segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Análise dos dez primeiros- GP da Hungria

Mark Webber- A perda da segunda posição para Alonso na largada, tinha minado qualquer chanc dele na prova. Mas a entrada do safety car e o erro de Vettel somado a punição que tomaria mais tarde, o ajudou muito e ele teve só o trabalho de abrir grande vantagem para fazer sua parada e voltar na frente de Alonso para garantir uma vitória até então distante. E de quebra, saiu com liderança do campeonato no bolso.


Fernando Alonso- Bela largada mas nada podia fazer contra o poderio da Red Bull em Hungaroring. Por algum momento teve até uma pequena chance de vencer a corrida caso Webber não abrisse grande vantagem, mas o australiano estava implacável.


Sebastian Vettel- A julgar pelo seu início de prova, após boa largada e com ritmo alucinante, a sua vitória já estava garantida. Mas acabou cometendo outro dos seus inúmeros erros nesta temporada, ao abrir uma distância muito maior que dez carros para o safety. Isso acabou gerando uma punição que o tirou da briga pela vitória. Se ele queria ajudar Webber naquela manobra, conseguiu com perfeição.


Felipe Massa- Corrida discreta após uma semana conturbada. Saiu em quarto e perdeu a posição para Hamilton após o seu pit stop. Com o abandono do inglês, recuperou a posição e por á ficou tranqüilo, sem ameaçar ninguém e sem ser ameaçado.


Vitaly Petrov- Largou na frente de Kubica pela primeira vez no ano e conseguiu se manter entre os dez primeiros a prova inteira. Ótima disputa com Hamilton na primeira volta e seu conhecimento de outras visitas ao circuito húngaro, o ajudou muito. É melhor dos estreantes até agora.


Nico Hulkenberg- Saiu à frente de Barrichello no grid, mas quando virou a primeira curva estava atrás do brasileiro. Fez boa prova e simplesmente levou o carro com segurança num circuito complicado para passar.


Pedro De La Rosa- Conseguiu levar seu carro ao Q3, o que culminou na oitava posição no grid que foi crucial para conseguir chegar na casa dos pontos pela primeira vez no ano.


Jenson Button- O seu mal desempenho no treino de ontem saiu caro, pois com o abandono de Hamilton podia ter saído da Hungria com a liderança do mundial ou na pior das hipóteses, continuaria na vice liderança. O carro da Mclaren não está no mesmo nível dos Red Bulls e nem das Ferraris neste momento.


Kamui Kobayashi- Levou uma punição por não ter pesado seu carro na classificação, o que lhe custou a perda de cinco posições, jogando-o de 18º para 23ª. Nas primeiras voltas já aprecia em 15ª pressionando Button e ficou atrás do inglês até o final da corrida. É o grande mestre das recuperações em prova este ano.


Rubens Barrichello- A entrada do safety acabou com suas chances na prova, pois tinha largado com pneus duros e faria uma trecho muito longo com aqueles pneus. Mas o carro de segurança o jogou de nono para quinto quando parou, perdeu várias posições. No duelo com Schumi pela décima posição foi fantástico e ficou evidente que não era só um ponto que estava em jogo naquele momento, mas sim seis temporadas de ressentimentos entre os dois rivais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário