domingo, 1 de novembro de 2015

GP do México: Nada demais no retorno ao México

Aquelas altas probabilidades de chuva para o horário da corrida, não aconteceu. Aliás, estava um sol forte por lá. Aquela pista de patinação que os pilotos encontraram na sexta, estava mais emborrachado graças as categorias suporte do fim de semana. Aquele temor que fez Hamilton acreditar que Vettel poderia fazer uma largada muito melhor que os dois Mercedes por conta da longa reta, também não se confirmou. O que poderia ser ao menos algo próximo do que foi em Austin semana passada, passou bem longe.
As Mercedes dominaram como era de se esperar, com Rosberg liderando desde o início e Hamilton seguindo-o de longe, apenas esperando por um erro que o piloto alemão não cometeu em momento algum. No entanto o dia não foi dos melhores para Vettel, que largou mal, reclamou por várias voltas devido um toque com Ricciardo na largada, despencou na classificação, esta recuperando-se quando rodou e ainda travou uma disputa com Maldonado, onde tomou um "Xis" do venezuelano. Para completar a péssima jornada dele no México, bateu quando estava alcançando... Maldonado. Um fim de semana para ele esquecer...
Kimi também esteve num dia não muito dos melhores: além de sair do fundão devido uma troca de motor, acabou encontrando Bottas pelo caminho, onde eles reeditaram o duelo na Rússia... bem fielmente, mas desta vez com Valtteri batendo nele. Raikkonen abandonou e apesar das investigações, Bottas não recebeu nenhuma reprimenda. Melhor para ele: conseguiu um belo terceiro lugar. E para a Ferrari foi uma corrida pra lá de frustrante...
O mesmo não podemos dizer da Red Bull que por mais que o motor Renault não seja páreo para a Mercedes e Ferrari, o carro tem melhorado consideravelmente nestas útimas corridas, dando aos seus dois pilotos a oportunidade de brigar até pelo pódio. Se tivessem um bom motor, a história poderia ser diferente.
Sem dúvida Sergio Pérez foi o herói local. A qualquer passagem que ele fizesse - tanto nos treinos, quanto na prova - a torcida vibrava como se fosse um gol. Quando Sainz teve que devolver a posição devido um ganho de vantagem, ele devolveu o lugar para Pérez na parte do estádio e isso inflou a torcida ali presente. Sergio chegou em oitavo e pensando bem, aquele pódio da Rússia poderia ter sido hoje. A torcida viria abaixo em festa...
O retorno da F1 ao México foi positivo. Se a corrida não foi grande coisa, ao menos a presença da categoria num palco tão tradicional foi importante para mostrar o quanto que o público mexicano estava ansioso - se eles gostaram da prova, é uma outra história - ao esgotar os ingressos em uma semana e lotar as arquibancadas. Fazia um bom tempo que não viámos arquibancadas lotadas assim.
É um marco importante para mostrar que a categoria precisa resgatar lugares tradicionais e deixar de lado praças insossas que tem invadido a categoria da década passada pra cá.

Um comentário:

  1. como disse no blog, se for pra fazer corridas assim, pode ficar mais alguns anos de fora do calendário que ninguém vai ligar

    ResponderExcluir