sábado, 24 de abril de 2010

Que tal uma corrida com pista seca?

As 4 etapas iniciais do mundial de F1 foram distintas. Se a prova de abertura no Bahrein foi sonolenta a ponto de você ter se arrependido ao acordar as oito da manhã para assisti-la, concerteza você ficou de olhos bem arregalados para acompanhar as três corridas seguintes no Austrália, Malásia e China onde, por causa da chuva, as coisas ficaram embaralhadas e assim tivemos provas de um nível altissímo, coisa que era rara. Mas mesmo assim serviu para mostrar quem são as forças deste mundial.
Começando pelo Bahrein, a briga se manteve entre a Red Bull de Vettel e as Ferraris de Alonso e Massa que perseguiram o alemão a corrida toda, abrindo grande vantagem para Rosberg quem vinha logo em seguida. O domínio foi grande por parte dos três, mas para Vettel as coisas pioram quando o escape do motor Renault quebrou e ele teve que ceder passagem para Alonso, Massa e Hamilton ficando assim em quarto na prova e perdendo uma vitória que estava no bolso, pois tinha uma vantagem de 2.5 que estava a administrar bem para Alonso. O espanhol venceu a única prova que não teve a interferência da chuva e momento algum.
Na Austrália a chuva tinha feito as coisas ficarem confusas na largada, com o enrosco de Button com Alonso e Schumi que relegou os três a fazerem uma prova de recuperação. No caso de Button ele tinha treocado pneus intermediários por slick quando a pista começou a secar. Já Alonso e Schumi cairam para o fundão por causa do enrosco de ambos. Mas mesmo com esses contratempos Button conseguiu chegar à frente, mesmo no momento em que estava conformado com a segunda posição, afinal Vettel estava intocável na liderança mas outro problema, agora com os freios, o tirou da prova deixando caminho aberto para o inglês vencer a sua primeira corrida pela Mclaren. Outro azar para o alemão, mas os Mclarens mostravam sua força nesta prova com a vitória de Button e o ótimo desempenho de Hamilton após grande batalhas.
Malásia foi outra corrida interessante e foi disputada sem chuva, se bem que esta tinha dado as caras no sábado e jogado os duos da Mclaren e Ferrari para rabeira do grid de largada, forçando assim outra prova de recuperação de Button, Hamilton, Alonso e Massa. Vida difícil para uns, fácil para outros. Vettel teve a sua grande chance a não a desperdiçou vencendo a corrida com Webber logo em seguida, constituindo assim a primeira dobradinha da Red Bull no ano e melhor de tudo, sem problemas. Dos outros quatro que largaram no fundão, apenas Alonso não completou a prova porque o motor Ferrari abriu o bico.
Na China as coisas pareciam bem para a Red Bull, mas o chove não pára deu chance à Button, novamente, vencer a corrida com estratégia quase parecida com a que tinha usado na Austrália, mas dessa vez ele retardou a sua parada enquanto seus rivais estavam indecisos quanto a ficar com pneus slick ou intermediários. Quando se acertaram, Button estava recebendo a bandeirada para sua segunda vitória no ano e de quebra levar a liderança do mundial. Os Mclarens, mais uma vez nestas condições complicadas, tinham arrasado a concorrência já que Hamilton, em outra prova fantástica, tinha chegado em segundo com chances até de vencer a prova.
Alonso e Massa no Bahrein: No único final de semana sem chuva neste temporada, os Ferraris foram bem o que pode ser um bom indicio para a corrida de Barcelona, daqui 15dias, onde que é bem raro chover.

Pelo que parece, as coisas podem se tornar um pouco monótonas se uma prova for disputada com pista seca. Bahrein foi um bom exemplo disso e pelo que me lembro não tivemos uma única ultrapassagem sequer na prova. Em contrapartida, na Malásia, a corrida foi com pista seca e o número de ultrapassagens foram em grande quantidade claro, ainda tendo como pano de fundo a chuva que embaralhou quase tudo no sábado na classificação.
Se bem que uma dose má sorte aliada a falta de preparo para as estratégias também tem assolado alguns. Na Ferrari, por exemplo, Alonso poderia ter conseguido boas colocações mas os azares na Austrália, Malásia e China o tiraram pontos preciosos. Enquanto que em Melbourne ele teve que fazer uma prova de recuperação para chegar em quarto atrás de Massa, na Malásia chegaria na casa dos pontos se não fosse o estouro do motor e na China jogou fora, por conta própria, a chance de tentar vencer a prova após uma queima de largada que foi punida em seguida. Mas o fato de ter vencido a única prova "normal" até agora no campeonato, mostra que a Ferrari tem força para brigar na frente e Alonso tem estado fabuloso em suas recuperações nas provas.
Aparentemente os Red Bulls são os mais rápidos, mas sua confiabilidade ainda está baixa. A Mclaren com o motor Mercedes ultraconfiável e um carro que tem se mostrado perfeito, tem feito o seu trabalho quetinha sem alardes e Ferrari precisa apenas de uma prova sem contratempos para voltar a linha de frente.
No GP da Espanha, dia 9 de maio em Barcelona, será um lugar perfeito para medir as forças destas equipes e também, porque não, da Mercedes. Todos tem setups desta pista ainda fresquinhas na memória e concerteza será disputada em pista seca, o que vai deixar ainda mais interessante a corrida. Mas confesso que não espero uma corrida tão emocionante como as últimas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário