segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Análise das equipes- GP do Brasil 2009

MCLAREN- Os treinos não revelavam grandes aspirações a prova, principalmente após o classificatório quando Kovalainen marcou o 17º tempo e Hamilton o 18º. Mas os acidentes no ínicio da prova acabaram ajudando-os, em especial Hamilton que lotou o tanque de gasolina e ficou uma boa parte da prova na pista parando apenas na volta 42 e mais tarde ultrapassou Barrichello para subir ao pódio. Kova fez mais das suas ao rodar na curva do “Sol” e arrancar a mangueira do reabastecimento quando fez sua parada. O carro esteve bom no domingo e isso ajudou muito. A FIA multou a equipe pelo acontecido nos boxes.

FERRARI- Poderia chegar mais à frente na classificação se não fosse os problemas que Raikkonen teve na primeira volta. Tomaram um grande susto quando o carro do “Iceman” levou uma chamuscada no meio dos boxes ao ser acertado pela gasolina que se soltava da mangueira presa no carro de Kova. O carro, mesmo tendo melhorado nesta segunda parte da temporada, ainda oscila um pouco. Pelo menos salvaram dois pontos nesta prova com Kimi.
BMW SAUBER- O carro melhorou e muito nesta últimas provas e isso foi comprovado com o belo desempenho de Kubica, que teve chances de ficar com a pole no sábado. Na prova Heidefed abandonou e Robert andou entre os três primeiros a prova toda e conseguiu levar o BMW ao primeiro pódio dele e da equipe no ano. É uma pena essa melhora só ter acontecido nesta parte final do mundial.
RENAULT- Com Alonso eliminado logo na confusão pós-largada, a equipe não teve mais nehuma chance de conquistar algo de mais ambicioso na prova. Com Grosjean nem dava para contar, foi facilmente ultrapassado pela maioria quando ocupava a sétima posição após a saída do safety. O carro parece que tinha conseguido se adaptar ao circuito tanto que Alonso estava animado, mas nem deu tempo para se divertir.
TOYOTA- Foi logo aleijada quando Trulli, que estava em 4º, saiu da prova no enrosco da volta inicial. Mas Kobayashi, estreando no lugar de Glock, teve um bom ritmo num carro que mal conhecia e num circuito que nem conhecia. Mostrou que o carro era bom o suficiente para chegar aos pontos, mas que infelizmente não concretizou.
TORO ROSSO- Mais outra boa apresentação dos carros italianos, mas precisavam terminar a prova e foi o que aconteceu. Buemi largou em sétimo e terminou na mesma posição e Alguersuari fechou em 14º. Se não tivessem tantas quebras poderiam ter marcado mais pontos.
RED BULL- Era de se esperar uma boa apresentação dos Touros Vermelhos e eles confirmaram isso com a vitória tranqüila de Webber e a ótima recuperação de Vettel vindo da 15ª posição e chegando em 4º. A exemplo da sua irmã italiana, as quebras os atrapalharam demais se não a história do campeonato seria outra.
WILLIAMS- Tinham chances de marcar pontos com os dois carros, mas problemas com Rosberg e o acidente de Nakajima tiraram deles esta oportunidade. E talvez, se tivesse chovido, poderiam ter sonhado com a vitória.
FORCE INDIA- A esperança deles era Sutil que largava em 3º, mas o alemão ficou de fora no enrosco com Trulli e Alonso. Liuzzi não poderia fazer nada andando lá no fundão.
BRAWN GP- Apesar do dia histórico que eles tiveram ao ganhar os dois mundiais, a corrida foi bem fraca salvando apenas a atuação de Button, que fez várias ultrapassagens. Barrichello teve problemas nos pneus que o jogaram de terceiro para oitavo na prova. Mas isso não abalaria ninguém que simplesmente escreveu seu nome na história do mundial ao vencer o campeonato de construtores no seu ano de estréia.







Nenhum comentário:

Postar um comentário