terça-feira, 9 de novembro de 2010

E que venha Abu Dhabi

Vettel já havia alertado antes da prova que na largada ele olharia apenas para frente. Ao seu lado, na pole, estava Hulkenberg que havia assombrado a todos com suas três voltas extremamente velozes na classificação, com pneus slicks, numa pista ainda úmida por causa da chuva de antes da classificação. Com pista seca, como estava no domingo em Interlagos, seria complicado para o novato segurar a sua posição. Ao apagar das luzes vermelhas, Vettel cumpriu sua promessa e ao virar da primeira perna do “S” do Senna já estava na frente de Hulkenberg. A primeira parte do plano já estava feita e agora era abrir boa vantagem para Webber, que tinha despachado o jovem alemão na decida do lago. Sem ter nenhum incomodo por parte dos outros rivais, o duo da Red Bull desapareceu na frente. Sebastian dosou bem a diferença para Webber que sempre oscilou entre 3.5 e 1.8 segundos, desse modo um embate entre os dois pela vitória em Interlagos não aconteceu e a prova se tornou chata. Se bem que no meu modo de ver foi uma corrida tensa, pois alguns retardatários não aliviaram para os líderes, como aconteceu com Webber ao tentar passar Bruno Senna e Alonso tentando dobrar Buemi. Principalmente no caso do espanhol, pois o suíço deu trabalho por uma volta, com Fernando executando a ultrapassagem apenas no final da reta dos boxes depois de ter iniciado as manobras ainda no final da reta oposta.
Por falar em Alonso, este fez uma corrida que me surpreendeu. O motor que ele usou em Interlagos era simplesmente o mesmo de Monza, corrida que ele venceu após batalhar contra Button. O motor já estava forçado e debaixo da forte temperatura que este enfrentou ontem, me surpreendi com seus tempos de voltas que eram idênticos e as vezes mais rápido que o dos Red Bulls que iam à sua frente. Tanto que ele se aproximou de Webber com certo perigo no final da corrida (numa certa volta ele chegou a tirar até dois segundos do australiano), mas não conseguindo a aproximação suficiente para tentar o bote. Após a corrida, Mark disse que o motor estava superaquecendo na parte final da corrida e por isso teve brandar o ritmo, mas sempre tomando cuidado com a aproximação de Alonso.
A Mclaren teve mais uma jornada bem fraca e agora vê em Hamilton sua última esperança de título, pois a de construtores acabou ontem com a conquista da Red Bull após sua dobradinha. Lewis fechou em quarto, e mesmo após sua troca de pneus durante a visita dói safety car, devido o acidente de Liuzzi na saída do “S” do Senna, ele não conseguiu aproximar-se de Alonso. Agora ele tem 24 pontos de desvantagem para Fernando, que sugere apenas um milagre para que ele conquiste seu segundo mundial.
Já os brasileiros tiveram um fim de semana para esquecer. Massa, que saiu e nono, teve problemas no pneu dianteiro direito após sua primeira parada, tendo que voltar para arrumar e assim tendo sua prova arruinada. E ainda teve um toque com Buemi que o fez perder algumas posições. Recuperou-se e fechou em 15º. Barrichello teve um pneu furado numa disputa com Alguersuari e depois um problema no seu pit stop, que arruinaram sua corrida e assim fechou em 14º. Bruno Senna terminou em 21º e Di Grassi, que teve problemas na suspensão traseira de seu Virgin e chegou a abandonar momentaneamente a prova, voltou e fechou em 23º.
Enfim, o campeonato será decidido em Abu Dhabi, daqui cinco dias. Alonso fatura o campeonato com um segundo lugar e daí não dependerá de mais ninguém. Se ficar em terceiro é pegar a calculadora e fazer as contas de quem pode ou não levar o mundial de 2010. A Red Bull ainda não se decidiu para quem devem dar total apoio, e isso não acontecerá agora nessa curta semana, em que os treinos já começam na sexta. Vete, junto de Alonso, foi que mais cresceu de performance nas últimas 4 provas. E Monza fechou numa quarta posição que devia ser um oitavo, devido sua má apresentação durante aquele GP, mas a estratégia de trocar pneus no final da corrida salvou sua pele; em Cingapura foi segundo, pressionando fortemente Alonso; em Suzuka venceu com folga e na Coréia venceria facilmente se o motor Renault tivesse deixado. Visto essa ascensão e a preferência já declarada da equipe a favor do alemão, como se comportará a Red Bull caso Vettel esteja em primeiro, Webber em segundo e Alonso em terceiro em Yas Marina? Ao decorrer das 55 voltas em Abu Dhabi a resposta será conhecida, mas ainda acho que a Red Bull ainda vai acreditar até o último suspiro para uma quebra de Alonso, e nessa indecisão da equipe rubro-taurina o espanhol pode beliscar seu terceiro mundial. Realmente, estão numa encruzilhada.
Vettel decidiu sua vida na largada, ao ultrapassar o surpreendente Hulkenberg na primeira perna do "S"

Hulkenberg ainda foi atração da corrida nas primeiras voltas, ao segurar Alonso por sete voltas... 

... e dar trabalho para Hamilton em outro punhado de giros

Hamilton e Button chegaram em 4º e 5º respectivamente, mas é o inglês da frente que ainda tem chances de título. Porém precisará de um milagre, pois está 24 pontos atrás de Alonso

A primeira da Red Bull: a equipe que tem cinco anos de existência, fez a festa pelo seu primeiro título de construtores. A equipe chegou a 469 pontos contra 421 da Mclaren.


Nenhum comentário:

Postar um comentário