domingo, 31 de março de 2019

GP do Bahrein: Um dia de azar... E sorte

O homem certo na hora certa: Lewis aproveitou bem a chance para vencer a sua primeira prova em 2019
Havia uma grande expectativa em torno do que Charles Leclerc poderia fazer quando estivesse em posse de um carro competitivo. Se em Melbourne os problemas de acerto da Ferrari limitou o seu desempenho e o de Vettel, os deixando longe de uma possível batalha com a Mercedes, em Sakhir a melhora significativa da Ferrari foi importante para os colocarem de volta a disputa e também dar a oportunidade de Charles mostrar o seu potencial e a pole position foi um belo cartão de entrada.
É claro que a sua má largada que quase o jogou para quarto esfriou um tanto a euforia em torno do jovem monegasco, mas a sua rápida recuperação sobre Hamilton e a velocidade com que alcançou Sebastian Vettel fez aumentar a expectativa. Ainda mais quando conseguiu duelar com Sebastian pela liderança e vencer a disputa. Abriu grande vantagem, chegando bater na casa dos nove segundos e estava alheio de qualquer importunação de outro piloto. Seria uma vitória fabulosa, num dia que soube domar os dois melhores pilotos da categoria com talento e velocidade. Seria... O motor da Ferrari passou a apresentar problemas quando estava faltando treze ou doze voltas para o fim, e aquela diferença de quase dez segundos para Hamilton se desfez em poucas voltas. Lewis assumiu a liderança para conquistar uma vitória bem improvável, diga-se e Leclerc ainda perderia a segunda colocação para Bottas. Charles teve a sorte aparecer um Safety Car nas últimas três voltas que o fez sustentar a terceira posição, que seria perdida para Verstappen.
Já o vencedor da prova não teria grandes chances de levar essa corrida barenita. No entanto, pelo menos com Vettel, Hamilton esteve bem próximo em toda prova e isso lhe deu a oportunidade de tentar quebrar a possível dobradinha da Ferrari. A disputa pela segunda posição entre os dois maiores campeões dessa década foi o ponto alto deste GP. Por mais que Hamilton tivesse sofrido com os pneus macios antes do seu segundo pit-stop, a diferença não foi tão grande e isso permitiu-lhe continuar com Sebastian na alça de mira até que ambos entrassem numa batalha aberta, com Vettel conseguindo se defender bem no primeiro grande ataque de Lewis. O inglês soube esperar mais uma volta e dar carga total, fazendo manobra idêntica a primeira mas com muito mais agressividade. Vettel acabou rodando após destracionar na saída de curva quando Lewis já estava a frente. Enquanto que Hamilton caminharia tranquilamente para uma possível segunda posição - antes que a aparecesse o problema de Leclerc -, Vettel ainda perdeu a asa dianteira de forma estranha, que o forçaria ir aos boxes. Voltou ainda entre os dez, mas sem grandes chances de tentar um pódio ao fechar num melancólico quinto lugar.
Esta corrida barenita ainda reservaria ao novato Lando Norris a chance de conquistar um honroso sexto lugar, aproveitando-se bem do ótimo rendimento da McLaren nesta pista de Sakhir que já havia sido bem visto nos treinos e principalmente no bom início de prova de Carlos Sainz, que acabara se tocando com Max Verstappen na disputa pela quinta posição e despencando para último, de onde não sairia até seu abandono nas voltas finais.
O GP do Bahrein acabou por mostrar o aparecimento de um terceiro elemento que pode incomodar qualquer um dos dois possíveis campeões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário