quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Foto 170: Kyalami, 1973

(Foto: Charger Le Mans/ Facebook)
A foto é dos pilotos durante (talvez) um briefing, antes do GP da África do Sul de 1973. Em pé: Peter Revson, Jackie Stewart, François Cevert, Jody Scheckter, Emerson Fittipaldi, Niki Lauda, José Carlos Pace, Andrea De Adamich, Clay Regazzoni e Jean Pierre Beltoise.
No chão: Denny Hulme - curtindo um descanso - George Follmer e Ronnie Peterson.
Stewart venceu a prova, seguido por Revson e Emerson.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Foto 169: Der Nebelmeister

1936 Eifelrennen

"... O circuito estava coberto de neblina e garoa. Quando os carros sairam o início do nevoeiro tinha levantado, mas estava chovendo de forma constante. Rudolf Caracciola (conhecido como o Rainmaster) liderou as primeiras du
as voltas com a sua Mercedes, mas foi, então, ultrapassado por Tazio Nuvolari em seu Alfa Romeo, com Bernd em terceiro. Caracciola abandonou e Bernd alcançou Nuvolari, passando-o por trás dos boxes, o que foi uma indescritível alegria para os milhares nas arquibancadas. Em seguida, o nevoeiro voltou e todo mundo diminuiu drasticamente - exceto Rosemeyer, que diminuiu quase nada, sendo mais de trinta segundos mais rápido do que Nuvolari e, finalmente, completou as 10 voltas com 2 minutos e 11 segundos à frente dele. 
Escutei aquelas voltas no rádio com lágrimas nos meus olhos. Eu mal podia acreditar que era meu Bernd, a quem locutor de rádio no circuito estava felicitando. 
Foi nesta corrida que a lenda Rosemeyer começou, com essa vitória extraordinária no nevoeiro e foi dali para diante conhecido como Der Nebelmeister - O Mestre Névoa."

*Extraído do livro "Rosemeyer!", escrito por Elly Beinohrn e Chris Nixon

sábado, 26 de janeiro de 2013

Vídeo: O acidente de Bobby Deerfield

Bobby Deerfield foi um filme feito por Sidney Pollack e que estreou em 1977 e teve como estrela Al Pacino, que representou um piloto de Fórmula-1 (Bobby Deerfield).
A sinopse do filme mostra Bobby, que é um piloto bem sucedido nas provas de F1, que acaba presenciando um grave acidente de um concorrente e a partir deste momento muda visão com relação a morte. Deerfield acaba conhecendo Lilian Morelli (Marthe Keller), uma suiça que está com uma doença terminal, numa visita ao rival acidentado e assim ele acaba se envolvendo Lilian. Apesar das fortes critícas na época, devido ao excessivo romance melodramático, Pacino foi indicado ao Globo de Ouro como melhor ator.
O filme é retratado durante a temporada de 1976 e como vocês verão no vídeo, José Carlos Pace foi o "dublê" de Al Pacino nas filmagens com a sua Brabham BT45. O mais interessante é que este filme foi lançado em 29 de setembro de 1977 e o tão aguardado filme de Ron Howard, que também retrata a temporada de 1976, mas sobre a disputa Lauda vs Hunt, também estreará neste 2013 em 20 de setembro. Quase que 36 anos depois a temporada de 1976 da F1 voltará aos telões do cinema.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

F1 Battles: Bruno Giacomelli vs Alan Jones, Calder Park 1980

Giacomelli e Jones se encontraram poucas vezes, ou nenhuma, durantes as etapas do Mundial de F1 de 1980, mas a batalha entre os dois se deu longe da Europa e numa prova que não tinha nenhuma ligação com a categoria máxima.
O duelo entre eles aconteceu na última etapa do campeonato australiano de pilotos, que contava com carros da extinta F5000 e da então recém chegada F-Pacific, que tomaria o lugar dos poderosos carros de cinco litros. A etapa em questão foi o Australian Grand Prix, que realizava a sua 45ª edição na pista de Calder Park.
O campeonato da F5000 já estava em franco declínio na Australia e os regulamentos foram mudados no início de 1980, com intuito de atrair os carros de F1 - principalmente da extinta Série Aurora. Apesar deste esforço, os dois únicos carros que entraram na competição foi um Fittipaldi, conduzido por Guy Edwards, e um Mclaren inscrito por John McCormack. Os carros da novata F-Pacific foram autorizados a participar do certame, mas não tinham grandes chances frente aos F5000.
Na prova final, o Australian GP, a lista de inscritos foi brindada com a presença do recém campeão do mundo de F1 Alan Jones, com a sua Williams FW07B e com a Alfa Romeo 179 que foi conduzida por Bruno Giacomelli. Outro piloto da F1, Didier Pironi, também participou da prova, mas pilotou um Elfin MR8 Chevrolet que foi um dos poucos carros da F5000 a ter efeito solo. Os demais carros da prova, de um total de 20, estavam dividos entre os F5000 (15) e os F-Pacific (3).
Os treinos foram dominados por Alan Jones e Bruno Giacomelli, com o australiano ficando com a pole fazendo a marca de 36.1, dois décimos melhor que Bruno. O melhor dos F5000 foi o Lola T430 Chevrolet de Alfredo Constanzo, que ficou 1s8 atrás de Jones.
A corrida teve um duelo inicial entre Alan e Giacomelli, que parecia que disputariam palmo a palmo a vitória no apertado circuito de Calder Park. Tanto que Giacomelli fez esta bela ultrapassagem, que está em destaque no vídeo, para assumir momentaneamente a liderança da prova. Mas Jones recuperou a ponta da prova e se impôs, vencendo com uma volta de vantagem sobre Giacomelli após uma hora de corrida. Pironi, com o Elfin, terminou em terceiro com quatro voltas de desvantagem. Alfredo Constanzo foi o melhor dos pilotos regulares terminando em quinto (5 voltas atrás) e conquistando o título da temporada.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

DTM: Kubica testa o Mercedes em Valência

E no circuito Ricardo Tormo, em Valência, Robert Kubica fez o seu teste com o Mercedes do DTM ao convite da fábrica, feito há quase duas semanas.
Apesar deste teste, Robert descartou a possibilidade de correr a temporada pelo fato já estar inscrito no Campeonato Europeu de Rally, uma vez que a maioria das datas coincidirá com os do DTM.
Mas olhar de Kubica ainda está voltado para a F1, onde ele espera que o seu braço machucado num Rally há quase dois anos se recupere a ponto de conseguir pilotar um bólido da categoria.
Abaixo algumas fotos do teste de hoje:





(Fotos: Daimler/Hoch Zwei) 
Fonte: F1fanatic.co.uk

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Foto 168: A primeira da Ferrari

(Foto: Motorsport Golden Age/ Facebook)
Antes que Franco Cortese assinasse seu nome na história da "Rossa" como o primeiro piloto a levar um carro genuinamente Ferrari à vitória no GP de Roma de 1947, Tazio Nuvolari foi quem proporcionou à Enzo Ferrari a chance de vencer uma corrida como dono de equipe em 1930.
A vitória foi no Trieste Opicina, uma prova de time trial. Nuvolari fez o tempo de 5min59s2 num percurso de 9.200Km.
Na época a Scuderia Ferrari era equipe de fábrica da Alfa Romeo.

Foto 167: Decolando

(Foto: Motorsport Golden Age/ Facebook.)
Brian Redman pronto para levanta vôo com o seu Porsche 908/03 da J.W. Automotive Engineering, durante os 1000Km de Nurburgring de 1970. Redman dividiu este Porsche #20 com Jo Siffert e apesar de terem largado da pole, acabaram por abandonar a prova na volta 22 por causa da pressão do óleo.
A prova foi vencida pelo outro Porsche 908/03 #22 da Porsche Konstruktionen Salzburg, pilotado por Vic Elford e Kurt Ahrens.

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Documentário: O ano da Lotus, 1973

Este documentário, entitulado como "If you're not winning... you're not trying" (Se você não está ganhando ... você não está tentando), mostra os passos da equipe comandada por Colin Chapman durante a temporada de 1973, onde eles defendiam o título de pilotos - com Emerson Fittipaldi - e o de Construtores contra a Tyrrell do Tio Ken e de Jackie Stewart. 
Apesar de ter sido uma temporada produtiva para a Lotus, que venceu sete GPs (quatro com Ronnie Peterson e três com Emerson), o título de pilotos acabou pendendo para a Tyrrell de Stewart. 

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Vídeo: A primeira vitória de Tony Kanaan, US 500 1999

O vídeo é das duas últimas voltas da US 500, disputada em Michigan, válido pelo campeonato da finada CART e mostra a possível - já garantida, diga-se -  vitória de Max Papis naqueles giros finais.
Naquele momento ele tinha cerca de dois segundos de vantagem sobre Tony Kanaan, que havia se recuperado de um modo fantástico durante a corrida após um problema na asa traseira (isso se a minha memória não estiver errada), que o jogou para as últimas posições ficando com uma volta de atraso para os líderes. Mas a boa estratégia da Tasman, mais a boa velocidade do Reynard comandado por Tony, o deixaram numa segunda posição que já era uma vitória depois de todos estes acontecimentos. Atrás dele, Juan Pablo Montoya se aproximava rapidamente.
Bandeira branca mostrada e o carro negro de Max Papis, do Team Rahal, foi a volta final. Ele já estava no contorno da última curva do Michigan Internationl Speedway, quando o Reynard-Ford perdeu velocidade e Tony passou para assumir a liderança e conquistar a vitória com Montoya muito próximo dele.

Foto 166: Ímola, 1994

Talvez uma das últimas fotos dele. Roland Ratzenberger na sua Simtek, antes de entrar na pista para os treinos do GP de San Marino de 1994.

sábado, 19 de janeiro de 2013

Foto 165: Tom Pryce no Tour de Epynt, 1976


Tom Pryce também se aventurou no mundo dos Rallies. No início de 1976 ele dividiu o comando de um Lancia Stratos com David Richards durante o Tour de Epynt, em Carmarthenshire, no sudoeste do País de Gales.
Pryce acabou batendo o Lancia numa ponte quando faltava 16Km para o fim do estágio, danificando a frente do carro. Este foi reconstruído e Tom/ Richards puderam participar do restante do evento. Sobre o resultado, não há nenhuma informação. 

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Foto 164: Bremgarten, 1938

(Foto: Motorsport Golden Age/Facebook)
Jean Pierre Wimille com a Alfa Romeo 312 durante um treino livre na pista de Bremgarten, que acolheu o GP da Suiça de 1938.
A corrida foi dominada pelos carros da Mercedes: Rudolf Caracciola, Hermann Lang, Richard Seaman e Manfred Von Brauschitsch conquistaram as quatro primeiras colocações no grid de largada e no final da corrida, Caracciola passou em primeiro seguido por Seaman e Von Brauschitsch. Lang terminou cinco voltas atrás.
Mas o final de semana em Bremgarten foi marcado por uma cena curiosamente fatídica: numa corrida disputada no sábado, contando com pilotos locais, Hans Gübelin, pilotando uma BMW, assumiu a liderança na volta final e quando passou pela linha de chegada acabou não recebendo a quadriculada, após uma falha do responsável pela sinalização. Gübelin morreu metros depois após seu carro despistar-se.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

WEC: Toyota com apenas um carro para o certame de 2013

(Foto: Laurent Chaveau)
E a Toyota, que teve resultados expressivos na segunda metade do WEC de 2012 ao vencer três provas, desafiando o poderio da Audi, terá apenas um carro para este 2013.A informação foi confirmada pelo site Autosport.
Um porta voz da Toyota falou sobre essa decisão da fábrica:  "É puramente uma questão de recursos. O que não devemos esquecer é que no ano passado foi concebido como um ano de teste e desenvolvimento e este ano é para ser a nossa primeira temporada completa, o que significa ter um carro no WEC. " A Toyota já estava trabalhando em dois carros, mas os rumores começaram a indicar que a fábrica nipônica colocaria apenas um na pista e isso foi confirmado quando a equipe inscreveu apenas um TS030 Híbrido até a data limite (16 de janeiro).
Mas mesmo com apenas um carro na pista, a Toyota quer o título e a vitória em Le Mans: "A meta será a de vencer em Le Mans e no campeonato mundial", disse ele. "Nós ainda estamos sério sobre ganhar." disse o porta-voz.
O carro de número 7 será conduzido por Nicolas Lapierre e Alexander Wurz por toda a temporada e em Le Mans, eles terão a companhia de Kazuki Nakajima. 

Fonte: Autosport.com 

Foto 163: Nurburgring, 1938

(Foto: Motorsport Golden Age/ Facebook)
Rudolf Caracciola com a sua Mercedes W154 Nurburgring, durante o GP da Alemanha de 1938. Ele dividiu o volante do W154 com Hermann Lang - que havia abandonado na volta 15 por problemas no motor -, mas não foram páreo para Richard Seaman que com a outra Mercedes W154 venceu a prova com mais de 4 minutos de avanço. Em terceiro ficou Hans Stuck com a Auto Union Type D. 

Foto 162: Postal

(Foto: Motorsport Golden Age/Facebook)
Uma relíquia: um cartão postal do circuito de Mônaco de 1929, ano do primeiro GP disputado nas ruas de Monte Carlo.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Revista Speed - Edição 7

Com uma edição mais enxuta do que a passada, principalmente pela entre-safra que vivem as categorias, o sétimo número da Revista Speed foi ao ar ontem com ótimas matérias sobre o Rally Dakar - que é o carro chefe deste mês - WRC, NASCAR, as 24 Horas de Daytona e MotoGP.
Paulo Alexandre Teixeira destacou no sua coluna "O Grande Circo", o fim da equipe Hispania que teve sua falência decretada ao final de 2012; ele ainda descreve os dias do Rally Dakar aqui na América do Sul, assim como as perspectivas sobre o WRC para este 2013. Ainda sob seu comando, ele apresenta um ótimo texto sobre o melhora carro da saga dos Fittipaldi com a sua equipe na F1: o FA5 de 1978, que foi ao pódio do GP do Brasil de 1978 - disputado no finado Jacarepaguá - com Emerson Fittipaldi em segundo, que também é destacado nesta edição.
A NASCAR tem a sua vez nesta edição com a estréia do Felipes (Felipe Antonio e Felipe Pires), que falam sobre os principais pilotos da categoria e o que esperar deles e dos pilotos brasileiros nas demais categorias.
Daniel Machado também apresenta quem pode brilhar na MotoGP este ano e Bruno Mendonça montou uma lista dos campeões de 2012. Pedro Luís Perez mais uma vez nos brinda com um dos seus Paper Model, que destaca a 312T4 com Gilles Villeneuve ao volante o seu melhor estilo: no contra-esterço.
Rafael Ligeiro, na sua coluna "Papo Ligeiro", nos apresenta uma crônica de um destes garotos que não impressionam muito em treinos, mas acabam sendo brilhantes em ritmo de prova impressionando muitos e calando a boca de tantos outros.
E eu colaborei com um texto sobre as 24 Horas de Daytona, que terão ao final deste mês a sua 51ª Edição que promete ser uma das mais disputadas da história. E o automobilismo brasileiro será muito bem representado com a presença de 16 pilotos nesta prova. E boa parte deles com chance de vencer em suas respectivas classes.
E todos, uma ótima leitura.

Link: http://speedrevista.wordpress.com/2013/01/15/speed-7-janeiro-2013/

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Foto 161: Ciano

O sensacional Mercedes W154 de Rudolf Caracciola em uma das vielas do circuito de Montenero (Livorno) na Itália, durante a Coppa Ciano de 1938.
Foram 20 edições dessa prova, sendo que sete foram realizadas sob o nome de Circuito de Montenero. Em 1927 a prova foi feita em conjunto com a Coppa Ciano, que era nada mais que um troféu - idealizado pelo político local Constanzo Ciano - entregue ao piloto vencedor do Circuito de Montenero. A partir de 1928 a prova passou a chamar-se Coppa Ciano. O maior vencedor dessa prova foi Tazio Nuvolari com cinco conquistas - 1931, 32, 33, 35 e 36 quando venceu em parceria com Carlo Pintacuda. Antes disso, Emilio Materassi havia vencido quatro vezes em seguidamente nos anos 20 (1925, 26, 27 e 28). O GP da Itália, que era realizado de forma ininterrupta em Monza desde 1922, foi transferido para este circuito em 1937 devido ao grande desempenho de Nuvolari no ano anterior, que conseguira derrotar os carros alemães quando estava ao volante da Alfa Romeo 8C-35. Mas desta vez não teve papo e Caracciola com a Mercedes W125 venceu com folga.
Como foi dito, a última edição da Coppa Ciano foi realizada em 1939 e teve como vencedor Giuseppe Farina com a Alfa Romeo 158.
A prova voltou a ser a realizada, com o nome de Circuito de Montenero, em 1947 quando Franco Venturi, com uma Cisitalia D46-FIAT, foi o vencedor.

sábado, 12 de janeiro de 2013

Vídeo: Apenas um pequeno susto

E derrepente você, descendo de pé cravado uma das daquelas longas retas do antigo Silverstone, dá de cara com uma ambulância cortando o seu caminho. Talvez Alain Prost tenha passado um pequeno susto quando viu o furgão branco atravessar a sua frente na zona de "Chapel", que transportava um acidentado Nelson Piquet durante o GP da Grã-Bretanha de 1981.

WEC: RAC Tourist Trophy para o vencedor das 6 Horas de Silverstone

(Foto: WEC/ RAC)
A lendária prova de resistência, que teve a sua primeira edição em 1905 disputada nas ruas da Ilha de Man, na Irlanda, fará parte agora do Mundial de Endurance. Numa parceria firmada entre o FIA WEC e o RAC (Royal Automobile Club), o mítico troféu do Tourist Trophy será entregue a equipe vencedora das 6 Horas de Silverstone, que fará a abertura do Mundial de Endurance deste ano em 14 de abril.
A prova voltou a ser disputada em Silverstone em 2005, no ano de seu centenário, quando a clássica corrida contou pontos para o Mundial de FIA GT que foi vencida por Peter Kox (HOL) e Pedro Lamy (POR) a bordo de um Aston Martin. E a partir deste ano a prova fará parte do Mundial de Endurance.
Pierre Fillon, presidente do Automobile Club L'Ouest, falou sobre a chegada dessa lendária: “É com grande prazer que anunciamos esta parceria com o Royal Automobile Club para presentear com o prestigiado Tourist Trophy os vencedores da prova de abertura do Campeonato Mundial de Resistência em Silverstone. 2013 é um ano muito importante para o Automobile Club de l’Ouest visto que marca o 90º aniversário da primeira edição das 24 Horas de Le Mans, em 1923. Poder entregar o Tourist Trophy, que está recheado de história e tradição, é uma grande honra para nós neste ano tão importante e irá dar o sinal de partida em grande para a temporada 2013. Estamos ansiosos por ver quais os nomes da grelha do WEC que se irão juntar à lista de honra, lado-a-lado com nomes do passado como Caracciola, Shelby, Moss, Hill e Bell, nomes esses que estiveram também ligados a Le Mans.”
O presidente do RAC, Ben Cussons, também se mostrou entusiasmado por essa nova fase do Tourist Trophy: “O Royal Automobile Club está orgulhoso por atribuir o Tourist Trophy ao vencedor das 6 Horas de Silverstone em Abril. O Tourist Trophy tem celebrado o melhor das corridas de endurance e é totalmente apropriado que este esteja em disputa na prova de abertura do Campeonato Mundial de Resistência num ano tão importante para os promotores do campeonato. A primeira corrida de sempre, em 1905, teve a duração de 6 horas e é justo que mais de 100 anos depois regressemos com uma prova de 6 Horas em 2013. Mal podemos esperar pela corrida de Silverstone a 14 de Abril e ver o Tourist Trophy ser erguido de novo no pódio.”  
O primeiro Tourist Trophy, que foi realizado em 14 de setembro de 1905 nas ruas da Ilha de Man, teve como vencedor John Napier, pilotando um Arrol-Johnston, após completar quatro voltas num percurso de 83Km. A prova teve duração de seis horas. 

