quinta-feira, 5 de novembro de 2015

O meu Grande Prêmio do Brasil, Por Hiram Guidorizzi

Hoje é a vez de Hiram Rondello Guidorizzi, que trabalha comigo na Speed Fever e que trabalhou do GP de 1991 até o de 2008, a escrever suas lembranças do Grande Prêmio de 1991 vencido por Ayrton Senna.
Com a palavra, Hiram:

Grande Prêmio do Brasil, 1991


"Assistindo a vários GPs pela arquibancada, sempre tive vontade de estar participando do lado de dentro da pista, até que me tornei um membro da equipe Speed Feever e com o retorno da F1 para Interlagos, finalmente tive a oportunidade de participar de um GP.
Fui escalado para trabalhar no Resgate à Pé, com o grupo posicionado entre a curva depois do Lago e o Laranjinha  e fomos os primeiros a trabalhar naquele GP, pois logo que iniciou o pré qualifying uma Fondmetal saiu de box e ao fazer a curva do lago escapou e foi para na grama. Como havia chovido e haviam feito uma obra de recuo do muro do lago, com a compactação recente, ao fazer o resgate do carro, atolamos na lama até o joelho. Quando o carro foi removido para o asfalto,  verificamos que todos os parafusos de fixação da suspensão traseira do lado direito tinham caído e o assoalho ficou encostando no chão. Mesmo assim o piloto (Olivier Grouillard,que seria substituido por Gabrielle Tarquini no decorrer da temporada), muito nervoso,  pedia para empurrar o carro para que retornasse ao treino que teve que ser interrompido para resgate do carro aos boxes.

O primeiro treino livre daquela sexta-feira  foi com chuva e lá pela metade o Mansell perdeu o controle de sua Williams ao fazer a curva após a descida do lago e foi “roçar” a grama, danificando o carro e ficando em local perigoso. Tivemos que remover o carro para o outro lado da pista, na agulha junto ao muro. Pudemos perceber a disciplina e consciência do perigo que tem um piloto de ponta, no caso o Mansell, que aceitou as orientações nossas para posicionar o carro em local seguro, ao contrario do piloto da Fondmetal que não aceitou nossas orientações querendo continuar no treino.

Nosso trabalho terminou aí, pois não fomos mais acionados em todo o restante do final de semana.

Pudemos então assistir a prova e acompanhar a dificuldade do Senna com a perda de marchas nas últimas voltas da corrida na liderança e a ameaça de Patrese que se aproximava perigosamente, mas finalmente pude assistir a primeira vitória de Senna em Interlagos e o tumulto que se formou quando o carro parou no final da reta oposta após a bandeirada.

O primeiro GP, por si só é inesquecível, mas o GP de 1991 foi muito marcante pelos acontecimentos, culminando com uma vitória épica de um brasileiro no GP Brasil."

Nenhum comentário:

Postar um comentário