terça-feira, 10 de novembro de 2009

A primeira e única

Vencer uma prova do campeonato mundial de F1 é difícil e árduo, mas quando vence é algo inexplicável. Alguns conseguiram 2, 3, 10, 41, 51 e até 91 vitórias, mas a categoria teve aqueles que experimentaram o primeiro lugar apenas uma vez na carreira, por pura sorte ou não, mas tiveram esse grande momento registrado.

1961- GIANCARLO BAGHETTI- FERRARI 156- GP DA FRANÇA (REIMS)- Era a estréia de Baghetti no mundial de pilotos, mas ele levou a vitória após dura batalha com Dan Gurney (Porsche). A diferença de um para o outro foi de 1 décimo.

1964- LORENZO BANDINI- FERRARI 156- GP DA ÁUSTRIA (ZELTWEG)- Foi a única vitória da grande promessa italiana que morreria mais tarde após queimaduras do seu grave acidente em Mônaco 66.

1965- RICHIE GHINTER- HONDA RA272- GP DO MÉXICO (CIDADE DO MÉXICO)- A Honda também tinha grandes ambições naquela sua primeira participação no campeonato da F1, e deu a chance de Ghinter vencer sua única prova na F1 e a primeira dos japoneses.

1966- LUDOVICO SCARFIOTTI- FERRARI 312/66- GP DA ITÁLIA (MONZA)- Fez a grande festa dos italianos em Monza ao vencer o GP. Mas esta conquista foi a última de um italiano, pilotando uma Ferrari,  no GP da Itália.

1971- PETER GETHIN- BRM P160- GP DA ITÁLIA (MONZA)- As disputas em Monza eram de tirar o fôlego e esta não foi diferente. Gethin venceu sua única prova na F1 ao chegar uma lasquinha à frente de Peterson (March) no que foi a menor diferença da história da categoria (10 milésimos). Foi a última prova de Monza em seu traçado sem chicanes.

1971- FRANÇOIS CEVERT- TYRRELL 002- GP DOS EUA (WATKINS GLEN)- Cevert era a grande estrela da França na F1 e estava em ascensão quando venceu nos EUA. Ironicamente foi onde encontrou a morte  dois anos mais tarde num acidente durante os treinos.

1972- JEAN PIERRE BELTOISE- BRM P160B- GP DE MÔNACO (MONTE CARLO)- Beltoise não tomou conhecimento da pole de Fittipaldi e o ultrapassou antes da primeira curva, e abriu caminho meio a chuva infernal que caiu naquele dia para vencer sua única prova na F1 e a última da BRM. Nem o mestre em pista molhada, Ickx, foi páreo para ele.

1975- JOSÉ CARLOS PACE- BRABHAM BT44B- GP DO BRASIL (INTERLAGOS)- Jarier tinha feito miséria nos treinos e na corrida era líder absoluto, quando sua Shadow quebrou na curva do Sol. Assim abriu caminho para Pace conquistar uma das vitórias mais memoráveis do Brasil no campeonato mundial. E de quebra Emerson Fittipaldi foi segundo com sua Mclaren, no que caracterizou-se a primeira dobradinha de pilotos brasileiros na F1.

1975- JOCHEN MASS- MCLAREN M23 FORD- GP DA ESPANHA (MONTJUIC PARK)- Foi a prova que nem deveria ter acontecido. Guard-rails mal fixados e outras condições inseguras, fizeram Emerson e outros pilotos desistirem da corrida no ínicio em forma de protesto. E eles estavam certos. Stommelen (Hill GH1 Ford) perdeu a asa traseira e vôou de encontro ao público, matando 5 pessoas e deixando outras tantas feridas, entre elas o próprio piloto. Mass foi declarado vencedor antes do término da prova e Lella Lombardi (March 751 Ford) chegou em sexto, marcando o único meio ponto de uma mulher na F1. Montjuic não voltou mais ao calendário da categoria.

1975- VITTORIO BRAMBILLA- MARCH 751 FORD- GP DA ÁUSTRIA (ÖSTERRECHRING)-Debaixo de uma chuva torrencial do ínicio ao fim, Brambilla venceu sua única prova na F1. E ficou tão feliz que ao levantar as mão para festejar a conquista, acabou perdendo o controle do carro batendo ele nos guard-rails da reta dos boxes. Marcante e divertidissíma vitória do "Gorila de Monza" como era chamado.

1977- GUNNAR NILSSON- LOTUS 78 FORD- GP DA BÉLGICA (ZOLDER)- O bom piloto sueco venceu de forma tranquila na Bélgica após a saída de Andretti da prova, mostrando que os carros asa eram uma ameça a ser considerada.

1989- ALESSANDRO NANNINI- BENETTON B189 FORD- GP DO JAPÃO (SUZUKA)- Essa prova é mais conhecida pela famosa batida de Prost em Senna na entrada da chicane. O piloto brasileiro foi ao box, trocou o bico, alcançou Nannini 5 voltas depois ultrapassando-o na chicane, venceu a prova mas não levou sendo desclassificado. O bom piloto italiano não tinha nada com isso e ficou com a conquista a única em sua carreira.

1995- JEAN ALESI- FERRARI 412T2- GP DO CANADÁ (MONTREAL)- Schumi estava com a vitória garantida, mas um problema em seu Benetton mandou-o para o box rebaixando ele para a quinta posição. Alesi que vinha logo atrás, aproveitou o raro momento de azar do campeão do mundo para vencer sua prova e fazer uma festa e tanto em Montreal.

1996- OLIVIER PANIS- LIGIER JS43 MUGEN HONDA- GP DE MÔNACO (MONTECARLO)- Enquanto a turma da frente, Schumi, Hill, Villeneuve entre outros se davam mal, Panis escapava das armadilhas da tarde chuvosa de Mônaco e passou para vencer o divertidissimo GP daquele ano que foi o único de sua carreira e o último da Ligier na F1.

2004 - Jarno Trulli - Renault R24 - GP DE MÔNACO (MONTECARLO) -  Jarno foi absoluto em Montecarlo: venceu de forma impecável, enquanto os demais se metiam em encrencas. A pole, naquele sistema de volta única, foi sensacional.

3 comentários:

  1. Mto bom o post. Eu pensava e o Jean Alesi nunca tinha vencido na F1, mas ne que ele venceu em motreal 95. É sempre bom descobrir sobre o passado da F1.

    ResponderExcluir
  2. Eu assisti essa prova e foi uma festa das boas naquele dia em Montreal.
    Obrigado por visitar o Blog!

    ResponderExcluir
  3. Muito bom. Agora, é atualizar. Tem a do Kovalainen, do Maldonado, do Rosberg...

    ResponderExcluir