Fonte: Le Mans Portugal

Foto 160: Podium

Ron Dennis e David Coulthard congratulando os garotos no pódio de uma prova de Kart, no Reino Unido. O garoto do meio é o menino de ouro que viria a brilhar anos mais tarde na Mclaren do senhor Dennis. Seu nome? Um tal de Lewis...

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Foto 159: Audi Quattro 4WD, por Hannu Mikkola

"Ele exigiu uma técnica de condução totalmente diferente do que eu estava acostumado. Na primeira, foi undriveable (?). O motor não tinha potência enquanto estava abaixo dos 4.000 rpm. Acima desse ponto era extremamente poderoso."
Hannu Mikkola sobre as suas primeiras impressões do Audi Quattro 4WD, que estreou nos Rallys em 1981. Com esta máquina, Mikkola venceu quatro ralis entre 1981-82 e em 83 arrematou outros quatro com os modelos A1 e A2, uma evolução do Audi Quattro e de quebra o título do Mundial de Rally.
Mikkola ficou na Audi até 1987, quando venceu pela última vez no Rally do Safari. Ele seguiu para Mazda, onde veio a encerrar a carreira em 1991. 

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Foto 158: Piscina

(Foto: Motorsport Golden Age)
E nestes dias de chuvas quase que frenquentes aqui em São Paulo, nada mais justo que uma foto sobre o tema. Aqui Emmanuel de Granfferied com sua Maserati 4CLT-48 durante acorrida do International Trophy de 1951.
Granfferied terminou a prova 1 na oitava colocação e abandonou na terceira. A primeira prova foi vencida por Fangio (Alfa 158 #1) e a segunda por Giuseppe Farina (Alfa 158 #2). Na terceira e última bateria, que reunia todos os participantes das duas primeiras, Reg Parnell, na outra Alfa 158 #35, venceu a corrida que foi interrompida devido a forte chuva que caiu em Silverstone.

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Foto 157: Espaciais

(Foto: Motorsport Golden Age/ Facebook)
Parecendo ter saído de algum filme de ficção científica dirigido por George Lucas, o Porsche Turbo 908/80 #5 de Jochen Mass/ Reinhold Joest/ Volkert Merl ao lado do Lola T600 Ford #1 de Guy Edwards/ Emilio de Villota na primeira fila das 6 Horas de Silverstone de 1981, válida para o World Sports Car Championship de 1981
O Porsche não completou nenhuma volta, abandonando após a largada devido um acidente. O Lola de Edwards/ Villota foi a até a 94ª volta quando teve que deixar a prova devido uma pane seca.
A vitória foi do Posrche 935J #22 da Vegla Racing, conduzida pelo trio Walter Röhrl / Harald Grohs / Dieter Schornstein.

domingo, 6 de janeiro de 2013

Crash: Salt Whalter, Indy 500 1973

É um vídeo que a maioria já deve ter visto, que é o do acidente de Salt Whalter na largada para as 500 Milhas de Indianápolis de 1973. Whalter acabou tocando rodas com outro carro e foi lançado contra o alambrando, onde o veio a bater enquanto dopiava no ar. O combustível foi jogado contra algumas pessoas que estavam próximas da cerca, causando queimaduras.
O carro de Salt caiu de ponta cabeça e continuou a rodopiar, enquanto era acertado por Mike Mosley (#98) e Lee Kunzman (#16). O carro de Salt parou no gramado da curva 1 e ele foi retirado ainda com vida, mas vários ferimentos.
Essa edição da Indy 500 foi uma das mais sangrentas da história: além desse acidente da largada, Art Pollard, veterano de Indianápolis, morreu durante os treinos e Swede Savage morreu dias depois do seu brutal acidente na parte interna da curva 4, onde seu carro acabou por desintegrar-se. Apesar do forte impacto e do incêndio, Savage faleceu no dia 2 de junho no hospital quando contraiu hepatite B durante uma transfusão de sangue. A outra morte foi de um integrante da equipe de Swede, Armando Teran, que foi atropelado por uma ambulância (!) dentro dos boxes, quando esta se deslocava rapidamente para o atendimento à Savage. A chuva também esteve presente nesta edição, tanto que a corrida só foi realizada, ainda que apenas 133 voltas foram realizadas, no dia 30 de maio (quarta-feira). A vitória foi de Gordon Johncock.
Quanto a Salt Whalter, este recuperou-se e conseguiu correr a Indy 500 de 74, 75, 76, 78 e 79. Em 1991 ele tentou uma vaga no grid pilotando um Penske Cosworth, mas falhou neste que foi a sua última aparição em Indianápolis. Teve uma vida muito atribulada devido a drogas e prisões.
Morreu em 27 de dezembro de 2012 aos 65 anos na cidade de Trotwood, em Ohio.

sábado, 5 de janeiro de 2013

Pole Lap: Ayrton Senna, Adelaide 1988

O campeonato daquele já estava decidido à favor de Senna quando a F1 se reuniu pela última vez naquela temporada, mas nem por isso os dois grandes rivais de Mclaren baixaram a guarda quando disputaram a pole position para o GP da Austrália.
Faltando poucos minutos para o fim do treino classificatório, Senna assinalava a pole com o tempo de 1'18''140, 39 milésimos mais rápido que Prost. Mansell vinha numa distante terceira posição com o tempo de 1'19''427, ou seja, os dois contendores da Mclaren, assim como em toda a temporada, estavam em outro patamar.
Prost acertara uma volta brilhante baixando a marca para 1'17''880 e naquele momento Ayrton já estava na pista para abrir a sua volta. Foi avisado ao ver a placa nos boxes, mas acabou se atrapalhando com a Arrows de Derek Warwick e mais à frente com a Ligier de Arnoux quando iniciava a sua volta. Abortou e abriu na próxima passagem. Este foi o momento em que Prost tentava melhorar a sua marca, mas não passou de 1'18''174. Ayrton, com a pista livre, conseguiu melhorar ainda mais o tempo da pole: 1'17''749. Alain veio em seguida, mas não pôde fazer mais nada.
Foi a 13ª pole de Senna naquela temporada.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Foto 155: Ferraris in Karussell

Clics iguais, anos diferentes. As Ferraris  de Wolfgang Von Trips e Phil Hill contornando o Karussell de Nurburgring em anos distintos: o alemão pilotando a Ferrari Dino 246 em 1958, terminou o GP da Alemanha em 4º; Hill, com a Ferrari 156 "Shark Nose", foi terceiro no GP alemão de 1961. A foto do norte americano deve ter sido fotografada durante os treinos, já que a prova foi realizada debaixo de (muita) chuva.


quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Foto 154: O foguete

Iniciando o ano com uma foto do Porsche conduzido por Henri Toivonen e Juha Paajanen no Rally dos 1000 Lagos de 1979. E Juha lembra um pouco desse carro e, claro, de Toivonen: "Esse Porsche era um foguete. Eu me lembro como Henri conduziu-o lindamente em Ouninpohja, um estágio especial que ele amava".