terça-feira, 1 de setembro de 2009

Parte 3

A RENAULT NA MIRA DA FIA

Quando escutei esta historia durante a transmissão da prova pela Globo (noticiada pelo Reginaldo Leme) o que estranhei mesmo nem foi o acontecido, afinal sempre achei o Briatore muito malandro (pra não dizer outra coisa). Mas porque, só agora, que isso veio tona e não na época?
A conclusão que tirei é a seguinte: alguma(as) pessoa(as) na Renault que gostavam do Nelsinho e vinham acompanhando as ameaças de Briatore contra ele, devem ter ficado indignados com a saída conturbada do brasileiro da equipe pelas mãos do empresário e chefe da equipe, daí jogaram o acontecido na prova de Cingapura do ano passado no ventilador.
Naquela ocasião, Nelsinho bateu seu carro na 14º voltada prova forçando a entrada do Safety-Car, o que ajudaria Alonso, que por problemas no carro durante a classificação, acabou largando em 14º lugar. O espanhol, naquele sábado, tinha carro para tentar marcar a pole. Segundo informações, Briatore combinara com Nelsinho em que volta e local o brasileiro deveria bater. Com aquele acidente, aconteceu o celebre reabastecimento de Massa, então líder da prova, que ficou com a mangueira do reabastecimento engatada no carro e carregando este por todo o pit lane. Alonso acabou por vencer a prova e assim do desejo de Briatore foi realizado.
Agora a FIA contratou uma empresa especializada para investigar o caso. Briatore nada diz e Nelsinho desmente. Se bem, que olhando com atenção o acidente, não dá para dizer se foi ou não proposital, mas dependendo do que a FIA descobrir, o brasileiro terá sua carreira m
anchada.
Já sobre
o Briatore, sempre achei, como já disse aqui, muito malandro. Em 1994 burlando o regulamento com um Benetton dopado de eletrônica; a bomba de reabastecimento sem o filtro, para tentar passar mais rápido a gasolina que quase custou a vida de Verstappen na Alemanha e de mecânicos com o incêndio após espirrar combustível; Trulli despedido antes do final da temporada de 2004 quando ele estava melhor que a estrela ascendente Alonso na Renault; as rusgas com Fisichella e agora o massacre encima de Nelsinho.
Já que a FIA resolveu mecher no passado, poderia voltar mais um pouco e tentar resolver outros probleminhas. Que tal 1994?

Nenhum comentário:

Postar um comentário