Laurent Dubrule / Reuters)
Aquela loteria que acostumamos a ver treinos marcados pela chuva, passou longe desta vez em Spa. Como de costume as Mercedes ditaram o ritmo, mas para quem apostava numa pole de Hamilton, este acabou por ficar em segundo. A sua última volta nos mostrou alguns erros do piloto inglês - mesmo com ele chegando a bater o tempo de Rosberg. Porém não foi o suficiente para que ele garantisse a posição, que foi retomada por Nico. Ou seja, mais um duelo particular das Silver Arrows.
No segundo escalação, que ficou mais de dois segundos atrás dos prateados, bom desempenho de Vettel que marcou o terceiro tempo. Aliás, Sebastian aparenta precisar mais de condições extremas como as de hoje para poder se posicionar melhor no grid, tamanha dificuldade que tem encontrado este ano. Amanhã, onde a previsão é que não haverá chuva, teremos uma idéia se ele voltou, ou não, revitalizado destas férias.
Alonso aparece em quarto apresentando uma performance mais sólida nos treinos, que até me surpreendeu - mesmo estando com a pista molhada. Mas não acredito que em pista seca conseguirá algo melhor amanhã. Ricciardo errou na sua última volta e aparentava que poderia subir ao terceiro lugar. Outra boa surpresa foram as Williams que figuraram no Q3, mostrando uma boa evolução para pistas molhadas. De se destacar também o bom trabalho de Kimi Raikkonen, que dispensa comentários quando se pilota em Spa, e dos pilotos da Mclaren que também subiram para o Q3.

O que esperar da corrida?
Acho que isso será totalmente independente de como esteja as condições de pista amanhã, mas a vitória não escapará do duo da Mercedes. A não ser que problemas mecânicos os atrapalhe, e caso isso não aconteça, aposto numa vitória de Hamilton.
E do terceiro lugar pra baixo, o pau vai comer a solta entre Red Bull, Ferrari e Williams. E devido as retas de Spa, acredito em Bottas no pódio.

Grid de largada para o Grande Prêmio da Bélgica - 12ª Etapa

Pos Piloto                Equipe                  Tempo      Dif   
 1. Nico Rosberg          Mercedes              2m05.591s            
 2. Lewis Hamilton        Mercedes              2m05.819s  +0.228s   
 3. Sebastian Vettel      Red Bull-Renault      2m07.717s  +2.126s   
 4. Fernando Alonso       Ferrari               2m07.786s  +2.195s   
 5. Daniel Ricciardo      Red Bull-Renault      2m07.911s  +2.320s   
 6. Valtteri Bottas       Williams-Mercedes     2m08.049s  +2.458s   
 7. Kevin Magnussen       McLaren-Mercedes      2m08.679s  +3.088s   
 8. Kimi Raikkonen        Ferrari               2m08.780s  +3.189s   
 9. Felipe Massa          Williams-Mercedes     2m09.178s  +3.587s   
10. Jenson Button         McLaren-Mercedes      2m09.776s  +4.185s   
11. Daniil Kvyat          Toro Rosso-Renault    2m09.377s  +2.768s
12. Jean-Eric Vergne      Toro Rosso-Renault    2m09.805s  +3.196s
13. Sergio Perez          Force India-Mercedes  2m10.084s  +3.475s
14. Adrian Sutil          Sauber-Ferrari        2m10.238s  +3.629s
15. Romain Grosjean       Lotus-Renault         2m11.087s  +4.478s
16. Jules Bianchi         Marussia-Ferrari      2m12.470s  +5.861s
17. Pastor Maldonado      Lotus-Renault         2m11.261s  +4.131s
18. Nico Hulkenberg       Force India-Mercedes  2m11.267s  +4.137s
19. Max Chilton           Marussia-Ferrari      2m12.566s  +5.436s
20. Esteban Gutierrez     Sauber-Ferrari        2m13.414s  +6.284s
21. Andre Lotterer        Caterham-Renault      2m13.469s  +6.339s
22. Marcus Ericsson       Caterham-Renault      2m14.438s  +7.308s

