quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Acertando as contas com o passado


130.000 dólares! Este foi o preço pelo qual a Mercedes, em 1991, pagou pelo lugar do cockpit do carro número 32 da Jordan para colocar a sua estrela maior do projeto de jovens talentos da fábrica: Michael Schumacher. Por mais que ele tenha assombrado os concorrentes ao colocar a Jordan em sétimo no grid, mal largou e a embreagem fundiu ainda na descida da La Source não dando chances que mostrasse todo seu potêncial. Duas semanas mais tarde estava no cockpit do Benetton em Monza e marcando seus primeiros pontos com uma quinta colocação. Bom o resto do assunto todo mundo sabe de cór: Campeão do mundo 7 vezes, 91 vitórias e por ai vai...

Schumi correu no lugar de Bertrand Gachot que tinha sido preso numa discussão de trânsito no Reino Unido


O motivo pelo qual a Mercedes tinha comprado este lugar na Jordan, era dar experiência para Schumi quando a fabrica alemã aparecesse no circo com sua equipe própria. Em 93 eles aparecerem com a Sauber, continuando uma parceria que tinha dado certo no mundial de Sport Prototipos em meados dos anos 80 e ínicio dos 90. Schumacher já era uma estrela da F1 com um punhado voltas rápidas e uma vitória no bolso e em 94 já conquistava seu primeiro título, repetindo o feito em 95 todos pela Benetton.
A Mercedes tinha deixado a Sauber para apoiar a Mclaren em 1995, inciando assim uma parceria que rendeu a fábrica três títulos de pilotos e dois de construtores até o ano de 2009.
O trio de jovens pilotos apoiados pela Mercedes em 91, mas o primeiro da esquerda pra direita foi o melhor aluno. O carequinha é Peter Sauber

Por algumas vezes a Mercedes tentou levar Schumi para a Mclaren. Em 1998 quase deu certo, mas faltou algo para o sonho se conncretizar. Nos anos seguintes Schumi, no seu dominio absoluto na Ferrari, arrasou a Mercedes vencendo os campeonatos de 2000, 2001 e 2003 com sobras.
Schumi encerrou sua carreira em 2006 e a Mercedes, sempre junto da Mclaren, venceu o campeonato de pilotos com Hamilton.
Em 2009 o destino mudou o rumo das vidas de ambos. Enquanto Schumacher ensaiou uma volta à F1 para substituir Massa na Ferrari, a Mercedes ao final do campeonato anunciava o fim da parceria com a Mclaren e a compra da equipe campeã do mundo BrawnGP. Primeiro eles trouxeram Rosberg e dai começou o suspense de quem seria o segundo piloto.
Nomes como de Sutil, Button, Raikkonen entre outros circulavam como de quase certos, mas na metade de novembro o nome de Schumi apareceu com força, mas foi logo desmentido. E nisso ficou até hoje quando a Mercedes anunciou a volta da lenda à categoria.
O contrato vai durar por 3 temporadas e Schumacher explica o motivo da sua volta à Mercedes: "Para mim, essa parceria fecha um ciclo" disse o heptacampeão. "A Mercedes me apoiou por muitos anos quando eu comecei minha carreira na F1, e eu posso finalmente dar algo em troca à marca com a estrela" completou Schumi.
Era uma volta quase certa, mas que nenhum de ambos os lados davam o braço a torcer. O sonho da Mercedes enfim foi concretizado. Os 130.000 dólares agora terá algum retorno!

Nenhum comentário:

Postar um comentário