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

GP da Bélgica - Treinos Livres - 12ª Etapa

Lewis Hamilton: "É ótimo estar de volta no carro. A manhã não foi forte, mas definitivamente melhorou à tarde. Como sempre, ainda temos trabalho essa noite, mas no geral foi OK. A pista ficou seca durante as duas sessões, mas a previsão do tempo para amanhã é de chuva, então, é importante maximizar o tempo de pista, pois pode sempre ser nossa última volta no seco antes da corrida.
Já vimos tanta chuva aqui, e isso pode realmente misturar as coisas - particularmente quando está seco em alguns lugares e molhado em outros. Sua viseira está quase da altura do chão, então, não dá para você olhar do alto e ver os lugares diferentes. Isso torna muito mais difícil achar os lugares onde você pode achar aderência, mas também é muito divertido"

Nico Rosberg: "Parece que temos o carro mais rápido do grid de novo, mas aqui a coisa está um pouco diferente do que em pistas anteriores. E me parece também que algumas das outras equipes estão mais próximas. Além disso, acho que precisamos trabalhar um pouco mais com relação a nossa velocidade de reta.
Como acontece sempre, hoje vamos analisar tudo e ver o que poderemos fazer para amanhã, especialmente se estiver molhado, como a previsão aponta. Na verdade, já se fala em condições mistas, então vamos ver. O desafio aqui será encontrar um equilíbrio entre ser rápido em uma única volta e ser consistente em ritmo de corrida"

Fernando Alonso: “Aqui e em Monza a potência do motor conta muito. Não existem soluções mágicas, mas nós vamos melhorar todo o resto.
O clima aqui é sempre muito instável, é bem capaz que chova amanhã. Temos de estar prontos para qualquer situação que aconteça”

Felipe Massa: “Foi uma boa sexta-feira para nós, sem problemas, e fomos capazes de continuar aprendendo sobre o carro.
A Mercedes ainda está parecendo muito forte e com uma vantagem sobre todos os demais, mas devemos ter uma boa oportunidade de brigar pelo pódio e precisamos garantir que vamos continuar melhorando o carro ao longo do fim de semana.
Vimos algum desgaste de pneus, então isso vai tornar a estratégia crucial, e será importante estar com o pneu correto no momento certo na corrida”

André Lotterer: "Primeiro treino desta manhã foi uma boa sessão para mim, me adaptei ao carro muito rapidamente e agora eu só preciso otimizar tudo em termos de estilo de condução. Tudo correu conforme o planejado e eu era capaz de ter uma boa noção do que é pilotar o carro.FP2 foi outra boa sessão, embora tivemos que parar um pouco mais cedo devido a um problema técnico. Nós seguimos o programa como planejado, melhorando e ao mesmo tempo aprendendo a lidar com o carro. Fizemos algumas simulações e eu estou começando a me sentir confortável com tudo, mesmo que eu ainda esteja numa curva de aprendizagem."

Sebastian Vettel: “Estou esperançoso de que o motor que teve problema hoje não está danificado. Se estiver, obviamente vamos ter que pegar um novo, não necessariamente para este fim de semana, mas para alguns no futuro, então vamos esperar para ver.
Obviamente, não pilotei muito exceto por algumas voltas nesta manhã. Há muitos itens para serem riscados da lista, e é importante manter o olho aberto aqui, cada ano é diferente. É uma volta longa, há muitas curvas de alta velocidade e, por causa disso, é importante ter um bom ritmo, ao passo que talvez seja mais fácil em uma pista mais lenta”

Resultado dos dois treinos livres em Spa-Francorchamps

Treino Livre 1:
 
Pos Piloto               Equipe                  Tempo       Dif   Voltas
 1. Nico Rosberg         Mercedes              1m51.577s           25 
 2. Lewis Hamilton       Mercedes              1m51.674s  +0.097s  24 
 3. Fernando Alonso      Ferrari               1m51.805s  +0.228s  16 
 4. Jenson Button        McLaren-Mercedes      1m52.404s  +0.827s  21 
 5. Kimi Raikkonen       Ferrari               1m52.818s  +1.241s  17 
 6. Sergio Perez         Force India-Mercedes  1m52.903s  +1.326s  24 
 7. Kevin Magnussen      McLaren-Mercedes      1m52.922s  +1.345s  23 
 8. Nico Hulkenberg      Force India-Mercedes  1m52.937s  +1.360s  22 
 9. Daniel Ricciardo     Red Bull-Renault      1m52.972s  +1.395s  19 
10. Valtteri Bottas      Williams-Mercedes     1m53.172s  +1.595s  20 
11. Sebastian Vettel     Red Bull-Renault      1m53.369s  +1.792s  11 
12. Daniil Kvyat         Toro Rosso-Renault    1m53.594s  +2.017s  21 
13. Romain Grosjean      Lotus-Renault         1m53.597s  +2.020s  20 
14. Adrian Sutil         Sauber-Ferrari        1m53.703s  +2.126s  14 
15. Felipe Massa         Williams-Mercedes     1m53.968s  +2.391s  20 
16. Jean-Eric Vergne     Toro Rosso-Renault    1m54.189s  +2.612s  20 
17. Giedo van der Garde  Sauber-Ferrari        1m54.335s  +2.758s  16 
18. Pastor Maldonado     Lotus-Renault         1m55.336s  +3.759s  21 
19. Jules Bianchi        Marussia-Ferrari      1m55.782s  +4.205s  19 
20. Alexander Rossi      Marussia-Ferrari      1m57.232s  +5.655s  20 
21. Andre Lotterer       Caterham-Renault      1m57.886s  +6.309s  24 
22. Marcus Ericsson      Caterham-Renault      1m57.977s  +6.400s  24 

Treino Livre 2:
 
Pos Piloto                Equipe                   Tempo      Dif     Voltas
 1. Lewis Hamilton        Mercedes               1m49.189s           26
 2. Nico Rosberg          Mercedes               1m49.793s  +0.604s  28
 3. Fernando Alonso       Ferrari                1m49.930s  +0.741s  19
 4. Felipe Massa          Williams-Mercedes      1m50.327s  +1.138s  24
 5. Jenson Button         McLaren-Mercedes       1m50.659s  +1.470s  31
 6. Valtteri Bottas       Williams-Mercedes      1m50.677s  +1.488s  26
 7. Daniil Kvyat          Toro Rosso-Renault     1m50.725s  +1.536s  25
 8. Daniel Ricciardo      Red Bull-Renault       1m50.977s  +1.788s  16
 9. Kevin Magnussen       McLaren-Mercedes       1m51.074s  +1.885s  31
10. Nico Hulkenberg       Force India-Mercedes   1m51.077s  +1.888s  26
11. Jean-Eric Vergne      Toro Rosso-Renault     1m51.383s  +2.194s  26
12. Adrian Sutil          Sauber-Ferrari         1m51.450s  +2.261s  29
13. Sergio Perez          Force India-Mercedes   1m51.573s  +2.384s  28
14. Romain Grosjean       Lotus-Renault          1m52.196s  +3.007s  25
15. Kimi Raikkonen        Ferrari                1m52.234s  +3.045s  18
16. Jules Bianchi         Marussia-Ferrari       1m52.776s  +3.587s  23
17. Esteban Gutierrez     Sauber-Ferrari         1m53.955s  +4.766s   7
18. Max Chilton           Marussia-Ferrari       1m54.040s  +4.851s  18
19. Marcus Ericsson       Caterham-Renault       1m54.050s  +4.861s  30
20. Andre Lotterer        Caterham-Renault       1m54.093s  +4.904s  24
21. Pastor Maldonado      Lotus-Renault          no time              2
22. Sebastian Vettel      Red Bull-Renault       no time

Estaria a Fórmula-1 mais fácil?

Quando Hamilton disse na última quinta-feira que a atual F1 não o empolgava muito, por não dar aquele desafio de outrora, fomos de encontro ao anúncio de um dia antes de Max Verstappen pela Toro Rosso que a partir de 2015 ele passará a ser o piloto da equipe com apenas 17 anos. De fato isso mostra que os carros da F1 podem estar mais fáceis de pilotar - mas não entendo, também, a ênfase que os pilotos tanto deram ao desafio de controlar os carros em saídas de curvas, por estes estarem mais nervosos e também ao freá-los. Vai saber...
Hoje, nos dois primeiros treinos livres para o GP da Bélgica, podemos ver que o estreante André Lotterer, que tão bem conhecemos do Endurance, foi capaz de guiar no mesmo ritmo que Marcus Ericsson, seu companheiro de Caterham. No primeiro treino, Lotterer foi 0.091 centésimos melhor que Ericsson, que deu o troco no TL2 por 0.043 centésimos. De certa forma temos que dar a mão à palmatória de que Lotterer não é nenhum "Zé ninguém": a vaga foi lhe dada exatamente para que ele pudesse passar um melhor feedback das evoluções que foram levadas para Spa e também por ser reconhecidamente um dos melhores pilotos de testes atualmente. Por isso a sua vaga. Por outro lado, ele conhece bem circuito belga: além de ter corrido em outras épocas, este ano ele esteve presente naquela pista em três oportunidades (WEC, GT Francês e 24 Horas de Spa). Portanto a única adaptação que ele teria que se preocupar era com relação ao carro. De fato, ele chegando e já colocando-se à frente de Ericsson, dá entender que a coisa parece que está mais fácil que antes. Mas repito que ele conhece bem o circuito e isso ajuda. Michael Schumacher, por exemplo, não conhecia Spa e nem o carro da Jordan, e de cara já colocou tempo em Andrea De Cesaris.
Pode ser que tudo esteja mais fácil que antes, mas acredito que ainda exista o fator dom natural em conseguir se adaptar rapidamente a uma situação.

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Foto 384: Eau Rouge, ontem e hoje

A foto mais antiga da Eau Rouge, que está em sépia, já vinha sendo divulgada na internet desde o ano passado, pelo que me lembro. E agora resolveram fazer uma montagem com uma da situação da curva mais aclamada da F1.
Claro, mudou-se muito - suponho que a imagem superior seja dos anos 30, 40 - mas ainda podemos ver que ao menos duas casas que aparecem na primeira foto ainda estão lá.

Foto 383: Sensação adolescente

(Foto: Autosport)
Acho que não há um título tão propício para o tal momento. É claro que falta - e muita - experiência para o novato Max Verstappen neste que será o seu grande desafio. Adiantaram a sua entrada na F1 no mínimo em quatro temporadas e o garoto será jogado aos leões com apenas 17 anos, quando for alinhar para o o seu primeiro GP na categoria.
O que nos resta é esperar para ver o que ele é capaz. Velocidade pura e ousadia ele tem de sobra e isso foi demonstrado em momentos como este em Spa - neste ano - quando travou um duelo sensacional contra o seu rival direto na F3 Européia, Esteban Ocon, nas primeiras voltas da prova.
 

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Foto 382: BMW Boys

A foto foi publicada hoje na página em homenagem à Copersucar Fittipaldi no Facebook e os pilotos presentes na foto, que foi feita há 36 anos, Ingo Hoffman, Manfred Winkelhock, Bruno Giacomelli, Marc Surer e Eddie Cheever. Todos estes que faziam parte do BMW Junior Team.
Aparentemente a foto foi feita em Hockenheim.

domingo, 17 de agosto de 2014

Foto 381: Nelsão, 62 anos

E hoje Nelson Piquet completa 62 anos de uma vida muita bem aproveitada. E a foto que ilustra o post mostra bem isso, com ele comemorando a sua vitória em Detroit 1984.
Parabéns, Nelsão!

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Foto 380: Um almoço em Spa

A superioridade italiana. Antonio Ascari conduzindo a sua Alfa Romeo P2 rumo à vitória no primeiro GP da Bélgica, disputado em Spa Francorchamps em 29 de junho de 1925.
Tratou-se de uma luta particular entre franceses e italianos naquela prova, uma vez que apenas a Delage e Alfa Romeo levaram carros para a corrida. A Delage alinhou quatro carros para Albert Divo, Robert Benoist, René Thomas e Paul Torchy. Pela Alfa Romeo, três P2 ficaram aos cuidados de Antonio Ascari, Giuseppe Campari e Conde Gastone Brilli Peri.
Apesar da luta entre estes sete carros terem sido intensa no início, os Delage foram caindo no decorrer da prova com inúmeros problemas: Benoist perdeu um bom número de voltas para tentar resolver um problema no tanque de combustível; Torchy abandonou, enquanto que o carro de Thomas teve um incêndio. Divo foi o único a ficar na pista e dar combate a uma das Alfas - de Brilli-Peri -, mas logo abandonaria.
Tendo apenas os seus três carros na disputa, Vittorio Jano - projetista e chefe de corridas da Alfa - pediu que fosse feito um almoço. Chamou seus três pilotos que entraram para os boxes e assim que desceram dos carros para o já famoso almoço, foram recebidos com vaias e assobios pelo público presente. Com os carros devidamente limpos e pilotos satisfeitos, eles retomaram a prova que foi vencida por Ascari, com Campari em segundo e Peri em terceiro.
Apenas mais uma das folclóricas histórias do automobilismo.

GT Battles: Manfred Winkelhock vs Hans Joachim Stuck, Donington Park 1979

Foi uma prova que não contou pontos para o campeonato da BMW M1 Procar de 1979, sendo que esta levou o título de "Gunnar Nilsson Memorial Trophy".
Mas o que marcou mesmo foi o duelo entre alemães, protagonizado por Manfred Winkelhock (Team Warsteiner) e Hans Joachim Stuck (Manfred Cassani Racing) válida pela terceira posição na corrida e que no final, Winkelhock sustentou bem a pressão de Stuck e garantiu a posição. A prova foi vencida por Nelson Piquet (BMW Motorsport).

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Crash: NASCAR

Foram provas disputadas em Trois-Rivières (NASCAR Canada) e em Watkins Glen, esta última válida pela Sprint Cup.
No primeiro as várias capotagens de Xavier Coupal (#77) após um toque de Marc-Antoine Camirand (#88). Na segunda o não menos violento acidente entre Ryan Newmann e Michael McDowell.
Em ambas as situações as provas foram interrompidas e depois retomadas. E sobre os pilotos envolvidos, todos passam bem.

domingo, 10 de agosto de 2014

Foto 379: Playboy

O parque de diversões de James Hunt. Só faltou as bebidas e os cigarros...

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Foto 378: 1000Km de Spa, 1972

Foi um belo caos essa largada para os 1000 Km de Spa Francorchamps dew 1972. O péssimo arranque de Arturo Merzario (Ferrari 312PB #3) ocasionou quase um engavetamento. Além de Jacky Ickx, que escapara da confusão por estar largando da pole com a Ferrari #1 e que foi seguido pela outra Ferrari #2 de Tim Schenken, o restante tentou escapar como pôde: o Chevron B19 #10 da dupla John Lepp/ John Gray; o Mirage M6 #7 de Derek Bell/  Gijs van Lennep logo atrás de um Lola T28 de Gérard Larousse/ Hughes de Fierlant; ao lado um De Tomaso Pantera de Herbert Müller/ Guy Chausseuil que está sendo ultrapassado pelo Chevron B21 de John Hine/ John Bridges. Atrás das duas Ferraris, aparece o Porsche 908/03 de Reinhold Jöest/ Willy Kauhsen.
Apesar do péssimo arranque, Merzario ajudou Brian Redman a conquistar a vitória em Spa. A segunda posição ficou com Jacky Ickx/ Clay Regazzoni e a terceira com o Chevron de Hine/ Bridges.

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Fim da linha?

E pipocou há cerca de uma hora a notícia de que a Globo não transmitirá a F1 para o canal aberto à partir de 2015, deixando a cargo da Sportv essa função. A notícia foi publicada no site da Quatro Rodas, cujo link não consegui abrir, mas a história espalhou-se rapidamente por Facebook, Twitter, sites especializados e por aí vai... Surpreso com isso? Nem tanto...
Acredito que categoria já vinha definhando há um bom tempo e aquele brilharete do Massa em 2008 e do Barrichello em 2009, foram os suspiros finais da categoria por aqui e depois disso, passou a sobreviver por "ajuda de aparelhos". E eu confesso ter ficado surpreso ano passado quando números de audiência da F1 pelo mundo, indicava o Brasil como o primeiro: nada mais que 50 milhões de pessoas anualmente assistindo a categoria, muito mais que a Alemanha que ganhou nos últimos vinte anos "apenas" onze títulos mundiais. Mas creio que estes 50 milhões também englobam pessoas que vêem por streaming, ouvem pelo rádio e por aí vai... Mas a marca não deixa de ser boa.
Infelizmente, nessa época em que a audiência é a grande atração para as TVs - e também o termômetro para a sobrevivência destas -, a F1 foi nos últimos anos caindo vertiginosamente. A Globo pouco mudou o seu modo de transmitir as corridas: apesar de ter aberto mais 20, 30 minutos a mais de sua programação para fazer um Pré-GP, isso pouco acrescentou. E depois disso a audiência caiu ainda mais. Os treinos classificatórios tiveram as suas duas primeiras partes limadas a partir do GP da Alemanha, pois neste horário o canal levava uma sova das concorrentes. E já haviam aparecido textos especulando que isso já seria uma manobra de colocar a categoria no Sportv no futuro. E caso se confirme o tal boato, as especulações foram certeiras.
Mas será uma boa? Talvez sim. Pelo que leio, os eventos esportivos em canais fechados tem um tratamento diferente. O produto é mais bem cuidado, afinal um público específico estará a postos sempre para assistí-lo. Talvez o aparecimento de um novo "messias", que venha a se destacar na F1 no futuro e vencer, possa alavancar a categoria por aqui novamente. Mas no momento isso é um pouco distante.
Para a maioria que cresceu vendo a F1 na TV aberta, isso representará o fim de um ciclo. Já os demais que gostam da categoria, mas não tem acesso a internet e TV à cabo, será ainda mais complicado. Porém recorro à 1980, quando a Globo desistiu de passar a F1 por causa da audiência, exatamente pela falta de resultados de Emerson Fittipaldi e Nelson Piquet. A Bandeirantes passou a transmitir as provas, Nelson começou a vencer e foi lutar pelo mundial contra Alan Jones. E vendo isso, a Globo comprou de volta os direitos que estão com ela até hoje.
Pode ser que isso aconteça. Mas não por agora e nem tão cedo...

Adendo: Hoje pela manhã foi divulgado no site UOL que a Fórmula-1 continuará na grande de programação da Globo para 2015, indo contra o que foi informado pela Quatro Rodas ontem a noite. 
A emissora tem um contrato com a categoria até 2020 e nela fica expressa a obrigação de transmissão de todas as corridas até lá no canal aberto. 
Sinceramente havia me esquecido de um fato que ocorreu em 2007 quando a Record, vendo que a Globo havia abdicado do GP da Espanha para a transmissão da missa do Papa Bento XVI, que estava por estas bandas, a emissora do Edir Macedo tentou fisgar a F1 para ela usando essa regra. Na época não deu certo...
Mas foi uma bela "barrigada" da Quatro Rodas em divulgar algo assim. Mas também não ficaria surpreso de ter sido uma jogada da Globo em tentar despertar a ira dos fãs e ver qual a reação deles com relação a essa notícia. 
Silvio Santos fez isso algumas vezes ao tirar o seriado "Chaves" do ar e deixá-lo de fora por algum tempo. Isso deixava os fãs em pavor, a ponto de mandar email, fazer telefonemas, atazanar até que o SBT voltasse a transmitir o seriado. Mostrava o quanto que o programa ainda é popular, sendo que os números no IBOPE giram em torno de 6 à 10 pontos. 
Talvez a Globo tenha feito o mesmo e visto que a categoria ainda tem público cativo, resolveu "apagar o incêndio" que se alastrou pela internet.  

Foto 377: Bugatti

O GP que não agradou. A largada do GP da França de 1967 disputado no traçado menor de Le Mans, o Bugatti.
A corrida foi alvo de críticas de pilotos por ser uma pista extremamente sinuosa e por causa do público, que ficava longe do traçado. Mal sabiam eles, e o público, que aquele tipo de circuito seria comum no futuro.
Jack Brabham venceu a prova após 80 voltas.

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Foto 376: Coppa Acerbo, 1938

Tazio Nuvolari e seu Auto Union Type D durante o fim de semana da Coppa Acerbo de 1938, em Pescara. O "Mantuano Voador" marcou a pole position com quase dois segundos de avanço sobre Manfred Brauschitsch e cinco sobre Rudolf Caracciola, que fecharam a primeira fila para a Mercedes.
A corrida teve a influência do forte sol por todas as 16 voltas e isso foi fator determinante para inúmeras quebras. Dos doze carros que largaram, apenas quatro terminaram. O mais grave deles foi o de Hermann Lang, que teve o motor do seu Mercedes W154 estourado e em consequência disso, o fogo consumiu o seu carro. Nuvolari abandonou com problemas no diferencial ainda na segunda volta.
A vitória acabou com Caracciola, seguido por Giuseppe Farina (Alfa Romeo Tipo 312) e Vittorio Belmondo com uma Alfa Romeo Tipo 312 particular. A quarta posição foi de Gianfranco Comotti com um Delahye 145.

sábado, 2 de agosto de 2014

Foto 375: Indy Lotus

Cores diferentes, carros quase iguais. O sucesso da Lotus nos dois últimos anos fez com que os rivais corressem para garantir aqueles pequeninos carros de motor central e deixar de lado os grandes carros de motor dianteiro. A.J Foyt e Parnelli Jones foram um desses e ambos tomaram posse dos Lotus 34 que foram usados em 1964, enquanto a Lotus trouxe três novos carros nomeados de Lotus 38 para Jim Clark, Dan Gurney e Bobby Johns.
Na foto que ilustra o post, Jim Clark lidera o pelotão formado por A.J Foyt, Dan Gurney, Parnelli Jones e Al Miller - que pilotava um Lotus 34 -  durante a Indy 500 de 1965 
A vitória coube à Clark, seguido por Parnelli Jones, Mario Andretti (Brawner/Ford) e Al Miller fechando em quarto. Gurney abandonou na volta 42 e Foyt na volta 115.

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

GT Battles: Dirk Werner vs René Rast - 24 Horas de Spa Francorchamps 2014

Foi o duelo que definiu a vitória durante 69ª Edição das 24 Horas de Spa Francorchamps. René Rast (Audi R8 Ultra) em perseguição a Dirk Werner (BMW Z4), realizaram uma briga "caseira" entre os dois construtores alemães.
A aposta da equipe Marc VDS Racing (BMW Z4) em não realizar a troca de pneus em seu último pit-stop, visando pegar o Audi R8 Ultra do Belgian Audi Club Team WRT pela estratégia, acabou sendo um tiro no pé e deixou Werner - que dividiu o carro com Markus Palttala e Lucas Luhr - ficar como uma presa fácil para Rast - que dividiu o Audi com Markus Winkelhock e Laurens Vanthoor -, que vinha rapidamente abrindo caminho entre os retardatários. Apesar de defender bem a posição, Dirk não pôde evitar o "drible" que levou de René na freada para a La Source.